La Liga Scouting #33 – Matheus Cunha (Atlético Madrid)

Bruno DiasDezembro 16, 20215min0

La Liga Scouting #33 – Matheus Cunha (Atlético Madrid)

Bruno DiasDezembro 16, 20215min0
Novo capítulo na rúbrica "La Liga Scouting". Desta vez, vamos a Madrid para conhecer uma contratação recente para o ataque dos "colchoneros".

Campeão em título da “La Liga“, cedo se percebeu que o Atlético Madrid de Diego Simeone pretendia aumentar o seu poder de fogo para atacar a nova temporada. Apesar de toda a sua qualidade, Luis Suárez já não vai para novo (34 anos) e tanto o argentino Ángel Correa como o português João Félix, sendo bastante capazes na finalização, não possuem um perfil que lhes permita actuar regularmente como o “9” dos “colchoneros“.

É assim que, juntamente com o regresso de Antoine Griezmann, chega a Madrid o 33º jogador do “La Liga Scouting“. Aos 22 anos, Matheus Cunha é contratado por um clube de topo espanhol e europeu após uma passagem muito positiva pela Alemanha, ao serviço do Hertha de Berlim, onde apontou 13 golos e 10 assistências em 40 jogos.

Formado na academia do Coritiba, no Brasil, Matheus chega à Europa em 2017, para representar o Sion. Os 10 golos e 8 assistências que aponta na primeira temporada chamam de imediato a atenção do emergente RB Leipzig, na Alemanha, e o brasileiro rende 15M€ aos cofres do clube suíço. Só que, talvez pela sua juventude, demonstra algumas dificuldades em conquistar o seu espaço no clube alemão, acabando por sair para Berlim após um ano e meio pouco virtuoso, onde se impõe então da forma já mencionada acima.

Para além da sua carreira ao nível de clubes, também nas selecções brasileiras Matheus Cunha tem crescido de forma exponencial. Os últimos meses viram o avançado conquistar uma medalha olímpica, nos Jogos Olímpicos de Tóquio, bem como estrear-se na selecção principal “canarinha”, frente ao Chile, num jogo a contar para a qualificação para o Mundial 2022.

(Foto: premierleaguebrasil.com.br)

Todo este percurso leva a crer que, com a sua chegada ao Atlético, Matheus poderá entrar agora numa nova fase de crescimento e reconhecimento para a sua ainda jovem carreira.

 

Como joga… Matheus

Utilizando preferencialmente o seu pé direito, Matheus Cunha é um avançado versátil, que pode actuar como “9” mas que possui também a capacidade de se adaptar a diversas posições e formas de jogar no plano ofensivo.

Forte fisicamente e com a morfologia de um avançado-centro clássico (1,84m), o brasileiro complementa ainda o seu jogo com uma velocidade e agilidade muito interessantes, que lhe permitem ter no 1×1 uma “arma” incomum e que o tornam num oponente difícil de defender.

Esta flexibilidade táctica e individual encaixam bem no 4x4x2 tradicional de Simeone nos “colchoneros“, com Matheus a acrescentar assim um perfil distinto aos avançados do plantel e que também lhe permite poder emparelhar, virtualmente, com qualquer outro colega de equipa na dupla de ataque.

Tecnicamente muito evoluído, a sua movimentação facilita um tipo de futebol mais apoiado e que beneficia não só as suas características como também as dos seus companheiros mais próximos. Constantemente à procura de espaços livres na organização defensiva contrária, Matheus utiliza o seu físico e a sua capacidade técnica para servir de apoio frontal aos colegas ou para explorar o espaço entrelinhas, com rápidas recepções orientadas que o enquadram de imediato com a baliza adversária.

Outra das acções em que o brasileiro marca claramente a diferença é no drible e na forma como transporta a bola. Com curtas mas potentes acelerações, quebra linhas através do drible, fixa adversários e possui uma qualidade acima da média na forma como cria e descobre soluções para dar continuidade aos lances no meio-campo ofensivo.

Defensivamente, o brasileiro encaixa também naquilo que é a filosofia inegociável de Simeone, de constante trabalho defensivo, reacção imediata à perda e pressão sobre o portador da bola. Aqui, actuando principalmente como o elemento mais adiantado da equipa, Matheus poderá ser a alternativa perfeita a Suárez, permitindo ao treinador manter os níveis de intensidade defensiva desde o seu “primeiro defesa”, mesmo com alguma rotação na dupla de ataque.

Tem ainda trabalho a fazer ao nível da tomada de decisão, dado que possui tendência para se lançar em iniciativas individuais em situações com poucas hipóteses de sucesso, mesmo em lances onde pode fazer o jogo fluir de forma simples. Algo que, olhando ao seu perfil, poderá ser refinado com o passar dos anos e uma maior maturidade no seu jogo, mas também com o fixar do brasileiro num papel mais claro e definido no ataque.

Entre as competências físicas, atléticas e técnicas de um “9” e a criatividade, a capacidade de drible e a inteligência nas movimentações de um segundo avançado, Matheus Cunha poderá beneficiar imenso de uma maior estabilidade nas zonas que pisa no relvado. Veremos se este Atlético poderá providenciar-lhe essa estabilidade, à medida que o jogador começa a aproximar-se dos seus melhores anos.

(Foto: eldesmarque.com)

Aos 22 anos, esta é já a quinta época de Matheus Cunha no futebol europeu, a quarta nos seus principais campeonatos. Face ao rendimento apresentado até este momento e com a margem de progressão que ainda possui, vê-lo como um nome de destaque para os próximos anos do futebol brasileiro e da alta roda espanhola e europeia parece ser uma aposta segura.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter