Até pode ir este Mönchengladbach?

Pedro CouñagoNovembro 30, 20187min0

Até pode ir este Mönchengladbach?

Pedro CouñagoNovembro 30, 20187min0
O Fair Play foca-se num dos grandes clubes da Bundesliga, tanto em história como em massa adepta, um dos que mais levanta paixões e um que, neste momento, está recheado de talento que o leva a sonhar com objetivos altos.

Um dos históricos da Bundesliga e um Borussia Mönchengladbach que, há sete anos, era um que lutava por objetivos medianos para não descer, e que, nas últimas duas temporadas, repetiu o nono lugar no campeonato, é nesta temporada um que está na luta por um lugar de Champions, graças a uma temporada que está a ser espetacular a todos os aspetos. Curioso que os dois Borussias estão em alta esta temporada e ocupam os dois primeiros lugares, já tendo os dois ganho ao poderoso Bayern esta temporada, ainda que o poderoso não o seja, nem de perto nem de longe, como em outras temporadas.

O Mönchengladbach é daqueles clubes que ninguém consegue odiar, tal é o seu espírito de luta, o seu futebol atrativo, os seus jogadores de qualidade que levam a equipa a outro nível e, para quem é um internauta regular, as redes sociais são uma divertida forma de o clube interagir, pelo que o clube ganha a todos os níveis.

Nesta época, temos de destacar alguns pormenores da equipa que a fazem realmente estar ao nível que temos visto. Começamos assim pelo centro da defesa.

Ginter e Elvedi, uma dupla jovem e segura

Matthias Ginter fez uma excelente opção em mudar-se para os Die Fohlen no verão de 2017, visto que está a mostrar todo o seu valor, sendo um central goleador e que dá uma serenidade incrível à defesa da equipa, contando já com um número invejável de internacionalizações pela nação alemã. Assim, o alemão tem já muita experiência aos 24 anos e, estando neste momento lesionado, espera-se que a equipa não colapse um pouco nas próximas semanas. O alemão complementa-se muito bem com o outro elemento da defesa, Nico Elvedi.

O suíço de 22 anos é ainda polivalente, na medida em que também pode jogar a lateral direito e a lateral esquerdo, dando um número de soluções aos seus técnicos, e é o futuro da seleção suíça. Não será fácil ao Borussia segurá-lo no futuro, visto que os reais bons centrais são sempre desejados pelos tubarões, no entanto será sempre caro ter este jogador devido a ser um jogador calmo, com boa estampa física e, sobretudo, refletir os valore do futebol moderno.

Neuhaus, um jovem que dá golos for fun, e Hofmann está a subir o seu nível

Depois de um produtivo empréstimo na passada temporada, Florian Neuhaus conseguiu rapidamente conquistar o seu lugar no centro do meio campo, face a um imponente Denis Zakaria e a um Christoph Kramer que era o líder do meio campo, mas que agora está também lesionado. E que estrondo está a causar Neuhaus, que jogou 13 jogos esta temporada e fez 8 (!) assistências para golo. De forma muito rápida, conseguiu assumir um lugar de destaque e consegue servir os seus colegas à sua frente da melhor forma.

Também no meio campo, Jonas Hofmann subiu, e de que maneira, o seu nível nesta temporada. Seis golos e seis assistências em 13 jogos revelam o seu poder de aproximação à área adversária, isto num jogador que até estava mais habituado a jogar pelas alas mas agora joga mais no centro ofensivo do meio campo, conseguindo provar o porquê da confiança do seu técnico em jogar nessa zona do campo. Agora Hofmann está lesionado e, tal como no caso de Ginter, esperemos que a equipa não seja afetada por estas lesões, pois são dois jogadores que têm impacto na forma de a equipa jogar e resta perceber se os seus substitutos estão à altura.

O nome Hazard é sinónimo de qualidade

Se o seu irmão Eden é o jogador que todos sabemos, Thorgan Hazard demorou algumas temporadas a provar aquilo que realmente poderia ser, mas, aos 25 anos, com a camisola 10 e jogando na mesma posição do irmão, está a alcançar o auge da sua carreira, tendo 11 golos e 6 assistências em 14 jogos esta temporada, números absolutamente estonteantes. A qualidade está lá, desde o toque de bola, o passe, remate e drible. Os irmãos Hazard têm tudo, e resta a questão se Thorgan ainda vai a tempo de poder chegar perto do nível do irmão.

Thorgan está a ganhar reputação, é candidato a ser um dos destaques no fim da temporada (Foto: JaviSFC.com)

Neste momento, Thorgan é o craque do Monchengladbach e, na nossa opinião, possivelmente o melhor jogador da Bundesliga até ao momento e isto é dizer muito face ao excelente arranque de muitos jogadores do Borussia de Dortmund ou Sébastien Haller (outro dos jogadores já destacados pelo Fair Play), por exemplo. Além disso, será também um dos jogadores que melhorou os seus desempenhos de forma mais exponencial, algo que o leva a ser, com certeza, um jogador a ser considerado para clubes maiores.

Por fim, Pléa veio trazer a explosão necessária ao ataque

Raffael e Lars Stindl formaram, por três temporadas, uma das duplas atacantes mais temidas da Bundesliga, tal era o seu entendimento dentro de campo. A verdade é que Raffael já tem 33 anos, não caminhando para novo, e Lars Stindl tem 30, sendo necessário procurar por alternativas válidas. Assim surgiu Alassane Pléa, jogador que já tínhamos destacado pela possibilidade de chegar à seleção francesa, e a verdade é que tal aconteceu mesmo este mês!

Porquê? Porque Pléa leva já 11 golos e 3 assistências esta temporada, adaptando-se que nem uma luva ao futebol competitivo alemão. A vantagem da utilização do francês passa pela sua mobilidade, que se nota nas combinações com Hazard e que os faz muitas vezes trocar de posição durante o jogo, o que causa desiquilíbrios nas defesas e origina espaços que os seus companheiros vão aproveitando bem.

Dieter Hecking aproveita uma equipa à sua medida e fá-la brilhar

O técnico de 54 anos sempre foi reconhecido como um que valoriza bastante o futebol atacante, como vem demonstrando ao longo da sua carreira, e este Borussia está mesmo à sua medida, tal não fosse prova os 30 golos marcados em 12 jogos, uma média de 2.5 golos por jogo. Muitas vezes, como até acontece no futebol alemão, o lado defensivo do jogo é descurado, sendo que o Mönchengladbach tem uma equipa coesa defensivamente. No entanto, terá de ser constante caso queira realmente lutar pela Liga dos Campeões e, quiçá, andar perto do primeiro lugar, cujo está à distância de 4 pontos neste momento.

O timoneiro do Borussia estará certamente feliz com o desempenho da equipa até ao momento (Foto: Fohlen-Hautnah)

Não jogando as competições europeias esta temporada nem a Taça (foi eliminado por 5-0 diante do Leverkusen, um chocante resultado face à forma da equipa), o clube está em vantagem face a outras equipas, e tal pode levar a que Hecking, de forma semanal, possa estudar adversário a adversário e motivar a equipa a impor as suas ideias. Tal é notório na vitória por 3-0 fora diante do Bayern de Munique.

Hecking é muito conhecedor da liga alemã, tem uma equipa motivada e que respeita o seu 4-3-3 ou o 4-2-3-1, dependendo do adversário, mas a tendência ofensiva está sempre presente. Esperemos que o Borussia possa continuar a brilhar numa competitiva Bundesliga e que consiga dar uma alegria aos seus fervorosos adeptos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter