5 reforços low profile que vão brilhar na Premier League 2020/2021

Gonçalo MeloSetembro 30, 20205min0

5 reforços low profile que vão brilhar na Premier League 2020/2021

Gonçalo MeloSetembro 30, 20205min0
A Premier League não vive só de transferências altamente mediáticas. Segue com atenção estes 5 nomes, que em breve poderão estar no topo da liga mais mediática do mundo!

São recorrentes os rios de dinheiro despendidos maioritariamente em craques que custam várias dezenas de milhões de libras aos clubes da Premier League, no entanto, todos os anos várias equipas, sobretudo as equipas do meio da tabela e as equipas que se veem mais vezes envolvidas na luta pela manutenção, garantem jogadores menos conhecidos por valores mais baixos que acabam por se afirmar a chegar a patamares superiores em terras de sua majestade.

Estes são 5 dos reforços de quem menos se fala, mas que devem ser seguidos com atenção:

  • Eberechi Eze (Crystal Palace)

O valor da transferência foi assinalável, tendo em conta que o jovem de ascendência nigeriana vem da segunda liga inglesa, proveniente do Queens Park Rangers, tendo custado perto de 18 milhões de euros ao Crystal Palace. No entanto o seu talento e margem de progressão justificam este valor.

Aos 22 anos, o internacional jovem pela seleção dos três leões chega por fim á divisão máxima do futebol inglês. Um médio ofensivo com uma técnica apuradíssima, muito forte do drible, ele que pode também atuar sobre as alas. Apesar de não ser um velocista, consegue desequilibrar constantemente através de arranques repentinos, no entanto a sua técnica individual e facilidade a driblar, por vezes levam-no a adornar demasiado os lances, algo que deve melhorar.

  • Ola Aina (Fulham)

Curiosamente ou não, mais um jovem com ligações à Nigéria nesta lista, este já um internacional em 14 ocasiões (a seleção africana tem uma grande geração, com nomes como Ndidi, Iwobi, Chukwueze ou Osimhen) que chega ao Fulham proveniente do Torino, por empréstimo.

Com 23 anos, Aina pode jogar tanto à direita como à esquerda da defesa, revelando uma capacidade notável para fazer constantes vaivéns sempre em alta velocidade. É ainda muito forte ao nível do drible e combina muito bem com os colegas, e não se coíbe de aparecer em zona de remate e finalização. Terá uma saudável competição pelo lugar com o holandês Kenny Tete, outro reforço dos Cottagers.

  • Grady Diangana (West Brom)

O jovem extremo inglês, que também tem nacionalidade congolesa, provocou uma onda de revolta nas redes sociais do West Ham quando foi confirmada a sua saída em definitivo para o West Brom, revolta essa dos adeptos dos hammers por verem uma das joias da formação ser vendida a um rival no campeonato “apenas” por 13,5 milhões de euros, ele que na época passada já tinha estado cedido aos Baggies, onde o vimos destruir vários defesas.

Diangana era provavelmente o melhor driblador do Championship no ano passado, e promete trazer os seus dribles apaixonantes e dignos de Youtube para a Premier League. Absolutamente desconcertante com a bola nos pés, o jovem de 22 anos pode atuar em ambos os lados do ataque, ele que na época passada apontou 8 golos e fez 7 assistências em 30 jogos no Championship. A seguir com muita atenção.

  • Tariq Lamptey (Brighton)

É certo que o Chelsea tem em Reece James uma grande e confiável opção no que toca ao futuro da sua lateral direita, mas não deixa de ser estranho os Blues terem deixado sair um jovem com o potencial de Lamptey apenas por 3 milhões de euros. Lamptey chegou aos Seagulls em janeiro deste ano, depois de uma primeira metade da época ao serviço dos sub 23 do Chelsea, e logo se viu que o seu lugar era na Premier League.

Com apenas 19 anos (entretanto já completou 20), Lamptey fez 8 jogos principal liga inglesa na época passada, e levou o Brighton a partir para a aquisição em definitivo. Tecnicamente evoluído, o jovem de ascendência ganesa destaca-se sobretudo pela forma como acelera (ganha sempre vários metros aos oponentes), capaz de deixar qualquer adversário para trás, sendo ainda muito forte na tomada de decisão, como comprovam as 3 assistências em 3 jogos neste início de época, ele que está a ser associado ao Bayern de Munique. A sua baixa estatura (1,64 m) tornam-no praticamente inexistente no que toca às disputas pelo ar.

  • Mohamed Salisu (Southampton)

O jovem central de 21 anos passou despercebido no que toca aos grandes reforços das equipas inglesas, de forma inexplicável. Fisicamente é um monstro (no bom sentido), com 1 metro e 91 cm, que lhe permitem ser altamente dominador e eficaz pelo ar. Apesar de ser alto e entroncado, apresenta uma agilidade e velocidade anormais para um jogador da sua envergadura, sendo por isso muito forte nos duelos individuais.

Nos tempos que correm, conseguir um central com o seu potencial físico e técnico (é canhoto, o que é sempre atrativo e menos comum num central, e tem uma boa saída de bola) por apenas 12 milhões de euros tem de ser considerado um super negócio para o Southampton, que o contratou aos espanhóis do Valladolid. Um nome para brilhar e ser referência do Gana na próxima década, juntamente com Mohamed Kudus, médio do Ajax.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter