La Liga Scouting #21 – Yangel Herrera (Granada CF)

Bruno DiasNovembro 16, 20205min0

La Liga Scouting #21 – Yangel Herrera (Granada CF)

Bruno DiasNovembro 16, 20205min0
Edição #21 do "La Liga Scouting". O escolhido é um sul-americano que tem feito da "La Liga" a sua casa futebolística nos últimos 2 anos.

Há uns dias, falávamos por cá do Granada de Diego Martínez, que tem sido uma das sensações da “La Liga” desde que conquistou a promoção ao principal escalão do futebol espanhol, há duas épocas atrás.

No “La Liga Scouting” desta semana, continuamos na Andaluzia, para dar a conhecer uma das peças que transforma o Granada numa equipa que continua a superar as melhores expectativas de todos aqueles que acompanham esta liga. Com 22 anos, Yangel Herrera vai já na sua terceira temporada em Espanha, e o seu impacto no futebol espanhol é cada vez mais visível e evidente.

Formado no seu país-natal, Herrera deu primeiramente nas vistas através da selecção venezuelana de sub-17, no mundial da categoria em 2017. Nessa edição, o médio – capitão da selecção – ajudou a levar o seu país à final da competição, perdendo apenas para a Inglaterra. Por esta altura, já o “gigante” Manchester City tinha percebido o talento que ali existia, tendo avançado para a sua contratação, emprestando-o de imediato para a MLS, para uma das equipas do “City Football Group“, o New York City FC.

No futebol norte-americano, e a jogar ao lado de nomes consagrados como David Villa ou o seu “professor” Andrea Pirlo, Herrera continuou a demonstrar qualidades invulgares para a sua idade e para o contexto onde actuava, levando inclusive a que o seu treinador – outra lenda do futebol, o francês Patrick Vieira – avançasse progressivamente para a substituição de Pirlo na equipa pelo venezuelano, naquele que foi o último capítulo da carreira do italiano dentro das quatro linhas.

Chega à “La Liga” em Janeiro de 2019, a meio da temporada espanhola e para actuar no recém-promovido Huesca, que se encontrava em grandes dificuldades na tabela classificativa. O contexto não é o melhor, e os 6 meses de Yangel no clube “azulgrana” revelam-se algo desapontantes. Na temporada seguinte, muda-se para a Andaluzia, e a sua carreira em Espanha atinge o ponto de viragem de que o venezuelano precisava para se começar a impor no futebol europeu.

(Foto: desporto.sapo.pt)

Como joga… Yangel

Herrera é um médio surpreendentemente completo. Com uma capacidade física/atlética acima da média e um motor inesgotável, aliados a atributos técnicos muito apreciáveis e uma boa meia-distância, o venezuelano é capaz de fazer um pouco de tudo.

Na sua origem, despontou como médio mais defensivo, dando primazia às características mais facilmente reconhecíveis do seu jogo, num primeiro olhar mais desatento. Com 1,84m, Herrera é dono de uma estampa física imponente e que faz a sua presença sentir-se na zona central do terreno. Forte no desarme e agressivo no ataque ao portador da bola – característica inconfundível de tantos e tantos médios sul-americanos -, facilmente condiciona a construção adversária e recupera inúmeras bolas para a sua equipa. Fiável e consistente, raramente comete erros que comprometam a estabilidade defensiva. Demonstra ainda alguns excessos de impetuosidade, naturais num jogador com as suas origens e ainda pouco experiente ao mais alto nível, que ocasionalmente o colocam em problemas do ponto de vista disciplinar. Mas a expectativa é a de que a sua evolução traga maturidade ao seu jogo e, consequentemente, resolva essa questão.

No entanto, e por muito que a primeira impressão nos dirija para um jogador de cariz defensivo, é através do que oferece quando a equipa tem a bola que Herrera ganha uma outra dimensão qualitativa. Além de sólido e bastante capaz no plano defensivo, o venezuelano influencia ainda um sem número de variáveis ofensivas.

Forte no transporte de bola, usa e abusa dessa capacidade para quebrar linhas através do drible e carregar a equipa para ataques rápidos e incisivos. Com pormenores criativos ocasionais, encontra também forma de se libertar dos seus adversários directos em espaços curtos, embora esta seja uma área onde o seu jogo ainda necessita de evolução. Pela qualidade e alcance no passe que também possui, Herrera é uma opção forte e segura para actuar quer como 6, quer como 8, dependendo do modelo da equipa. Também na polivalência, o venezuelano marca pontos e garante consistência.

O seu estilo adequa-se na perfeição ao futebol de um Granada que, tal como referimos por aqui recentemente, vive e morre pelo seu estilo aguerrido, determinado e de luta constante. Originário da América do Sul, é na Andaluzia – a muitos quilómetros de distância da sua primeira casa – que Yangel Herrera parece ter encontrado a sua casa futebolística. O futebol espanhol agradece, e acolhe-o de braços abertos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter