08 Ago, 2018

Supertaça Francesa: Que notas tirar do primeiro jogo da época?

José Nuno QueirósAgosto 6, 20185min0

Supertaça Francesa: Que notas tirar do primeiro jogo da época?

José Nuno QueirósAgosto 6, 20185min0
O PSG cilindrou por 4-0 o Monaco na supertaça francesa e na cabeça das pessoas começaram a surgir alguma interrogações que aqui procuramos responder.

A supertaça francesa foi um passeio para o PSG que assim igualou o número de títulos do Lyon, bem como o record de títulos consecutivos, também pertencente ao Lyon.

Com um resultado esmagador por 4-0, não restaram dúvidas sobre quem foi a equipa mais forte desta partida, tendo inclusive Leonardo Jardim reconhecido o inegável mérito da equipa de Tuchel na conquista do troféu.

No entanto há algumas questões que surgem de imediato nos adeptos do futebol gaulês e que podem merecer uma análise mais detalhada.

Este jogo serve para fazer uma análise do que vai ser esta Liga Francesa?

A resposta mais simples é não. Toda a gente sabe que tirar conclusões com base num jogo e projetar para a época inteira pode ser um erro muito grave de se cometer, e não deve haver dúvidas nenhumas que Tuchel foi o primeiro a colocar os pés no chão e a desvalorizar a conquista do troféu no balneário parisiense.

As equipas que se apresentaram na China para disputar a supertaça francesa estão bem longe de ser as equipas que PSG e Monaco vão apresentar nos próximos jogos, com vários ausentes pelas mais diversas razões como lesões ou ainda as férias do Campeonato do Mundo.

Com apenas 4 potenciais titulares na equipa o PSG mostrou, principalmente, que tem muito boas soluções no banco de suplentes, e se alguns jogadores já eram obviamente “suplentes de luxo” como Di Maria (grande jogo do ex-benfica). Outros como Nkunku ou Rimane, mostraram ser nomes que podem ser importantes no futuro do PSG ainda esta época, num jogo que serviu ainda por ver mais de Weah que cada vez mais parece empenhado em deixar uma marca como o seu pai.

A esperança de Nkunku aliada à experiência de Di Maria foram demolidoras (Fonte: Zhizhao Wu/Getty Images)

Do lado do Monaco, onde Falcao é a maior ausência, ficou bem claro que o 3x5x2 não tem condições para funcionar na liga francesa e que é preciso reforçar alguns sectores da equipa, bem como renovar o centro da defesa onde Glik não tem “pernas” para jogar ao mais alto nível.

Começam já a ser muitas humilhações em jogos com o PSG e Leonardo Jardim parece ter como única tarefa potenciar jovens jogadores para o mercado para se poder desenvolver outros novos jogadores ano após ano numa lógica mais empresarial do que desportiva.

O campeonato é longo e não se decide numa partida, e nessa lógica, as equipas de topo podem tentar lutar com PSG caso não escorreguem em jogos contra os ditos “pequenos”.

 

Será este Monaco a segunda melhor equipa em França ou vai ser ultrapassado este ano?

Depois do título de há duas épocas o Monaco, teve uma queda agressiva com a saída das suas principais peças e acabou a lutar contra Marselha e Lyon pelo segundo lugar do campeonato, de onde saiu vitorioso e onde se assumiu como principal candidato a destronar o PSG nesta época.

Olhando para o plantel destas 3 equipas que lutaram por este título de “melhor segundo” e apesar deste jogo, podemos dizer que o Monaco é o mais forte candidato a aparecer na luta com o PSG e que os jogos entre ambos vão ser sempre os jogos que mais atração vão atrair para a Liga Francesa.

Com mais um ano de grandes vendas e bons investimentos, o Monaco pode criar um plantel jovem que se torne competitivo e com uma boa dinâmica, fruto do tempo de  trabalho do treinador, tendo Jardim e os responsáveis monegascos ainda tempo para contratar algumas peças para o onze inicial, e onde jogadores como Rony Lopes ou Tielemans podem finalmente explodir e mostrar todo o seu potencial ao mundo.

Outras equipas vão de certeza aparecer nos lugares cimeiros, mas a não ser que haja uma avalanche no principado, os Monegascos devem conseguir alcançar, pelo menos, o objetivo mínimo.

Conseguirá o Monaco “bloquear” os oponentes na Liga (Fonte: SAPO)

Será esta a última época de Leonardo Jardim ao comando do Monaco?

O técnico português conseguiu o impensável durante muito tempo, destronar o PSG, e onde mais do que a quebra dos parisienses, foi visível o mérito do Monaco, que aliou a sua juventude a grandes exibições e provou ser melhor que os rivais, como provou a camapnha europeia que terminou nas meias finais.

Com tudo isto o técnico português já conseguiu mais do que alguma vez os responsáveis lhe pediram e muito mais do que alguma vez os responsáveis monegascos lhe deram.

Leonardo teve sempre que pegar em jogadores jovens e extrair o máximo possível deles para poder fazer uma equipa competitiva, sendo que todos os jogadores que atingiam um nível de excelência eram imediatamente vendidos por preços exorbitantes para garantir novos jovens investimentos na época seguinte.

Costuma-se dizer que “sem ovos não se faz omeletes”, mas Jardim parece conseguir mesmo isso e ao mesmo tempo cumpre com aquilo que parece preocupar mais os responsáveis do Monaco: fazer dinheiro para compensar o investimento.

O Monaco, sob o comando de Leonardo Jardim, conseguiu fazer algumas das melhores vendas dos últimos anos, sendo uma referência no mercado e atingindo o auge com a venda de Mbappé que com 18 anos garantiu 180M aos cofres do clube do principado.

Portanto, apenas uma época muito terrível ou uma proposta irrecusável parecem ser opções plausíveis para Jardim abandonar o comando da equipa, isto apesar de parecer sempre um “brinquedo de peluche” para o PSG, onde voltou a falhar redondamente.

Leonardo Jardim tem tudo para continuar a servir os monegascos (Fonte: SAPO)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter