5 transferências a reter da Liga Ledman Pro

Francisco IsaacJulho 9, 20187min0

5 transferências a reter da Liga Ledman Pro

Francisco IsaacJulho 9, 20187min0
A Ledman Pro está a ligar os seus motores e começam a "chover" os reforços nos vários emblemas da segunda liga. De Paços de Ferreira até ao Estoril estas são 5 transferência a reter?

A Ledman Pro está a aquecer e os diversos plantéis estão em fase de se reforçar… desde o Paços de Ferreira do Mestre das Subidas, Vítor Oliveira, até aos recém-promovidos Mafra e Farense. O Fair Play refere 5 reforços destes primeiros dias que vale a pena tomarem em atenção.

ZÉ TIAGO (ACADÉMICA DE COIMBRA -» MAFRA)

O extremo português, que foi uma das coqueluches do Covilhã entre 2014 e 2016, e ajudou o CD Aves a subir de divisão em 2017, chega assim ao recém-promovido Mafra depois de uma época mediana na Académica de Coimbra. É um senhor da Ledman Pro, com uma qualidade inegável nos pés e uma vontade de liderar a equipa no último terço do terreno.

Já não é tão rápido como outrora, mas continua a apresentar um passe certeiro, um alto índice de trabalho, bom ritmo com a bola nos pés e um remate daqueles que faz a diferença. Mas realmente pode Zé Tiago fazer a diferença no Mafra?

Depende de como vai jogar o clube treinado por Filipe Martins, uma vez que o extremo actua melhor num futebol de posse e de apoio ao flanco, sendo fundamental a participação do lateral esquerdo nas incursões no ataque. Zé Tiago pode também descair para o centro do terreno, de forma a ganhar espaço e tempo para armar uma boa jogada ou combinação, sem entrar na grande área.

Assume um futebol de inteligência, de bom uso do seu tempo com a redonda nos pés, o que garante uma lógica de jogo consistente e intensa, funcionando como uma espécie de “moinho” ofensivo.

A saída de Coimbra para Mafra é um passo curioso do extremo-esquerdo/médio-ofensivo, naquilo que vai ser uma época a lutar pela manutenção.

SANDRO LIMA (ACADÉMICO DE VISEU -» ESTORIL-PRAIA)

Os canarinhos portugueses estão a tentar reformular o plantel de forma a poderem regressar à Liga NOS já na próxima temporada. Uma “sangria” de saídas foram colmatadas com diversas entradas e uma delas foi a do brasileiro Sandro Lima.

Jogador reputado na segunda liga portuguesa, com 35 golos em 127 jogos, é agora uma das caras-fortes do Estoril neste arranque de pré-temporada. Mas o que realmente garante Sandro Lima? É um avançado poderoso dentro da grande área, fazendo uso da sua estatura para ganhar os duelos aéreos, com uma boa impulsão e capacidade de aguentar o embate dos defesas contrários.

Não é um goleador nato, mas é um avançado que sabe manobrar o esférico com intenções de criar perigo, aparecendo bem no apoio aos seus colegas da frente. Fez parte da subida de divisão do GD Chaves em 2016, ajudando os flavienses na hora de criar golos. O facto de não ser um matador não lhe tira a importância de assumir um lugar no onze, pois avançados como Sandro Lima garantem presença na área ou no trabalho ofensivo junto à mesma.

É um reforço a custo-zero para os canarinhos e vai ser um elemento muito útil nesta temporada que se avizinha.

Foto: Sandro Lima

BURA (ACADÉMICO DE VISEU -» LEIXÕES SC)

Super-reforço para o Leixões SC, com a chegada de um dos melhores centrais da Ledman Liga Pro dos últimos anos: Bura. Formado no FC Porto, o central de 29 anos tem construído uma carreira credível na segunda liga graças à sua qualidade dentro da área, onde é uma barreira quase inultrapassável.

O seu progresso no futebol português começou na segunda liga, passando depois para a Liga NOS actuando ao serviço do Beira-Mar e Paços de Ferreira e Penafiel. Foi no Académico de Viseu que encontrou equilíbrio e estabilidade suficiente para atingir o estatuto dos melhores centrais na Ledman Pro, algo que quase garantiu uma subida de divisão aos viseenses em duas temporadas diferentes.

O que faz de Bura um central tão reputado? Combina bem a entrega física/capacidade de choque com os detalhes técnicos, saindo com a bola bem controlada, entregando-se ao início da construção de linhas de ataque. Foi fundamental o seu papel enquanto voz de comando no eixo defensivo, evidenciando-se na comunicação e liderança.

A somar a isto, é um central perigoso na grande área oposta com uma capacidade de remate (seja de cabeça ou com o pé) dotada… nas duas últimas temporadas concretizou por 16 ocasiões, algo que pode fazer a diferença em momentos decisivos.

O Leixões SC contratou um central que vai conferir outra confiança ao eixo-defensivo, que com a reforma de Bruno China (o central de 35 anos retirou-se no final da temporada que acabou há poucos meses) ficou algo vazia. Bura e Ricardo Alves vão agora fazer dupla do clube de Matosinhos, que têm o sonho de subir de divisão.

IGOR RODRIGUES (SL BENFICA “B” -» ESTORIL-PRAIA)

O guardião que em 2017/2018 foi um dos melhores do SC Covilhã, segue agora para o Estoril-Praia por empréstimo do SL Benfica “B” e volta a ter oportunidade para brilhar entre os postes da baliza dos canarinhos.

Na época passada foi uma das revelações do campeonato, já que os serranos foram a 5ª melhor defesa de todo o campeonato com 41 golos sofridos. Rodrigues foi sempre um caso sério entre os postes, amparando bem os centros arremessados na direcção da baliza do Covilhã, sem medo das consequências físicas.

A agressividade que apresenta nas saídas é só um pormenor num rol de qualidades do guardião que trabalha bem no um para um, fazendo parecer que tem o dobro do tamanho. Nas duas últimas épocas ao serviço dos serranos terminou 22 jogos sem sofrer golos em 62 jogos, um número interessante para o jovem de 23 anos.

Está na longa linha de guardiões portugueses de bom calibre que podem e devem subir à Liga NOS. Para já tem disputar o lugar com Renan Ribeiro e Thierry Graça.

BRUNO TELES (RIO AVE -» PAÇOS DE FERREIRA)

Vítor Oliveira chegou a Paços de Ferreira e uma das condições foi a chegada de reforços, de forma a compor ainda melhor o plantel. Confirmados até ao momento? Ricardo Ribeiro (ex-Académica), Wagner (veio da Tailândia), Uilton (ex-Grêmio Anápolis), os regressos de Christian (fez uma temporada soberba no Nacional da Madeira), Barnes Osei, Diego Medeiros e Paulo Henriques.

Para além destes nomes todos, os pacenses foram buscar um lateral de créditos firmados na Liga NOS e que até Dezembro de 2017 foi titular no Rio Ave: Bruno Teles. O brasileiro de 32 anos chega ao clube a custo-zero depois de um ano ao serviço da formação de Vila do Conde. As lesões que sofreu durante a temporada passada limitaram-no e o afastaram da equipa titular.

Contudo, é um lateral de qualidade, bastante bom na recuperação de bola e terreno, no equilibrar da defesa e na agilização de movimentações com o extremo-esquerdo. Sobe bem no flanco, abordando o jogo no ataque com astúcia e velocidade. A experiência acumulada vale bastante em plantéis da segunda liga e para Vítor Oliveira, Bruno Teles é um daqueles nomes que confere outra credibilidade ao seu elenco.

Como será a adaptação do esquerdino na Mata Real? Conseguirá ultrapassar as lesões e assumir a titularidade no Paços de Ferreira?

Foto: Paços de Ferreira FC

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter