Colorado Rapids. Mudanças na procura pelo sucesso

Diogo MatosJaneiro 15, 20195min0

Colorado Rapids. Mudanças na procura pelo sucesso

Diogo MatosJaneiro 15, 20195min0
Depois de uma temporada bastante negativa, os Colorado Rapids têm atacado em força o mercado de transferências na MLS. Conseguirá a equipa do estado do Colorado causar impacto na competição em 2019?

Depois de uma temporada aquém das expectativas, na qual terminaram o campeonato no 11º lugar da Conferência Oeste, os Colorado Rapids procuram fazer melhor figura na época que se avizinha. Nesse sentido, o conjunto do estado do Colorado tem apostado forte do mercado de transferências, sendo já vários os jogadores de qualidade a chegar ao plantel às ordens de Anthony Hudson.

 

Contrariar a história recente

Os últimos anos do clube não têm sido propriamente felizes. Nas últimas cinco edições da Major League Soccer, os Colorado Rapids só por uma vez chegaram aos playoffs. Em 2016, a equipa que contava com nomes como Howard, Sjoberg, Watts, Powers, Jones, Gashi, Le Toux e Doyle, conseguiu chegar às meias-finais da competição, sendo apenas eliminada pelos Seattle Sounders, formação que acabaria por conquistar o troféu.

Em 2017, ainda com Pablo Mastroeni no comando técnico da equipa, os Rapids fecharam o ano no décimo posto da Conferência Oeste, com apenas mais um ponto que os últimos classificados, os LA Galaxy. Eram necessárias mudanças no clube que venceu a Major League Soccer em 2010, e Anthony Hudson, antigo selecionador da Nova Zelândia, assumiu o cargo de treinador dos Colorado Rapids.

 

Anthony Hudson chegou aos Colorado Rapids em 2017 (Fonte: Colorado Rapids)

 

A verdade é que, na sua época de estreia no Estados Unidos da América, o técnico de 47 anos não conseguiu fazer melhor que o seu antecessor, terminando a temporada nos lugares mais baixos da tabela classificativa. Podem ser apontadas várias razões para o insucesso dos Rapids, mas a falta de qualidade do plantel é, porventura, um dos aspetos mais relevantes para se explicar a má prestação do clube.

Apesar de Kellyn Acosta, uma das maiores promessas do futebol norte-americano, ter chegado a Colorado, a equipa perdeu para os FC Dallas aquele que vinha sendo o elemento mais preponderante a nível ofensivo, Dominique Badji. Os Colorado Rapids terminaram a época com oito vitórias, sete empates e 19 derrotas em 34 jogos e com apenas 36 golos marcados, contra os 63 sofridos.

 

Objetivo: Playoffs

Após a má campanha na edição de 2018 da Major League Soccer, a direção dos Colorado Rapids “arregaçou as mangas” e rapidamente começou a trabalhar de forma a tornar o plantel mais competitivo.

A primeira contratação do conjunto que venceu a MLS em 2010 foi Nicolás Mezquida, médio-ofensivo/extremo de 26 anos que atuava nos Vancouver Whitecaps. Para além do uruguaio, chegaram também ao Colorado nomes como Clint Irwin, naquilo que é um regresso a casa, Kei Kamara e Benny Feilhaber, dois dos atletas mais experientes da competição, e Keegan Rosenberry e Diego Rubio, dois jogadores jovens que procuram afirmar-se por completo na Major League Soccer.

 

 

XI provável dos Colorado Rapids para a temporada de 2019

Sendo certo que fazer este tipo de exercícios, ainda para mais numa fase tão precoce da temporada, é sempre algo difícil, é possível tentar-se prever aquele que vai ser o XI base de Anthony Hudson para a temporada de 2019. Apesar de ter variado algumas vezes o sistema tático ao longo da última época, o 4-4-2 losango foi o mais usado pelo técnico norte-americano, portanto vamos construir o “nosso” XI com base nessa tática.

Na baliza, o veterano Tim Howard deve continuar a merecer a confiança do treinador. Apesar disso, e tendo em conta que o guarda-redes de 39 anos não teve uma época muito feliz em 2018, ao mínimo deslize, Clint Irwin estará pronto para assuimir a titularidade.

Keegan Rosenberry deverá ser dono e senhor da lateral direita da defesa. No centro da defesa, Tommy Smith e Axel Sjoberg, se se conseguir manter saudável ao longo de toda a temporada, deverão ser os dois centrais titulares. Na lateral esquerda, com a saída de Edgar Castillo para os New England Revolution, o neo-zelandês Deklan Wynne é o presumível titular.

 

Benny Feilhaber chega aos Colorado Rapids proveniente dos Los Angeles FC (Fonte: Angels on Parade)

 

No setor intermédio do campo, Jack Price tem todas as condições para se manter como um dos indiscutíveis para Hudson, isto depois de ter alinhado em 31 jogos na época transata. Keelyn Acosta e Benny Feilhaber, devido à cotação com que chegaram à equipa dos Colorados Rapids, devem ser os titulares como médios centro, cabendo a Nicolás Mezquida o papel de ser o organizador de jogo.

Por fim, mas não menos importante, Kei Kamara e Diego Rubio devem fazer parelha na frente de ataque, naquilo de promete ser uma temporada de maior sucesso a nível de finalização para os Rapids do que a de 2018.

Artigo escrito por Diogo Matos, administrador e fundador da página MLS Portugal.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter