Como vai a formação influenciar a cara do Sporting CP na próxima época?

José Nuno QueirósMaio 19, 20206min0

Como vai a formação influenciar a cara do Sporting CP na próxima época?

José Nuno QueirósMaio 19, 20206min0
Depois das palavras de Frederico Varandas está claro que o futuro do Sporting vai passar pela formação do clube com 8 a 12 jogadores a poderem integrar o plantel. Mas quem são estes jovens?

Quem ouviu a entrevista de Frederico Varandas no Canal 11, ficou com uma certeza absoluta, o futuro imediato do Sporting CP passa pela formação leonina.

No final da semana passada os sportinguistas foram presenteados com um documento que analisava o percurso do clube desde a entrada da direção e qual o caminho que pretende seguir e como trilhá-lo. Neste documento, a nível desportivo vinham 3 aspetos importantes e todos eles ligados à formação: i) A aposta de jovens na equipa principal ii) o modelo centrado no jogador que já foi implementado na academia iii) O regresso da equipa B

Nesta segunda-feira que passou o Presidente Frederico Varandas reforçou esta ideia, colocou nomes e falou em números concretos. Para o plantel de 2020/2021 o objetivo é ter 24 jogadores e ter entre 8 a 12 da formação (ou jovens contratados), misturando a juventude com experiência para preparar o futuro a longo prazo.

Sendo assim vamos aqui tentar perceber quem são estes 8 a 12 jovens, o que podem acrescentar e onde vai ser preciso reforçar a equipa.

Guarda Redes

Na baliza parece claro que irão estar 2 ou 3 nomes. Maximiano e Diogo Sousa são certezas no plantel principal, ficando a dúvida se Hugo Cunha pertencerá a este lote ou se será apenas parte dos treinos da equipa. Há ainda o nome de Walker, mas este parece um nome mais para o futuro do que para o imediato.

Muito se tem discutido a possibilidade de contratar um guardião mais experiente, mas não me parece que vá ser o caso, de modo a não comprometer a evolução de Maximiano que pode se tornar um guarda redes de topo.

Fora parece estar Renan Ribeiro.

A aposta que já é uma certeza na baliza leonina. (Fonte: Record)

Defesa

Na defesa com a mudança do sistema de jogo para uma tática de 3 centrais a necessidade aumentar os jogadores no centro é uma certeza e nesse aspeto há dois centrais que chegaram à equipa A: Gonçalo Inácio e Eduardo Quaresma.

Eduardo parece o melhor sucessor de Mathieu, ao ser um central taticamente evoluído e com melhor qualidade com a bola no pé e na construção do jogo, ao passo que Inácio tem a vantagem de ser esquerdino e mostra ser mais forte no jogo aéreo e na marcação. Com dúvidas na continuidade de Mathieu e Ilori (que excluímos da aposta da formação), o setor pode necessitar de reforços ou então a solução pode passar por Ivanildo Fernandes…

Nas alas a esquerda vai contar com Nuno Mendes para aprender com Acuna e melhorar mais o seu processo defensivo para juntar ao seu forte que é a chegada à linha de fundo para cruzar. Já na direita podemos ver reforços pois não apareceu nenhum jovem desde a venda de Thierry Correia, sendo o mais perto João Oliveira mas que não parece contar para este lote.

Fora deste grupo parece certa a saída de Borja pelo menos.

A maior promessa no centro da defesa para os leões parece um dos jovens mais perto de começar a ter minutos. (Fonte: Record)

Médios

No meio campo Wendel e Battaglia parecem ser as peças mais importantes a que se juntam os jovens Matheus Nunes e Daniel Bragança.

Matheus Nunes é umas das maiores e mais preparadas das promessas aqui referidas, com uma boa inteligência tática, uma preparação física acima da média e qualidade no transporte, este parece ser o substituo ideal para Wendel.

Já Bragança prima pela qualidade de passe e pela visão de jogo. Começou como médio mais recuado para pautar o jogo, mas ganhou uma nova dimensão no Estoril em zonas mais adiantadas pelo seu último passe, tendo como maior defeito a sua pouca presença física.

Há ainda dúvidas no regresso de Palhinha que podia aqui ser o substituto perfeito para Battaglia.

A estes nomes há mais três que podem ter uma palavra a dizer. Miguel Luís, que nunca conseguiu corresponder às esperanças dos treinadores e que agora parece mais perto da saída;

Francisco Geraldes que regressou em Janeiro mas que parece ainda mais longe com a mudança de sistema que retira a posição 10 e arrasta os criativos para posições mais laterais e que já falhou várias vezes o comboio no Sporting e por fim Rodrigo Fernandes que teve uma estreia amarga esta época e que agora parece mais longe do plantel principal.

Eduardo e Doumbia não contarão no próximo ano.

O jogador que irá pagar Ruben Amorim, segundo Varandas, é para ser aposta ainda este ano. (Fonte: Record)

Avançados

Talvez o setor com mais apostas da formação, fruto de algumas que já jogaram esta época.

Nas alas a aposta é para ser em Jovane, Plata, Camacho e Joelson Fernandes. Se os 3 primeiros já jogaram esta época o último parece ser aquele que vai ter mais dificuldades em ganhar o lugar até porque é o mais novo de todos os jovens aqui referidos, ainda assim parece ser certa a sua presença no plantel na próxima época.

Irreverente e forte no cruzamento e no 1×1, Joelson ainda é um exímio batedor de bolas paradas que exigem cruzamento (cantos e livres laterais), mas poderia beneficiar de outras experiências para se adaptar às exigências da 1ª liga.

A estes junta-se a experiência de Vietto que pode jogar pela esquerda e que agora têm um colega com características muito parecidas que é Tiago Tomás.

O avançado foi uma escolha muito específica de Amorim, talvez de olho nesta mobilidade e capacidade de mudar de zona no terreno para criar desequilíbrios.

Diferente é Pedro Mendes o avançado muito badalado desde Setembro e que é conhecido pelo seu porte físico e pela presença na área, muito mais à semelhança de Sporar e de Luiz Phellype que deverá ser vendido no Verão.

Tiago foi escolha de Amorim ao contrário de todos os seus colegas que já estavam identificados mais cedo. (Fonte: Record)

Sendo assim temos um Sporting que poderá ter esta cara na próxima época, com os tais 24 jogadores prometidos e com os jovens identificados, sendo que neste momento possíveis reforços ainda são difíceis de identificar e podem estar dependentes de saídas.

Guarda Redes: Maximiano (21 anos); Diogo Sousa (21 anos)

Defesas Direitos: Ristovski; Rosier

Defesas Esquerdos: Acuna; Nuno Mendes (17 anos)

Defesas Centrais: Coates; Neto; Ilori; Eduardo Quaresma (18 anos); Gonçalo Inácio (18 anos); Ivanildo Fernandes

Médios: Battaglia; Wendel; Matheus Nunes (21 anos); Daniel Bragança (20 anos); João Palhinha

Extremos: Vietto; Jovane Cabral (21 anos); Rafael Camacho (19 anos); Gonzalo Plata (19 anos)

Avançados: Sporar; Pedro Mendes (20 anos); Tiago Tomás (17 anos)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter