Ano perdido para o Atlético Mineiro se brigar apenas pelo Brasileirão?

Rafael RibeiroOutubro 3, 20215min0

Ano perdido para o Atlético Mineiro se brigar apenas pelo Brasileirão?

Rafael RibeiroOutubro 3, 20215min0
Fora da Libertadores, o Atlético Mineiro ainda é postulante à Copa do Brasil e do Brasileirão. Mas se for eliminado da Copa, perderá o ano?

A época de 2021 ruma para seu final e, com isso, decisões estão chegando. Enquanto no Brasileirão ainda estamos no início do segundo turno, nas competições de mata-mata a briga pelo título já está praticamente definida. Na Libertadores, o Atlético Mineiro caiu diante do Palmeiras nas semifinais, apresentando um futebol abaixo do que se esperava. Na Copa do Brasil, ainda está na briga, onde enfrentará na semifinal a boa surpresa do time do técnico Vojvoda, o Fortaleza. O time de Minas Gerais se mostra um dos favoritos, mas além da equipa do Ceará, se for à final poderá encontrar com o poderoso Flamengo se este também passar pelo Athletico Paranaense.

Façamos então um exercício de racionalidade perante o projeto grandioso do Atlético Mineiro para este futuro próximo. Se também for eliminado da Copa do Brasil, e disputar apenas o título do Brasileirão (que não vence desde 1971, ano em que conquistou o campeonato nacional pela única vez), poderemos considerar que este “primeiro” ano de grande contratações e a tentativa de elevar a equipa a um novo patamar falhou? A quantia média de 1 bilhão de reais em dívidas e um resultado esportivo que poderá ser questionado levará o ano de 2021 a ser perdido para o Galo?

 

O Atlético Mineiro foi eliminado nas semifinais da Libertadores para o Palmeiras, mesmo sendo apontado como favorito (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

A queda na Libertadores e a semifinal da Copa do Brasil

De fato esperava-se mais performance da equipa nos jogos de primeira e segunda mão da Libertadores contra o Palmeiras. Num primeiro jogo muito estudado (fora de casa, em relvado palmeirense), um fator poderia ter mudado o rumo da história, o pênalti perdido por Hulk. Em um jogo com poucas chances de golo, a bola na trave no pênalti batido por Hulk daria uma boa vantagem, já que existe a regra do golo fora de casa valer como critério de desempate, assim como faria o Palmeiras se abrir mais em busca de um possível empate em golos. No fim, o 0x0 na primeira mão foi curiosamente melhor ao time da casa.

No segundo jogo, o Atlético não jogou o que podia, mas também foi derrotado estrategicamente pelo Palmeiras e por Abel Ferreira, que soube guiar a equipa para aproveitar um das poucas chances que poderia ter de golo, e com Dudu fazer um tento em solo mineiro. Seria o gol de empate, já que o Galo fez um golo logo no início do segundo tempo, com Vargas, mas que também perdeu chance preciosa  que poderia construir um 2-0. No fim, mais um empate, e o 1-1 não suficiente para classificar o time de Cuca, já que na igualdade de resultados, o golo fora fez a diferença.

Já na Copa do Brasil, o sentimento ainda é de confiança, mas o embate também não será fácil. O oponente é o Fortaleza, que não tomou conhecimento do São Paulo nas quartas de final e vem apresentando um futebol muito organizado, fruto do trabalho do técnico argentino Juan Pablo Vojvoda. A importância também é financeira, já que o semifinalista ganhará mais de 15 milhões de reais, e o campeão faturará mais 56 milhões. Para o Atlético, significa continuar um grande investimento esportivo, que já rede 1 bilhão de reais em dívidas, mas que conta com grande aporte de patrocinadores para que o time e a estrutura da equipa se desenvolvam.

O exercício de reflexão

A resposta para o questionamento do artigo é não, por alguns fatores, mas dois deles são mais preponderantes. O primeiro, obviamente, é que o Atlético Mineiro é favorito no confronto contra o Fortaleza. Mesmo que a equipa cearense esteja muito bem treinada e possa surpreender, o fato do Atlético não estar mais com atenções voltadas à Libertadores, e as meias finais da Copa do Brasil serem apenas em 20 e 27 de Outubro, fazem com que ele possa ser finalista da competição. Mas ainda haverá Flamengo ou Athletico Paranaense numa eventual final.

Então vamos ao segundo ponto, que é justamente a conquista do Brasileirão. Como citamos acima, o Atlético Mineiro só conquistou o Brasileirão uma vez (em 71), e isso tem sido motivo de certa frustração ao time, e de exaltação por parte dos adversários. Vale lembrar que, em 1971, a decisão do Brasileirão foi em triangular disputado também por São Paulo (de Gérson, Toninho Guerreiro etc.) e o Botafogo de Jairzinho, mas o Atlético Mineiro tinha o mestre Telê no comando. Portanto, igualar o feito de 71 e trazer o bicampeonato brasileiro à Minas Gerais colocará Diego Costa, Hulk, Vargas, Nacho Fernández e o técnico Cuca (este último já na história do clube) para um outro nível com os adeptos.

Diego Costa foi mais uma das estrelas contratadas pelo Atlético MG nesta temporada (Foto: Pedro Souza)

O futuro do Atlético no cenário brasileiro e sul-americano

De qualquer forma, é de se esperar que o Atlético Mineiro permaneça como candidato aos títulos futuros e, com seguimento no trabalho executado, poderá se manter ao patamar de Flamengo e Palmeiras como as três principais equipas no Brasil em termos de plantel, e claramente brigar por título continentais (pelo segundo ano consecutivo com finais brasileiras, é de se esperar que o Atlético figure novamente entre finalistas). Estas duas equipas acima farão a final da Libertadores em 2021, sendo que o time carioca poderá figurar ao lado do Atlético Mineiro se ambos passarem para a final da Copa do Brasil. Confira aqui, com o jornalista José Ilan, mais detalhes sobre as semifinais da competição continental e outros aspectos do futebol do Atlético no ano:

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter