La Liga Scouting #31 – Yéremy Pino (Villarreal CF)

Bruno DiasOutubro 16, 20215min0

La Liga Scouting #31 – Yéremy Pino (Villarreal CF)

Bruno DiasOutubro 16, 20215min0
Edição #31 do "La Liga Scouting", com uma "pérola" de apenas 18 anos que já se estreou pela principal selecção espanhola.

Apesar da visibilidade mediática da “La Liga” ter sofrido duros golpes com as partidas de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi nos mais recentes anos, isso não significa que os motivos de interesse e a qualidade associada a um dos maiores campeonatos do planeta tenham desaparecido por completo. Os “craques” de topo mundial, as grandes equipas europeias, os estádios míticos e os jovens talentos de enorme potencial continuam a ser uma realidade característica do futebol espanhol.

Um desses jovens talentos é Yéremy Pino. Nascido em Las Palmas, nas Canárias, juntou-se ao Villarreal em 2017, depois de alegadamente ter preferido o clube “amarillo” ao FC Barcelona. Aos 16 anos, estreou-se no futebol sénior pela equipa “C” do clube, na divisão espanhola, e não mais parou de “saltar etapas”.

Lançado por Unai Emery na temporada passada, após ter impressionado o técnico espanhol na pré-época, Yéremy é mais um caso que começa a corresponder à generalidade dos que abordamos nesta rúbrica, no sentido em que também ele é um jovem que tem visto a sua carreira ascender de forma meteórica. Estreou-se na equipa principal com 18 anos e 2 dias, o que significa que não passou sequer um ano desde que teve a oportunidade de catapultar o seu talento para as luzes da ribalta.

Um ano em que tudo e mais alguma coisa ocorreu na sua carreira desportiva. À estreia pela equipa principal – numa partida da Liga Europa frente aos turcos do Sivassporseguiu-se a estreia na “La Liga”, 3 dias depois, e o primeiro golo, uma semana depois frente ao Qarabag, também na competição europeia. O Villarreal acabaria por concluir e coroar uma boa temporada de forma gloriosa, com a conquista da Liga Europa, e Yéremy tornou-se também aí um recordista, pulverizando os registos de Iker Casillas e de Robin Van Persie como o mais jovem jogador a ser titular numa final europeia e a vencer a competição, respectivamente.

O seu excelente desempenho na temporada de estreia não passou despercebido aos “radares” da selecção espanhola, e em Março deste ano o jovem espanhol estreou-se pelos sub-21, directamente no campeonato europeu da categoria. Já nos últimos dias, a sua ascensão nacional chegou a um patamar ainda mais alto, com a convocatória para a selecção A espanhola e a estreia nas meias-finais da Liga das Nações, frente à Itália.

Seja pela forma como a sua carreira se tem desenrolado, seja pelo seu próprio estilo de jogo, Yéremy parece não só não se atemorizar com os grandes palcos, como estar até perfeitamente talhado para eles.

(Foto: footballtransfers.com)

Como joga… Yéremy

O avançado do Villarreal é um daqueles jogadores que rapidamente “salta à vista” do adepto de futebol que o vê jogar pela primeira vez. Yéremy é um destaque da distintividade que muitas vezes caracteriza o futebol, um “espalha-brasas” como os que ocasionalmente são utilizados quando se pretende demonstrar a espectacularidade da técnica individual no desporto.

No entanto, ao contrário do que regularmente acontece com este tipo de jogadores, Yéremy também se demonstra altamente trabalhador sem a bola no pé e também possui uma boa relação com as zonas de finalização, surgindo frequentemente à procura do golo na área adversária. Rápido e bastante ágil, estas características atléticas aliam-se a essa vontade de ferir as redes contrárias para definir um avançado que, para além de toda a qualidade com bola, é também uma arma de respeito na procura da profundidade (aspecto que o Villarreal de Emery gosta de explorar).

Normalmente bem aberto nos corredores laterais, Yéremy vive para os momentos em que recebe a bola e pode encarar o seu adversário (ou adversários) directo nos duelos individuais. Dono de uma aprimorada técnica e de um bom manancial de recursos no drible, encara o defesa com coragem, procura correr riscos e gosta de visar a baliza assim que sai da finta, dado que também possui qualidade no remate. É um extremo de uma espécie que já não é tão comum assim: aquela que possui um tipo de “arrogância” positiva, pela forma como se comporta dentro das quatro linhas e por não dar nenhum sinal de receio em tomar decisões com a bola nos pés.

É ainda um talento por lapidar, sobretudo nos momentos de tomada de decisão e até naqueles que envolvem uma leitura de jogo mais altruísta e menos individualista. Mas nem outra coisa seria de esperar, quando consideramos que estamos a falar de um “menino” de 18 anos que tem conquistado de forma vertiginosa o seu espaço no futebol. Tentar transformar Yéremy num “robot” de boas mas previsíveis decisões, agora, seria castrar o seu desenvolvimento natural e aquilo que o distingue de tantos outros jogadores da sua idade, que não possuem o seu arrojo e a sua capacidade de criar desequilíbrios.

Tal como em muitos outros casos precoces, o segredo será perceber se Yéremy será capaz de manter esta evolução constante no seu jogo e na sua carreira. Se o fizer, poderemos estar na presença de mais um nome a decorar para a próxima década do futebol espanhol e europeu.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter