O Regresso dos Emigrantes à Liga NOS

João NegreiraJulho 28, 20194min0

O Regresso dos Emigrantes à Liga NOS

João NegreiraJulho 28, 20194min0
Com 6 caras novas nos bancos da Liga NOS, pelo menos 2 deles já eram velhos conhecidos. Depois de várias passagens pelo estrangeiro, retornam a Portugal! O que esperar deles?

Na realidade até são 9 os treinadores que integram novos emblemas nesta temporada, mas 3 já conhecíamos da temporada passada (Vítor Oliveira, Ivo Vieira e Nuno Manta Santos). Das 6 caras novas, vamos destacar 2 delas, que há muito que emigraram, e agora voltam, para fazer furor na Liga NOS.

Ricardo Sá Pinto

Velho conhecido do futebol português, pela longa carreira como jogador, Diretor Desportivo e, ainda, treinador do Sporting, Sá Pinto, volta a Portugal, depois de 3 épocas lá fora.

Desde a sua última passagem, no Belenenses 2015/2016, muito mudou no futebol português. Não obstante, o próprio admite que não o tem acompanhado, esperando, ainda assim, um campeonato muito competitivo.

O timoneiro portuense, depois de deixar o comando técnico do Sporting, teve passagens pela Sérvia (Crvena Zvezda) e pela Grécia (OFI e Atromitos). Regressa à Liga NOS em 2015/2016, mas volta a emigrar.

Tem uma curta passagem na Arábia Saudita (Al Fateh), onde na mesma temporada, volta para a Grécia (Atromitos). Segue para a Bélgica (Standard Liège) e esteve, na época transata, na Polónia (Légia Varsóvia). É um treinador com um grande currículo, com uma vasta experiência por vários países e agora, volta ao país natal, para tentar voltar a ser feliz.

Ricardo Sá Pinto, bem à sua imagem, promete um plantel competitivo, com muita alma, espírito vencedor e garra. Essa é talvez, uma das desvantagens do treinador de 46 anos – a garra e o espírito lutador sobrepõe-se à qualidade do futebol.

Contudo, segundo Sá Pinto, podemos esperar um Braga dominador, que quer ter bola (a sair a jogar curto) e que chega à baliza com facilidade. A nível defensivo, “compactos, sólidos e agressivos”.

Depois de ter saído de Portugal um pouco com má imagem, Sá Pinto volta à Liga NOS, com um Braga que não pode falhar o 4º lugar. Fica no ar a dúvida se o timoneiro conseguirá manter o registo dos arsenalistas.

Ricardo Sá Pinto chegou com a prioridade de garantir o 4º lugar. (Foto: O Minho)

Carlos Carvalhal

Outro velho conhecido do futebol português é Carlos Carvalhal. Ele que se destacou como jogador, principalmente, no SC Braga, volta a Portugal, com a fama do “futebol bonito”.

Já conta com 20 anos de carreira de treinador, começando no clube em que acabou como jogador (Sporting de Espinho) e foi o Sporting CP a sua última passagem antes emigrar. Subindo sempre a pulso, passando por vários clubes da Liga NOS, chegou ao topo, mas foi no estrangeiro que se destacou.

Foram 10 anos fora de “casa”, com passagens pela Turquia (Besiktas e Istanbul BB), Emirados Árabes Unidos (Coordenador Técnico do Al Ahli) e Inglaterra (Sheffield Wednesday e Swansea City), onde, principalmente, em Terras de Sua Majestade, foi muito acarinhado.

Assim como fez em Inglaterra, Carvalhal prometeu fazer por “bater o pé” a equipas de maior dimensão, algo que tem sido hábito dos vilacondenses.

Porém, o timoneiro de 53 anos, não prometeu nenhuma meta classificativa. Apenas garantiu trabalho e ambição, num Rio Ave que tem o desejo de chegar à Europa.

Carvalhal afirmou que, como tem sido hábito, das equipas rioavistas, vem trazer um bom futebol, conseguindo potenciar jogadores.

Apesar disso, os vilacondenses sofreram muitas saídas importantes, neste verão e será importante conseguir suprir essas saídas, para manter o bom nível na Liga NOS. Até ao momento, grande destaque para a chegada do internacional iraniano, Mehdi Taremi.

Depois de um 4º lugar no Sporting, Carlos Carvalhal refere que é um treinador mais maduro, mas será que conseguirá lutar por um lugar europeu e praticar um bom futebol?

Carlos Carvalhal afirma que vai ter um futebol positivo. (Foto: ZeroZero)

Nota final para Bruno Lage, ele que faz agora o seu primeiro início de época na Liga NOS e também tinha emigrado (com Carvalhal), mas que já tinha estado no Benfica B na temporada passada e, por isso, não reconhecemos como um regresso.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter