Selecção Nacional: surpresas nos convocados para evitar cataclisma?

Francisco IsaacNovembro 12, 20196min0

Selecção Nacional: surpresas nos convocados para evitar cataclisma?

Francisco IsaacNovembro 12, 20196min0
Domingos Duarte, Daniel Podence e José Sá podem receber a sua primeira internacionalização mas antes há que evitar o cataclisma de falhar o Europeu 2020! As propostas de como Portugal pode jogar frente à Lituânia e Luxemburgo!

Com Cristiano Ronaldo tocado, mas ainda convocado, e sem Pepe, Rafa e William Carvalho para as opções iniciais, Fernando Santos surpreendeu os adeptos portugueses com a convocatória de alguns estreantes, numa chamada de jogadores que está totalmente vocacionada para o ataque. Mas o que há ainda para jogar? E quais são os cenários para as Quinas? A nossa análise aos últimos jogos do apuramento para o Campeonato da Europa 2020!

SURPRESAS…QUEM SÃO E QUAIS VÃO JOGAR?

Domingos Duarte, Gonçalo Paciência, Éder, Diogo Jota, João Cancelo e Daniel Podence foram as surpresas ou jogadores-reserva chamados por Fernando Santos para os dois últimos encontros da qualificação para o Euro 2020, com o destaque a ir para Domingos Duarte, Daniel Podence e, claro, Gonçalo Paciência. O avançado do Frankfurt está a rubricar uma temporada de qualidade e depois de 9 golos marcados e 3 assistências realizadas em 23 jogos, mereceu uma nova chamada às Quinas depois de já ter se estreado em 2017.

A convocatória é merecida, apesar de vir a ser difícil que seja utilizado como titular em qualquer um dos jogos, dependo isto claro está se Portugal garante o apuramento para a maior competição europeia logo no primeiro encontro… para isso basta ganhar e esperar que a Sérvia não consiga um empate na recepção ao Luxemburgo.

Em relação aos restantes convocados, o grande destaque vai para Domingos Duarte que poderá vir a estrear-se na selecção, a par de Daniel Podence e José Sá (que ainda não tiveram a oportunidade de somar minutos pelo patamar máximo das selecções nacionais de Portugal). O central tem sido um dos melhores reforços da La Liga, sendo um dos titulares absolutos no surpreendente Granada, que ocupa o 8º lugar, invocando uma leitura defensiva que poderá ser útil e um poder de antecipação que confere uma segurança importante para o eixo-defensivo.

Contudo, como Gonçalo Paciência, dificilmente será opção para alinhar no 11 titular ou para entrar a meio do encontro (caso não aconteça nada de inesperado com algum dos outros nomes para a posição de defesa central), podendo ter de esperar por outra ocasião para se estrear oficialmente por Portugal. Outro dos convocados para a defesa é João Cancelo, que entra no lugar de Nélson Semedo… o lateral do FC Barcelona lesionou-se com alguma gravidade na La Liga e forçou a Fernando Santos a convocar o jogador do Manchester City, ficando no ar a questão se fica ou não com a camisola de Semedo na defesa portuguesa, já que há outro nome que merece a oportunidade ser titular: Ricardo Pereira.

O Leicester City está a realizar uma época de elevado nível e o português tem sido um dos “operários” de super-categoria na estratégia de Brendan Rodgers, galvanizando a faixa direita com uma electricidade e impacto físico/técnico desconcertante que tem conquistado o público especializado da Premier League, sendo um dos poucos totalistas do campeonato inglês.

Sem novidades no meio-campo, Fernando Santos optou por reforçar o ataque com ainda Daniel Podence, Éder e Diogo Jota… qual destes vai receber oportunidade para jogar? Sem João Félix e Rafa para o duplo encontro com a Lituânia e Luxemburgo, Fernando Santos terá de introduzir um segundo apoio a Cristiano Ronaldo, alterar a estratégia de jogo para colocar o capitão português com outro ponta-de-lança no ataque ou deslocá-lo e oferecer o centro da manobra ofensiva a Éder, Paciência ou André Silva. Olhando para o que foi a esquema dos jogos contra Luxemburgo e Ucrânia, é possível que haja uma vontade manter uma manobra de jogo mais calma e ponderada, sendo que na 2ª parte poderá entrar um risco maior no ataque, dependendo de como está o resultado.

A vitória de Portugal na Lituânia

POSSIBILIDADES E OS PECADOS A NÃO COMETER

Ou seja, então quem vai receber a titularidade para o encontro frente à Lituânia? A nossa aposta recairá em: Rui Patrício, Raphael Guerreiro, Rúben Dias, José Fonte e Ricardo Pereira; Danilo Pereira, Bruno Fernandes e João Mário; Bernardo Silva, Bruma e Cristiano Ronaldo. André Silva, Pizzi e João Moutinho poderão ser hipoteticamente os suplentes utilizados no primeiro encontro. Outra variante provável do 11 das Quinas para este primeiro encontro: Rui Patrício, Raphel Guerreiro, Rúben Dias, José Fonte e João Cancelo; Danilo Pereira, Rúben Neves, Bruma e Bernardo Silva; Cristiano Ronaldo e André Silva.

Depois do desastre registado na Ucrânia que retirou a possibilidade de Portugal terminar em 1º lugar da fase-de-grupos – e perda do estatuto de cabeça-de-série para o sorteio do Euro 2020 – o que não pode acontecer tanto contra Lituânia e Luxemburgo? Relativização do adversário, falta de seriedade e arrogância. A única forma de evitar surpresas nestes últimos dois encontros é manter uma postura comportamental igual à que seria contra a Ucrânia e Sérvia ou como aconteceu na Liga das Nações… este comportamento positivo foi visto na recepção frente ao Luxemburgo (só um ligeiro facilitismo na defesa, mas em curtos períodos de jogo) ou na visita à Lituânia.

Será fundamental que também haja finalmente uma coesão colectiva competente e concentrada em realmente respeitar o plano de jogo – que existe como ficou provado na Liga das Nações -, ao contrário do que se passou contra a Ucrânia, onde ficou a ideia de existir uma certa celeuma com o facto de Cristiano Ronaldo ser a estrela maior das Quinas. Tanto o capitão, como Bernardo Silva, Bruno Fernandes, João Félix (ainda não realizou qualquer boa exibição por Portugal) não conseguiram combinar com qualidade, enveredando por uma atitude individualista que nada ajudou a Selecção nesse encontro.

Por fim, outro factor importante passa por atribuir o papel de 6 ou 8 a um jogador que realmente um tratamento ao esférico de qualidade, como Rúben Neves. O atleta do Wolves não tem sido opção e, em boa verdade, é estranho que Fernando Santos continue a não colocá-lo em campo quando é neste momento dos trincos/médios-de-apoio com melhor trabalho no passe ou no dar equilíbrio entre ataque e defesa… pode não ser tão físico como Danilo Pereira, mas é um atleta com uma lucidez completamente de outro nível que faz falta às Quinas em momentos de maior dificuldade táctica.

Lituânia e Luxemburgo são os dois últimos obstáculos para Portugal atingir o Campeonato da Europa 2020 e só uma equipa focada, trabalhadora e com vontade de fantasiar sem entrar em individualismo exacerbado conseguirá chegar lá.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter