Três equipas “com faro” para o golo na Liga NOS

Daniel FariaFevereiro 20, 20185min0

Três equipas “com faro” para o golo na Liga NOS

Daniel FariaFevereiro 20, 20185min0
Numa liga onde se marca pouco, importa valorizar quem o faz “acima da média”. Neste artigo, vamos deixar de lado os três grandes, com ênfase em Benfica e Porto, com 59 e 58 golos, respetivamente, sendo, com naturalidade, os melhores ataques do campeonato português.

Deixando de lado os dois primeiros classificados do campeonato, as atenções deste texto centrar-se-ão em três equipas que merecem referência pelo “poder de fogo” que as suas dianteiras têm evidenciado na hora de fazer golo.

Braga

O Sporting Clube de Braga, no 4.º lugar com 49 pontos, detêm 48 golos marcados nas 23 jornadas disputadas. Supera o Sporting em um golo, pois os “leões” concretizaram até ao momento 47 golos.

Uma equipa bem organizada e com a baliza sempre “na mira”, colocando-se como o 3.º melhor ataque da Liga, seguido de Porto e Benfica. É sem dúvida um bom indicador de um clube que tenciona colocar-se entre os grandes do futebol português, procurando “escalar” por entre os maiores conjuntos da primeira liga.

Um dos grandes obreiros deste bom registo chama-se Paulinho. Concretizou já sete golos no campeonato, sendo o melhor marcador dos “arsenalistas”. O jovem português de 25 anos, oriundo do Gil Vicente está a justificar a aposta, evidenciando-se ao serviço dos bracarenses.

Dyego Sousa, o avançando brasileiro ex-Marítimo, tem sido também um importante “suporte” na manobra ofensiva da equipa, tendo assinado já 5 golos no campeonato. Na mesma linha, com 5 golos na prova, surge o egípcio Hassan. Também com uma “mão cheia” de golos, mas num setor mais recuado, surge Raúl Silva, central brasileiro ex-Marítimo.

Em suma, um conjunto bem estruturado e organizado, montado por Abel Ferreira, que promete continuar a surpreender os adeptos atentos à realidade do futebol português.

Paulinho, em grande plano esta época, tem ajudado o Braga a fazer golos. (Foto: RR)

Portimonense

Com 35 golos e em crescendo no campeonato, surgem os algarvios comandados por Vítor Oliveira. Os recém-promovidos ao principal escalão do futebol português têm sido uma agradável surpresa pelo futebol que têm vindo a praticar, exibindo uma frente de ataque temível.

Apoiados no “matador” Fabrício, que leva já 12 golos no campeonato, o Portimonense está a dar passos firmes para alcançar a tão desejada manutenção, somando 27 pontos no 10º lugar. Na mesma linha que Fabrício, é impossível não referir Nakajima, quando se fala no Portimonense. O pequeno japonês, na sua primeira experiência no futebol europeu tem deslumbrado pelo seu jogo, apontando já 9 golos no campeonato. Oriundo do FC Tokyo, o Portimonense descobriu a “pulga” japonesa, que tem encantado pelo seu jogo tecnicista e irreverente.

Fabrício e Nakajima têm assumido plano de destaque, mas o Portimonense exibe outros valores que dão dinamismo ao seu jogo, contribuindo para que as jogadas sejam terminadas com o tão desejado golo. Tabata, Rui Costa ou o experiente Pires dão o seu contributo. As chegadas de Galeno e Fede Varela, vêm também dar outra qualidade à equipa, que assenta num futebol positivo e em busca do golo. Algo de louvar para uma equipa que chegou este ano, novamente, à primeira liga.

Fabrício e Nakajima, os “demónios” no ataque algarvio do Portimonense. (Foto: Sul Informação).

Rio Ave

Ainda na casa das três dezenas de golos, surgem os “viscondes”. Revolucionados pelo estreante Miguel Cardoso, de 45 anos, o Rio Ave volta a exibir uma boa equipa, empenhada na persecução dos lugares europeus, com uma base ofensiva de qualidade. Apesar de terem sofrido 10 golos nos últimos três jogos – 5 do Benfica e outros 5 do Porto -, o Rio Ave ainda é dos melhores ataques da primeira liga portuguesa, com 31 golos apontados.

João Novais, com oito golos, é o “homem-golo” da equipa de Vila do Conde. O português de 24 anos está a passar por um grande momento, estando a protagonizar a melhor época de sempre ao serviço do Rio Ave. Um diamante em bruto, que tem despertado cobiça, afirmando-se como o jogador do momento em Vila do Conde.

Mas não se de João Novais é feito o Rio Ave. Guedes, de 30 anos, tem assumido também plano de evidência na formação orientada por Miguel Cardoso. Tem os mesmos golos que Novais: oito e cumpre igualmente a 3.ª época no Rio Ave. Pontos em comum, só que com uma “vantagem”: Guedes é mais experiente.

São sem dúvida, os grandes “contribuintes” do bom ataque vila-condense. Uma equipa bem organizada, como o Rio Ave já nos habituou, promete continuar a consolidar o 5.º lugar, almejando um lugar nas competições europeias.

João Novais é o homem do momento em Vila do Conde. (Foto: MF)

Trio letal

Juntos, simbolizam 114 golos apontados no campeonato. Algo que merece ser valorizado. O Braga, surge nos “calcanhares” dos três grandes, chegando a se superiorizar ao Sporting em termos de golos marcados, enquanto Portimonense e Rio Ave surgem na casa dos 30 golos, algo que é relevante quando se fala no campeonato português. Na casa dos 30 golos, surge ainda o Vitória de Guimarães, encerrando o “lote” dos “trintões”, o que comprova a dificuldade em concretizar do nosso campeonato, pois são poucas as equipas nesta fase que alvejaram as redes adversárias por mais de 30 ocasiões. Em sentido inverso e para terminar, refira-se o fraco aproveitamento do Marítimo, que é o pior ataque do campeonato, em conjunto com o Moreirense, ambos só com 18 pontos apontados.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter