Top 3 – Jogadores de destaque no 1º turno do Brasileirão

Rafael RibeiroAgosto 25, 20186min0

Top 3 – Jogadores de destaque no 1º turno do Brasileirão

Rafael RibeiroAgosto 25, 20186min0
O primeiro turno do Campeonato Brasileiro terminou com o São Paulo na liderança, mas o campeonato mais equilibrado do mundo ainda está longe de acabar. E quem foram as estrelas que chamaram a atenção nesta primeira metade de Brasileirão?

Este será o primeiro de uma série de três artigos resumindo os destaques positivos e negativos do primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2018. Em uma competição tão equilibrada quanto a brasileira, onde os jogadores acima da média estão cada vez mais cedo se transferindo ao velho continente, a qualidade técnica e brilho particular são escassas, e delas é que falaremos aqui. Começando pelos jogadores que fizeram a diferença para suas equipas (mesmo que elas não estejam tão bem) e que, individualmente, merecem o título de destaque nesta primeira metade de campeonato.

Antes de elencarmos o top 3 dos jogadores em evidência, é importante citarmos que a lista se limita àqueles que permanecem na competição, e por este motivo não daremos foco a atletas que poderiam tranquilamente aparecer neste ranking, mas que se transferiram nesta janela de verão e irão abrilhantar outras competições. Caso de Éder Militão, defesa polivalente que estava no São Paulo, e que foi ao Porto recentemente. Arthur, meio campista do Grêmio, que já reforça o Barcelona para a época 18/19 e Vinícius Jr., que está no rival Real Madrid, também poderiam estar cá neste pódio.

1. Pedro (Pedro Guilherme Abreu dos Santos)

Equipa: Fluminense Football Club
Idade: 21 anos (20/06/97)
Posição: Avançado
Golos/Assistências: 10/2

Pedro comemorando (Foto: Lucas Mercon/Flickr)

Pedro é o típico camisola 9, que não víamos por algum tempo entre os jovens desportistas brasileiros. Mesmo Gabriel Jesus, que por vezes exerce a função mais central (inclusive pela Seleção Brasileira, no mundial da Rússia), não é exatamente este jogador. Artilheiro do Brasileirão com 10 gols, Pedro já desperta interesse internacional e não atoa foi chamado por Tite para os próximos amistosos do Brasil contra Estados Unidos e El Salvador, e desequilibra em um Fluminense fora dos eixos. Se a equipa não vai tão bem, e aparece apenas na 9ª posição, Pedro mostra bastante regularidade, e características únicas.

Consegue segurar bem a bola no ataque, principalmente jogando de costas para a defesa, além de ter um bom arremate, seja de média ou longa distância. Desde a saída do ídolo Fred, o Fluminense não conseguia encaixar um bom atleta nesta posição, que perde poucas bolas por jogo (média de 2 bolas perdidas) e sofre bastante faltas perigosas no ataque (média de 3 por embate). Como ponto a melhorar, o condicionamento físico atrapalha as etapas finais dos seus jogos, sendo que seu rendimento cai consideravelmente. Mas este é um ponto a parte, que também deve incluir a maratona de jogos no Brasil e a falta de um elenco melhor a disposição do time carioca.

2. Nene (Anderson Luiz de Carvalho)

Equipa: São Paulo Futebol Clube
Idade: 37 (19/07/81)
Posição: Médio ofensivo
Golos/Assistências: 8/2

Nene no treino do São Paulo (Foto: Getty Images)

Desde que retornou ao futebol brasileiro em 2015 pelo Vasco da Gama, alternou bons e maus momentos dentro do relvado. Despontou no Santos e passou boa parte da carreira na Europa, com passagens por Monaco e PSG. Porém, no São Paulo é que está vivendo seu melhor momento, fruto de um equilíbrio técnico muito grande da equipa. Se antes estava na sombra de Cueva, até então camisola 10 do tricolor, a saída do peruano fez com que Nene virasse ainda mais protagonista, e mesmo com 37 anos tivesse fôlego suficiente para encarar a maioria das jornadas como titular.

Dividindo com Diego Souza a liderança de golos nesta época, Nene tem como principais características o passe com perfeição e o arremate de longa distância, colocado, muito perigoso. A liderança sobre os demais atletas também chama a atenção, pois se não enchem os olhos com um futebol vistoso, a equipa paulista demonstra muita dedicação e união dentro e fora do relvado, conduzidos muitas vezes pelo experiente novo camisola 10. Novamente a maratona de jogos e a falta de um substituto a altura fazem com que o meio campista perca um pouco de sua eficiência nos minutos finais de jogo, até por se doar a marcação de contra ataques.

3. Yago Pikachu (Glaybson Yago Souza Lisboa)

Equipa: Vasco da Gama
Idade: 26 anos (05/06/92)
Posição: Lateral direito/Médio defensivo e ofensivo
Golos/Assistências: 7/1

Yago Pikachu (Foto: Twitter/@Conmebol)

Yago Pikachu (apelido recebido aos nove anos de idade, ainda jogando futsal em sua terra natal, por ter baixa estatura e ser muito rápido), o Pokémon do Pará não gostava de ser chamado desta forma. Mas o tempo fez com que o jogador se tornasse tão famoso quanto o personagem do desenho animado. Polivalente, Yago atua como lateral direito, médio defensivo e médio ofensivo, muitas vezes aberto pelo lado direito, o que fez regularmente no Vasco para ter uma boa média de golos e assistências.

De forma parecida com Pedro do Flu, Yago também está muito acima em rendimento do que sua equipa. O Vasco passa por muitos problemas futebolísticos e administrativos, estando apenas na 14ª posição da competição, com 2 pontos a mais que o primeiro colocado na zona de rebaixamento para a segunda divisão do nacional. Os números do jogador, porém, são bons. Além dos 7 golos e 1 assistência, tem boa eficiência em combates 1×1, em faltas sofridas e desarmes por jornada.

O futuro de Yago também vem sendo discutido no terrirório nacional. Muitos defendem que ele merece uma chance na Seleção Brasileira de Tite, que certamente deverá testar novas surpresas brasileiras para dar corpo ao selecionado nas próximas competições. Se Militão, Arthur, Malcom, Richarlison, Fabinho e tantos outros poderão ter suas chances por atuar na Europa, Pedro, Paquetá e até Yago Pikachu também merecem oportunidades para mostrarem seu trabalho.

No próximo capítulo desta sequência de Top3, iremos abordar os desportistas que, com uma alta expectativa de rendimento, estão deixando a desejar nesta época, principalmente no primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2018. E ao fim destes artigos, teremos o Top3 de treinadores que estão levando suas equipas a um ótimo nível de futebol até aqui, e que despontam como grandes mentes do Brasileirão nesta época.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter