As cinco melhores jogadoras de futebol do Mundo em 2021

Margarida BartolomeuDezembro 16, 20215min0

As cinco melhores jogadoras de futebol do Mundo em 2021

Margarida BartolomeuDezembro 16, 20215min0
Sam Kerr é uma das 5 jogadores de futebol escolhidas por Margarida Bartolomeu para melhores do Mundo! Descobre quem são e o porquê de terem sido escolhidas

Sem qualquer ranking, partilho convosco aquelas que, para mim, são atualmente as 5 melhores jogadoras do mundo. Há, pelo menos, um nome controverso, e apenas menciono uma jogadora que milita naquela que é, atualmente, a melhor equipa do mundo – O Futbol Club Barcelona. Desta forma, e após mais um atípico ano (tal como 2020, 2021 foi atípico e ainda longe da velha “normalidade), estas foram as 5 jogadoras que mais me agradaram, por tudo aquilo que demonstraram em campo:

ALEXIA PUTELLAS

Não poderia, de forma alguma, deixar de mencionar a Melhor Jogadora do Mundo! Não é pelo facto de lhe ter sido atribuído esse título, mas sim pela jogadora determinante que é. Com 27 anos, a agora Capitã do Barcelona (há 10 temporadas no clube) teve uma subida meteórica no ranking e acabou por ser nomeada a melhor jogadora do mundo. E como foi justa essa nomeação! Foi determinante para o sucesso do Barcelona, quer nas competições internas (conquista do Triplete), quer na Liga dos Campões (Vencedoras), marcando por 26 vezes, e assistindo por 14, em 44 jogos disputados, números demonstrativos da sua qualidade.

SAM KERR

A intensa e matadora avançada australiana continua a ser uma das jogadoras que mais me cativa. Muito inteligente no posicionamento, é daquelas jogadoras que parece estar sempre no “sítio certo à hora certa”, sendo dona de uma capacidade finalizadora muito acima da média, tendo acabado por ser a melhor marcadora do Chelsea e da FA Women’s Super League (21 golos), contribuindo muito para a conquista do campeonato por parte da sua equipa. Forte fisicamente, embora não seja muito alta, muito rápida no ataque à profundidade e a explorar as costas das defesas, irreverente, é muito difícil de marcar e anular, sendo uma das maiores figuras (e das mais influentes) da sua seleção – a Austrália.

VIVIANNE MIEDEMA

A segunda melhor marcadora da FA Women’s Super League, a talentosa neerlandesa é dona de uma capacidade finalizadora extraordinária, tendo conquistado o prémio de melhor marcadora nos Jogos Olímpicos de Tóquio, com 10 golos em apenas 4 jogos. E como os números não mentem, é também ela a melhor marcadora, de sempre, da Women’s Super League. Tudo isto aos 25 anos de idade! Mas não é só de golos que é feita, pois é uma jogadora muito importante na construção de jogo da equipa, recuando muitas vezes no terreno e abdicando da zona de finalização, para poder ajudar na construção das jogadas ofensivas, oferecendo mais uma opção viável para combinações com as colegas. É uma jogadora imponente, muito alta, mas muito ágil e rápida.

DANIËLLE VAN DE DONK

E aqui está a controvérsia. Ok, eu sei que há por aí jogadoras com muito mais visibilidade, mas a Van de Donk é um dos principais pilares das equipas que representa (a seleção dos Países Baixos, o Arsenal e, mais recentemente, o Lyon). Média de baixa estatura, mas muito forte e intensa, capaz de ganhar praticamente todos os duelos físicos, muito criativa e forte na reação à perda, dona de uma capacidade técnica (e tática) invejável, é daquelas jogadoras que qualquer treinador gostaria de ter no seu plantel (exceto quando abusa na agressividade). Com 30 anos, está talvez no seu melhor momento de forma (ou estava, visto que se lesionou e irá parar durante algum tempo), tendo-se tornado um dos pilares do meio campo do Lyon desde o primeiro momento. É daquelas jogadoras que joga muito, mas faz jogar ainda mais!

FRAN KIRBY

Daquelas jogadoras com “pouca imprensa”, algo subvalorizada, mas importantíssima para a ascensão e consolidação da equipa do Chelsea no seio da elite europeia, a pequena (apenas de tamanho) avançada (por vezes média) inglesa regressou em grande, depois de algum tempo ausente (praticamente uma época completa, devido a um grave problema de saúde – pericardite). A sua parceria com Sam Kerr é das mais prolíferas a que já tivemos o prazer de assistir, encontrando-se ambas as jogadoras no top 3 das melhores marcadoras da liga. Mas mais do que golos, Kirby é força, é intensidade, é resiliência, é luta, é crença, é liderança! A sua qualidade vai muito além do que é palpável, muito além dos golos (imensos) e das assistências, é tudo aquilo que oferece à equipa (demonstra sempre uma disponibilidade física extraordinária), não só domínio técnico-tático, mas, e principalmente, no domínio anímico e mental.

Poderia ter mencionado tantas outras jogadoras para este quinteto, algumas até, na opinião geral, mais merecedoras do que Van de Donk ou Kirby, como por exemplo, Lieke Martens. Esta é uma análise sempre injusta, mas como já referi, é muito pessoal, pois tem em consideração as características que eu, pessoalmente, mais valorizo numa jogadora de futebol. Faltou, talvez, a presença de jogadoras que atuem em zonas do terreno mais recuadas, pelo que deixo aqui uma menção à Magdalena Eriksson e à Christiane Endler, que considero serem a melhor defesa e guarda redes da atualidade.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter