Mister Vitória, traga lá esse penta!

Rui MesquitaMarço 12, 20187min0

Mister Vitória, traga lá esse penta!

Rui MesquitaMarço 12, 20187min0
O Benfica voltou a vencer na Luz e o Porto escorregou em Paços. Mas conseguirão as águias chegar ao desejado penta?

O Futebol Clube do Porto é líder com 2 pontos de avanço, mas faltam 8 jornadas e um Clássico na Luz. A derrota dos dragões em Paços de Ferreira abriu (ainda mais) caminho a uma luta pelo título. Até maio ainda muito campeonato temos pela frente e o penta mais que um sonho é um objetivo. Analisamos as possibilidades dos encarnados de chegar ao título, considerando o atraso em relação aos dragões.

O penta depende muito da capacidade de Rui Vitória em motivar a equipa e em preparar os jogos grandes (Foto: MaisFutebol)

Os números e o calendário

26 jogos, 20 vitórias, 65 pontos, 69 golos marcados e 16 sofridos. A derrota em casa do Boavista foi o ponto mais baixo da campanha na Liga NOS à qual se juntam 5 empates. O início de época foi atribulado e o Benfica paga isso agora na luta final pelo penta.

O Porto tem, como disse, 2 pontos de vantagem. 21 vitórias, 68 golos marcados e 14 golos sofridos. Os números mostram um equilíbrio entre estes dois “grandes” do futebol português e mostram a evolução do Benfica. Os últimos 10 jogos acabaram em 9 vitórias e 1 empate, provando o bom momento das águias. Um Benfica em crescendo e um Porto num momento de possível quebra (como mostra a derrota e o empate nos últimos 10 jogos do campeonato).

O calendário é, ainda assim, mais simpático com a equipa do Norte. As deslocações mais difíceis são à Luz e à Madeira para defrontar o Marítimo. O Benfica para além da receção ao Porto vai a Alvalade na penúltima jornada. Apesar das surpresas poderem acontecer a qualquer momento, um derby e um Clássico tornam o calendário encarnado mais complicado.

Krovinovic entrou muito bem no novo sistema de Rui Vitória e foi o melhor do Benfica até à lesão (Foto: SL Benfica)

O futebol, a sua evolução e onde pode chegar

O futebol encarnado começou atribulado e sem soluções. O 4-4-2 que tantos sucessos trouxe à Luz não estava a resultar nesta época. Apesar do começo forte de Seferovic na frente, o meio campo do Benfica não criava soluções. Com a eliminação da Liga dos Campeões e o atraso no campeonato, Rui Vitória impôs mudanças. Surgiu o 4-3-3 com Krovinovic e chegou o bom futebol encarnado.

Com a presença de um terceiro médio as soluções aumentaram exponencialmente. Krovinovic pegou na equipa como ninguém o fazia até ao momento e compensou o apagão de Pizzi (que ainda dura). O Benfica jogava como nunca até que o médio croata se lesionou. Perante a possibilidade do regresso ao futebol pobre, ficamos em expetativa para ver quem ocupava o lugar de Krovi (veja aqui a nossa análise nesse momento).

Aí entrou Zivkovic para o miolo e mais uma surpresa aconteceu. O sérvio assentou que nem uma luva e o futebol encarnado não perdeu muito com a mudança. Uma solução que mostra a variedade do plantel de Rui Vitória e a sua profundidade.

Mas até onde poderá chegar o futebol encarnado? O crescendo da qualidade é evidente mas chegará para levar de vencido os dois rivais? Serão dois jogos complicados para Rui Vitória mas onde o Benfica não parte atrás. O modelo de 3 médios dá mais estabilidade ao jogo encarnado e isso pode ser decisivo. Mais qualidade de passe e de construção e mais equilíbrio sem bola. Portanto, a resposta à pergunta é: ao penta!

O médio sérvio pegou de estaca na construção dos encarnados e é chave do sucesso do Benfica (Foto: MaisFutebol)

Defesa e ataque na mesma página?

O futebol encarnado melhorou e está fluído e empolgante. Mesmo com altos e baixos (como se viu no jogo com o Aves), Benfica tem encontrado soluções para vencer. O 11 base funciona e há qualidade nos três corredores. Na direita, André Almeida está no melhor momento da carreira e Rafa está a soltar-se cada vez mais. Na esquerda, Grimaldo e Cervi são virtuosismo em estado puro. No centro Zivkovic e Jonas fazem as delícias dos adeptos com tabelas e jogadas de envolvimento.

E há sempre o fator Jonas. O goleador encarnado leva 30 golos em 26 jogos e tem sido decisivo. Golos de todas as formas e uma disponibilidade para o jogo como nunca. É, mais que qualquer outro, o elemento chave do 4-3-3 de Rui Vitória. O avançado brasileiro é a alma e segredo desta equipa.

Se ofensivamente as coisas parecem bem oleadas, defensivamente o caso é outro. É certo que o Benfica apenas sofreu 6 golos nos últimos 11 jogos do campeonato, mas a defesa está longe de estar segura. Bruno Varela ainda não convenceu na baliza, mostrando insegurança com os pés e nas saídas. A dupla Jardel Rúben Dias está a funcionar muito bem e por aí tem passado o baixo número de golos sofridos. Grimaldo tem mostrado muita fragilidade a defender, criando um problema contra extremos de qualidade.

Contra dragões e leões a defesa encarnada terá que estar no seu melhor para segurar os ataques adversários. Aí sobressai o papel de Fejsa nas compensações e “dobras”. O ataque tem que manter o futebol que tem apresentado e que coloca o Benfica sempre mais perto da vitória.

Grimaldo é o espelho deste Benfica: muito forte a atacar mas com algumas limitações a defender (Foto: Jogadores PT)

O penta: uma realidade ou um sonho?

Com tudo isto, resta concluir: chegará o Benfica ao penta? A minha convicção é que sim, com 8 jornadas para o fim é possível alcançar o tão desejado título! O jogo com o Porto é crucial e não perder mais pontos também. O futebol praticado coloca o Benfica no caminho certo para o título, falta a estrelinha de campeão. Rui Vitória tem conseguido motivar as suas equipas para acabarem o campeonato em alta e vencerem os jogos cruciais. Cabe ao técnico ribatejano voltar a fazê-lo para ganhar os dois jogos com os rivais.

Jonas: classe em estado puro. Tem levado o Benfica nas suas costas (Foto: SL Benfica)

O Porto parte como favorito. Os pontos de vantagem e o calendário mais simpático ditam-no. Mas Rui Vitória e o Benfica ainda têm uma palavra a dizer e lutarão até ao fim. O penta não é um mero sonho mas não é tarefa fácil. Apesar disso, se há forma de lá chegar é jogando como o Benfica tem feito: com qualidade e cheio de soluções. Portanto, mister Vitória, mantenha o bom futebol e traga lá esse penta!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter