Onde é que anda o flop: Emerson, um descalabro brasileiro

Rui MesquitaJulho 3, 20185min0

Onde é que anda o flop: Emerson, um descalabro brasileiro

Rui MesquitaJulho 3, 20185min0
A posição de lateral esquerdo sempre foi complicada no clube da Luz e Emerson é um dos maiores exemplos disso mesmo. Descobre o que é feito deste flop brasileiro!

Com a saída de Fábio Coentrão do plantel encarnado no verão de 2011, o Benfica procurou um novo lateral esquerdo. Surgiu, então, Emerson Conceição, lateral brasileiro que já tinha feito 5 épocas no Lille. Nunca se mostrou um lateral de excelência, mas cumpria e era o que lhe era pedido na chegada à Luz.

Os encarnados investiram 2M€ no lateral que chegou para assumir a titularidade. Emerson mostrou-se sempre tremido, com erros recorrentes e calafrios para os adpetos do Benfica. Ofensivamente, onde era esperado que fizesse uso do seu bom cruzamento, Emerson nunca se mostrou em evidência.

Erros e vermelhos, o melhor do brasileiro

Os erros foram-se acumulando e a popularidade de Emerson foi descendo. O Benfica perdeu um dos, à altura, ídolo dos adeptos em Coentrão para ver Emerson “enterrar” a equipa com erros sucessivos.

Nos 39 jogos que o lateral fez pelas “águias” foi expulso por duas vezes. Primeiro na Champions numa vitória frente ao Basileia e a segunda na receção ao FC Porto. Nesse jogo os encarnados estavam empatados a 2-2 até à expulsão de Emerson. Depois disso surgiu o famoso golo de Maicon em fora-de-jogo que deu a vitória aos dragões.

Apesar destes dois vermelhos, a gota de água chegou nos quartos finais da Champions com o Chelsea. Erros infantis que culminaram numa má abordagem a um contra-ataque do Chelsea que terminou num golaço de Raúl Meireles. Dois baldes de água fria para os encarnados: a eliminação da Champions e um golo de um ex-rival.

A época terminou com os adeptos a temerem sempre que a bola chegava aos pés de Emerson. Assim, o final da época levou à saída do brasileiro. A passagem pela Luz fui curta mas marcante já que poucos benfiquistas se esqueceram do lateral, ainda que pelas piores razões.

Emerson teve muito problemas nos jogos com o Chelsea (Foto: Zimbio)

Pode argumentar-se que Emerson entrou mal na equipa e que isso foi a sua sentença, ou que Jorge Jesus nunca foi um treinador fácil, mas o brasileiro tem a sua quota parte de culpa. Sempre muito inseguro em todos os momentos do jogo, nunca se assumiu defensiva ou ofensivamente. A ligação com Nico Gaitán nunca apareceu e isso só ajudou à saída prematura da equipa.

Emerson acabou por ser um bode expiatório para a época pouco conseguida dos encarnados. O brasileiro abandonou Lisboa apenas com uma Taça da Liga conquistada e como um dos responsáveis pelo segundo lugar no campeonato.

O pós-Benfica e o desemprego

Os encarnados venderam Emerson aos turcos Trabzonspor por 1,6M€ no verão de 2012, perdendo assim 400mil€ no negócio. A estadia de Emerson na Turquia durou também apenas 1 ano. Fez 22 jogos e marcou 2 golos e parecia voltar à segurança e qualidade que se havia visto no Lille. Apesar disso, o final da época trouxe uma nova equipa: Rennes.

Em agosto de 2013 Emerson assinou a custo zero pela equipa francesa, mas em março (apenas 13 jogos depois) foi dispensado para regressar ao seu país natal. Assinou pelo Atlético Mineiro onde, ainda em 2014 fez 22 jogos. Apesar das experiências falhadas, a sua experiência no futebol europeu (principalmente no Lille) diferenciavam-no dos restantes. Foi uma peça importante na conquista da Copa do Brasil numa equipa onde figuravam jogadores como Otamendi e Ronaldinho Gaúcho.

O brasileiro foi peça importante no Atlético Mineiro (Foto: torcedores.com)

Na época seguinte, e já com 29 anos, Emerson fez apenas 2 jogos e, em janeiro de 2016 foi dispensado do Atlético ficando desempregado. Apenas em junho voltou a assinar contrato, desta vez com o Coritiba. Apesar disso Emerson fez apenas 1 jogo durante toda a temporada e acabou novamente dispensado em janeiro de 2017.

Pensava-se que o lateral brasileiro teria pendurado as chuteiras devido à ausência tão longa mas em março deste ano Emerson voltou ao ativo. Assinou contrato pelo Rio Branco FC da 4ª divisão brasileira. A sua grande experiência pode trazer coisas interessantes a um clube modesto mas com ambições de subir de divisão. Emerson fez já 3 jogos pelo Rio Branco.

Títulos e conquistas

O título mais importante da carreira de Emerson é, sem dúvida, a Liga Francesa em 2010/2011. Titular em 17 dos 38 jogos (suplente utilizado em mais 3), Emerson fez parte do núcleo duro da conquista extraordinária do Lille. Relembrar que faziam parte dessa equipa Yohan Cabaye, Gervinho e um belga de 20 anos de seu nome Eden Hazard.

Para além dessa Ligue 1, da Taça da Liga e da Copa do Brasil já referidas, Emerson conquistou mais dois títulos. A Taça de França no mesmo ano do campeonato e ainda uma Recopa Sudamericana pelo Atlético Mineiro.

A juntar a esses troféus, o lateral esquerdo foi um jogador respeitado no Lille e com um talento para chegar longe. A chegada ao Benfica era vista como um novo desafio mas foi um desastre. Um verdadeiro flop, como vários laterais esquerdos que passaram na Luz.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter