Cruzeiro e Vasco possuem missão difícil para 2022

Rafael RibeiroNovembro 21, 20216min0

Cruzeiro e Vasco possuem missão difícil para 2022

Rafael RibeiroNovembro 21, 20216min0
Faltando duas jornadas para o fim da Série B do Brasileirão 2021, Cruzeiro e Vasco não subiram de divisão. A missão ficou para 2022.

O Campeonato Brasileiro Série B de 2021 está chegando ao fim, e a confirmação que era era esperada veio. Cruzeiro e Vasco não conseguiram o acesso de volta à Série A do Brasileirão. E mais, chegaram a lutar durante boa parte da época para não terem mais um descenso, desta vez para a terceira divisão nacional. O Cruzeiro, neste momento com 47 pontos e a 13ª posição na tabela, está longe da primeira equipa no chamado Z4, o Londrina, com 41 pontos, que não alcança mais a raposa. Já o Vasco, 9º colocado com 49 pontos, também se livrou do rebaixamento, mas amargou a perda da chance de retornar a elite do futebol brasileiro, já que o 4º colocado, Guarani, tem 59 pontos, 10 a mais do que o time carioca.

O Fair Play então faz um balanço da difícil missão que ambas as equipas terão para 2022, já que quanto mais tempo passam na Série B, menos recursos e menos equipa terão para voltar rapidamente à Série A. No caso do Cruzeiro, o time mineiro está em situação mais delicada, e conta inclusive com uma punição da FIFA de não poder contratar novos jogadores por falta de pagamentos anteriores (transfer ban). Já no Vasco, o problema esportivo não é menor. A equipa está sem dirigentes no comando esportivo, e o presidente Jorge Salgado não consegue sequer criar um planejamento para o próximo ano.

O Cruzeiro administrativamente

A dívida que mantém o transfer ban da FIFA é de 13 milhões de reais (em torno de 2 milhões de euros). A diretoria do clube já admitiu não ter condições neste momento de efetuar o pagamento, o que gera uma grande incerteza para 2022, tanto para os jogadores que ficarão no plantel, quanto para novas contratações, proibidas até o momento (condição que já dura quatro meses). Os atrasos salariais foram constantes em 2021, tendo o clube que recorrer algumas vezes aos patrocinadores, como o Supermercado BH.

O time deve praticamente uma folha salarial inteira para jogadores que não estão mais no clube, como o avançado Fred, o lateral esquerdo Dodô e o defesa Dedé. Somente para estes três jogadores, a dívida passa dos 50 milhões de reais até 2026. A dívida total do clube passa dos 900 milhões de reais, dívida que em 2020 já fez o clube perder 6 pontos no Brasileirão por falta de pagamento. O faturamento, prejudicado por estar na Série B, também não ajuda. Os direitos de transmissão ficaram perto dos 40 milhões, e o marketing não conseguiu chegar aos 35 milhões no ano anterior.

Veja nesta matéria detalhada de Rodrigo Capelo ao ge.globo.

O Cruzeiro esportivamente

Vanderlei Luxemburgo foi o nome que resistiu a frente do clube e o levou a permanência na Série B. Nesses últimos dois anos, a equipa igualou o número de técnicos trocados no período de 2011 até 2019. Mano Menezes, que saiu em agosto de 2019, deu lugar a Rogério Ceni, depois Abel Braga, Adilson Batista, Enderson Moreira, Ney Franco, Luiz Felipe Scolari, Felipe Conceição e Mozart. O último, Vanderlei Luxemburgo, já está há mais de um turno a frente da equipa, e se os resultados na competição fossem somente com ele, a equipa estaria um pouco mais a frente, perto da sétima colocação.

Não surpreendentemente, o time teve péssimo rendimento em campo. Dos 37 jogos atuais na Série B, foram 10 vitórias, 17 empates e mais 10 derrotas. 42 golos efetuados e 44 tomados, saldo negativo em golos. Individualmente, nenhum jogador figura entre os melhores da competição, e nomes mais conhecidos como Marcelo Moreno, Rafael Sóbis, Wellington Nem e até mesmo o guarda-redes Fábio, muito identificado com a equipa, não tiveram boas performances.

Vitória comemora gol sobre o Cruzeiro na vitória de 3-0 na 36ª jornada (Foto: Jefferson Peixoto/Estadão Conteúdo)

O Vasco administrativamente

Jorge Salgado, atual presidente da equipa, vai completar um ano de gestão a frente do Vasco. Nesse período, não houve alívio na crise financeira do clube. A dívida passou de 832 milhões de reais de 2020 para 830 milhões até setembro de 2021. O problemas são as dívidas em curto prazo, que aumentaram para praticamente 350 milhões. Tudo isso sem que a equipa saiba o planejamento para 2022, já que não há diretor esportivo contratado. O treinador Fernando Diniz e o diretor de futebol, Alexandre Pássaro, foram demitidos em Novembro, e não há certeza do que será feito a partir de agora.

Contratos precisam ser renovados ou novas contratações feitas. Além de definir o novo treinador, dois nomes de peso precisam de definição para 2022, casos de Leandro Castán e Germán Cano. O primeiro tem contrato para o ano que vem, porém não se sabe se o retorno esportivo é o ideal. Já Cano terá o assédio pesado de equipas da Série A, mesmo sabendo que a intenção do cruzmaltino é segurá-lo para a próxima época. A equipa tem nomes de equilíbrio, como Nenê, Marquinhos Gabriel, Sarrafiore, Rômulo, Zeca e o guarda-redes Vanderlei, porém a folha salarial certamente será discutida.

O Vasco esportivamente

A nona posição de 2021 no Brasileirão certamente foi uma decepção. Diferentemente do Cruzeiro, esperava-se que o Vasco já pudesse retornar ainda este ano para a Série A, mas isso não ocorreu. Na época, foram 13 vitórias, 10 empates e 14 derrotas. 43 golos efetuados e 49 tomados, também com saldo negativo. Cano sem dúvida foi um nome importante na equipa, com 11 golos somados até aqui, e as performances do guarda-redes Vanderlei foram razoáveis, garantindo bons pontos para a equipa.

A definição do próximo técnico será fundamental para saber quais dos jogadores citados acima permanecem, e qual será o posicionamento da equipa durante a pré-temporada, se haverá ou não uma certa renovada no plantel atual. Depois de nomes relevantes no mercado como Lisca e Fernando Diniz, ainda não há nomes na mira da equipa, e o técnico interino Fábio Cortez é quem continua a frente do time. Com o retorno do público aos estádios, a vida dele e dos jogadores não melhorou, já que devido a campanha irregular em 2021, os adeptos tinham o hábito de vaiar os jogadores durante boa parte de cada jornada.

Fábio Cortez, treinador interino do Vasco, permanece a frente da equipa até a contratação de um novo técnico (Foto: Reprodução/Vasco)

Enquanto isso, confira no Ginga Canarinha como está a definição do Brasileirão Série A aqui.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter