Reforços “Despromovidos” para Sérgio Conceição (2/3)

Francisco da SilvaJunho 1, 20185min0

Reforços “Despromovidos” para Sérgio Conceição (2/3)

Francisco da SilvaJunho 1, 20185min0
Nas principais ligas europeias, inúmeros talentos individuais foram relegados ao segundo escalão em 2017/2018. Nesta segunda parte, o Fair Play recomenda agora 4 potenciais reforços para a casa das máquinas de Sérgio Conceição.

Anualmente, inúmeros talentos individuais são relegados para os escalões secundários fruto de temporadas menos felizes dos seus coletivos. Atendendo à débil saúde financeira do FC Porto e à qualidade de muitos elementos que fazem parte dessas mesmas equipas, o Fair Play irá realizar um conjunto de três artigos onde irá propor 12 reforços para o plantel azul e branco oriundos de diversas formações das principais ligas europeias que foram despromovidas ao segundo escalão em 2017/2018. Nesta segunda parte, recomendamos 4 elementos para o meio campo portista.

Peter Etebo (UD Las Palmas)
O centrocampista nigeriano dispensa apresentações para a maioria dos portugueses, especialmente após uma passagem de 2 anos por Santa Maria da Feira. Etebo é um médio com um baixo centro de gravidade, o que não impede o possante nigeriano de ter uma boa capacidade de “comer” metros de terreno com a bola nos pés. O contributo do médio de 22 anos não se limita unicamente à vertente ofensiva, Etebo é um elemento intenso, pressionante e capaz de ocupar com inteligência os espaços defensivos, tornando-o um jogador muito útil em qualquer formação. Depois de brilhar no Feirense, o nigeriano não acusou o salto competitivo e exibiu-se igualmente a bom nível no Las Palmas em 2017/2018, o que dá a entender que Etebo está preparado para assumir um papel de relevo em qualquer um dos “Três Grandes” em Portugal. Neste sentido, atendendo à musculatura que Sérgio Conceição gosta de ter no centro de terreno, Peter Etebo seria uma solução extremamente interessante e que não requereria um esforço financeiro demasiado elevado pois o jogador está atualmente avaliado em 1,5 milhões de euros* e existe ainda a possibilidade do FC Porto incluir jogadores excedentários no negócio. Pré-convocado por Gernot Rohr para o Mundial de 2018, Etebo será certamente um dos alvos mais apetecíveis no mercado.

Salih Özcan (FC Colónia)
O médio centro da formação de Colónia foi um dos poucos destaques individuais dos bodes na última temporada, como tal, não surpreende que Özcan seja um dos nomes mais cobiçados do plantel do Colónia. Ao longo da sua segunda época como profissional, Salih Özcan mostrou que é um centrocampista de recorte fino, muito forte em termos táticos e com bons índices de agressividade após perda de bola, contudo, existem ainda algumas arestas a limar nomeadamente em termos de condição física, regularidade exibicional e maior qualidade na chegada à área contrária. Internacional por várias seleções jovens alemãs, o jogador de 20 anos é atualmente seguido por vários emblemas forasteiros, em especial o Besiktas JK, que veem no alemão de ascendência turca um médio muito promissor mas de impacto imediato. Avaliado em 3,5 milhões de euros* e com um salário acessível, Salih Özcan podia ser uma solução de baixo custo para concorrer/substituir Óliver Torres e Paulinho, quer pelo perfil que apresenta quer pelo potencial que lhe é reconhecido, oferecendo a Sérgio Conceição aquilo que Paulinho e Óliver Torres não conseguiram dar ao meio campo portista: criatividade, dinâmica e eloquência.

Salih Özcan | Fonte: 90Min

Mohamed Fares (Hellas Verona)
A cidade de Romeu e Julieta viu um dos seus principais emblemas, o Hellas Verona, relegado ao segundo escalão do futebol transalpino, contudo, há um nome do plantel gialloblu com qualidade para vingar na primeira liga portuguesa, Mohamed Fares. Desde 2013 em Verona, o franco-argelino teve em 2017/2018 a sua época de afirmação ao ponto de ter sido o 4º jogador mais utilizado na temporada e o ativo com a maior valorização desportiva do plantel do Hellas Verona. Devido aos 183 centímetros de altura, Mohamed Fares é um esquerdino muito polivalente e forte fisicamente atuando com igual competência em todo o corredor esquerdo (como defesa, ala ou extremo) e como médio interior. Com um passe avaliado em 3 milhões de euros*, o médio de 22 anos seria uma adição muito interessante para o plantel às ordens de Sérgio Conceição pois é um jogador muito forte na condução de bola que potencia o processo de transição ofensiva da sua equipa. Por fim, convém salientar uma das valências mais importantes de Fares, a sua qualidade ao nível do cruzamento que o tornam num elemento muito útil.

Samuel Grandsir (ESTAC Troyes)
A atuar no segundo pior ataque da Ligue 1 mora um dos principais destaques jovens do principal campeonato francês, Samuel Grandsir. Baixo, franzino e com traços de rebeldia, o jovem médio ala formado em Troyes foi durante toda a temporada o “abono de família” da sua equipa, tendo terminado a época 2017/2018 com 3 golos e 5 assistências na Ligue 1. Devido à filosofia mais defensiva do Troyes, Grandsir atua com mais frequência como médio direito onde é primeiramente obrigado a contribuir para as tarefas defensivas e, posteriormente, incumbido de utilizar a sua velocidade e baixo centro de gravidade para procurar a profundidade e espaços nas costas dos adversários. Aos 21 anos e com muito talento bruto por explorar, Grandsir começa a acumular interessados no seu passe e nem os 5 milhões de euros* de avaliação parecem assustar os candidatos. Com o intuito de preparar as eventuais saídas de Brahimi e Hernâni, Samuel Grandsir reúne inúmeros condimentos que podem aguçar o apetite de Sérgio Conceição, nomeadamente, velocidade, irreverência técnica, habitual contribuição defensiva e, sobretudo, imenso potencial para consolidar.

*valores de mercado atuais indicados pelo portal Transfermarkt


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter