Oitavos da Champions League: O degrau mais importante?

José Nuno QueirósNovembro 29, 20215min0

Oitavos da Champions League: O degrau mais importante?

José Nuno QueirósNovembro 29, 20215min0
Rúben Amorim levou os leões aos oitavos de final da Champions League. Mas qual é a verdadeira importância para o clube leonino?

Jogar na Liga dos Campeões é o sonho de qualquer futebolista mundial, desde a sua infância quando começa a calçar as chuteiras e a sentir o cheiro da relva. Todos nós em algum momento vimos os nossos ídolos a pisar os mais míticos palcos e sonhámos em igualar os seus feitos. Ora, para o Sporting o grande feito foi voltar a ultrapassar a fase de grupos da UEFA Champions League e ser uma das 16 equipas a marcar presença nos oitavos de final da competição.

Esta é apenas a segunda vez que o Sporting alcança este feito na sua história, depois de também o ter alcançado em 2008/09, sendo que acabou cilindrado pelo Bayern Munique na fase seguinte.

A chegada a esta fase da prova tem sido a grande diferença entre o Sporting e os seus rivais, e que ajuda a explicar o insucesso interno da equipa de alvalade durante quase 2 décadas. SL Benfica e principalmente FC Porto, marcam presença com maior regularidade que os leões e cavaram um fosso para os verdes e brancos do ponto de vista financeiro que vai demorar muitos anos a ultrapassar.

Apesar do título alcançado na época passada, a diferença não se desfaz em meses, sendo que vai ser preciso um enorme trabalho da estrutura para conseguir colocar o Sporting ao mesmo nível financeiro dos seus maiores rivais. Basta analisar os números de cada equipa.

O FC Porto é a equipa portuguesa com mais sucesso na Champions, tendo participado em 25 edições (a contar com a atual), que resultaram em 16 passagens à fase seguinte, sendo que depende apenas de si para somar a 17ª presença, dando uma taxa de sucesso de 67%. A mentalidade vencedora que foi incutida no FC Porto, permite-lhes encarar qualquer adversário com a intenção de vencer, permitindo que o clube tenha um excelente ranking na UEFA, o que juntando aos inúmeros títulos de campeão nacional que somou lhes permite ter em muitos casos sorteios mais amigáveis, pelo menos em teoria.

Com 16 participações (também a contar com a atual) está o SL Benfica que passou 5 vezes à fase seguinte, mas tal como os dragões ainda se pode qualificar este ano, apesar de não depender apenas de si e alcançar uma fase da prova onde não está desde 2016/17. Não é também inocente que o aumento do sucesso interno tenha surgido após o aumento do número de prestações do clube na Champions League e das boas campanhas realizadas quer na Champions League, quer na Liga Europa.

Já o Sporting para além de só ter estado na prova por 9 ocasiões só por 2 vezes passou à fase seguinte da competição. Tantos anos longe da elite tornaram o título nacional uma miragem para os leões e apenas uma época com condições muito especiais permitiu quebrar o jejum leonino.

oitavos final fase grupos Champions
A última presença dos leões nos oitavos foi um fiasco. (Fonte: ZeroZero)

Financeiramente a Champions é de longe a maior fonte de receita para os clubes, que não envolva perder ativos importantes. Em jeito de comparação e apesar de os valores terem aumentado ao longo dos anos, se olharmos apenas para o prémio obtido pela classificação para os oitavos de final, usando como tabela o preço atual, vemos que o Porto realizou cerca de 140M de euros a mais que os leões, ao passo que o Benfica realizou 30M a mais.

Isto sem contar com o dinheiro da entrada na Champions e dos resultados alcançados na competição (empates e vitórias dão dinheiro), ou com o valor adquirido pela passagem aos quartos de final, fase que os leões nunca alcançaram.

Para se comparar, uma equipa que vença todos os jogos na Liga Europa e vença a competição fatura cerca de 23M de euros, um valor que é pago só por entrar na Champions para muitas equipas europeias.

Isto mostra bem o porquê da necessidade de estar presente na principal prova, apesar de a nível de títulos a Liga Europa ser bem mais acessível aos clubes portugueses, mas com prémios tão reduzidos, o incentivo a longo prazo é claramente menor.

Este é o grande desafio dos leões! Mudar esta sina de equipa de segunda linha europeia e começar a marcar presença assídua na Champions e ultrapassar com mais frequência a fase de grupos.

Mas para isto é preciso ser Campeão Nacional para garantir, quer entrada direta, quer uma melhor posição no sorteio e é preciso tornar este feito algo normal como referiu Rúben Amorim e não um feito histórico no clube.

A partir de agora é tentar fazer história, alcançando os quartos de final da prova, feito que o FC Porto alcançou 5 vezes contra 4 do SL Benfica, apesar de se saber que o sorteio terá uma grande influência naquilo que serão as probabilidades de sucesso da equipa

Mais do que os quartos de final parece difícil de pedir, uma vez que apenas José Mourinho no FC Porto conseguiu passar os quartos de final da prova, num ano que terminou com a taça no museu portista.

Na única vez que uma equipa portuguesa ultrapassou os quartos de final fez-se história. (Fonte: UEFA)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter