5 Nomes a Seguir na Segunda Metade da Premier League

Gonçalo MeloFevereiro 7, 20205min0

5 Nomes a Seguir na Segunda Metade da Premier League

Gonçalo MeloFevereiro 7, 20205min0
Mais um mercado de inverno com nomes fortes a chegar a Inglaterra. Neste artigo encontra os 5 escolhidos pelo Fair Play para ter em atenção.

Passou-se assim mais um mercado invernal de transferências e, como vem sendo hábito, os endinheirados clubes ingleses não enjeitaram a possibilidade de reforçarem os seus já fortes planteis. Mas quem são os jogadores em quem devemos mais focar-nos? Bruno Fernandes seria à partida um deles, no entanto resolvemos trazer-lhe outros 5 nomes que deve seguir com especial atenção.

Sander Berge, Sheffield United

Surpreendeu o destino deste jovem médio norueguês, uma vez que tinha sido associado ao interesse de clubes mais poderosos, como o Manchester United ou o Chelsea. Vindo do Genk, Berge chegou ao Sheffield United como reforço bomba, não sendo difícil de prever uma entrada fácil no onze dos Blades, ele que custou mais de 20 milhões de euros.

Alto (1,95 m), elegante com bola, com muita qualidade técnica e visão de jogo, Berge consegue ainda destacar-se pela mobilidade e velocidade que apresenta, não obstante a sua elevada estatura, o que o torna aos 21 anos um dos médios mais promissores da sua geração. Muito forte na ocupação de espaços, é na posição 6 que mais vezes é utilizado, não sendo de estranhar que a sua qualidade e visão de jogo o façam avançar alguns metros no terreno.

Mbwana Samatta, Aston Villa

Mais um jogador proveniente do competitivo campeonato belga, e mais um também do Genk. O internacional pela Tanzânia, que se destacou ao serviço do TP Mazembe, chega ao Aston Villa para substituir o lesionado Wesley, que não jogará mais esta época. Pelo avançado de 27 anos os Villains pagaram 13 milhões de euros.

Samatta é um ponta de lança móvel, rápido e com técnica, que tanto encara os defesas como procura ataques à profundidade, sendo também comum vê-lo procurar desequilibrar as defesas ao descair para as faixas. Pelo Genk foram 76 golos em 191 jogos, pelo que será interessante ver o seu impacto na Premier League, ele que terá ainda de lidar com a concorrência de outro reforço invernal, o espanhol Borja Bastón.

Valentino Lázaro, Newcastle

Um reforço bomba para o Newcastle. O ala/lateral direito austríaco não foi feliz em Milão, tendo os Magpies visto a oportunidade perfeita para avançarem para o internacional pelo seu país. O ex-Hertha de Berlim não deve ter dificuldade em ultrapassar a concorrência de DeAndre Yedlin e Javier Manquillo, entrando assim no 3-4-3 que o técnico Steve Bruce tem utilizado.

Um ala de alta velocidade, que desequilibra com muita facilidade, devido à sua elevada qualidade técnica e drible rápido, ele que consegue ainda ser muito útil quando tenta ajudar na construção em zonas mais interiores. Ainda assim, é através da sua velocidade de ponta e do cruzamento que promete causar estragos, sendo de esperar grandes combinações com o criativo Miguel Almirón.

Tomas Soucek, West Ham

Um dos melhores médios defensivos que ainda jogava nos campeonatos periféricos, Tomas Soucek foi um achado por parte do West Ham. O internacional checo (é um dos melhores jogadores do seu país) de apenas 24 anos destaca-se em várias vertentes do jogo, sendo extremamente ágil e rápido para os seus 192 cm, destacando-se ainda pela qualidade que oferece na construção, seja através do passe, curto e longo, seja através da progressão com bola, o que lhe permite aparecer em zona de remate e finalização.

Não será difícil de prever que os Hammers irão mesmo accionar a clausula de opção de compra, sendo que na estreia pelos londrinos Soucek jogou mais à frente do que o costume, uma vez que a posição 6 está entregue a Declan Rice. Ainda assim, o checo formou uma dupla interessante de “8s” com o experiente Mark Noble, sendo de esperar uma melhor segunda volta da turma de David Moyes, que contratou ainda o avançado Jarrod Bowen, um dos maiores destaques do Championship.

Alexis Mac Allister, Brighton

O médio argentino já estava contratado pelo Brighton, sendo que os seagulls anteciparam a sua chegada e terminaram o empréstimo ao Boca Juniors. Um médio com sangue na guelra, como é apanágio dos seus conterrâneos, que consegue ainda destacar-se pela qualidade técnica, através do passe ou do drible. É como médio interior num 4-3-3 que mais se destaca, ainda assim, pode atuar como médio ofensivo ou a partir da esquerda num 4-4-2, privilegiando sempre as zonas interiores e os elevados níveis de agressividade e pressão.

Já internacional argentino em duas ocasiões, terá naturalmente de passar pelo normal período de adaptação à nova realidade, sendo de esperar dificuldades para entrar num meio campo que conta com elementos como Aaron Mooy, Pascal Gross ou Davy Propper, ou competir com alas como Leandro Tossard ou Alireza. Ainda assim, é de esperar que o jovem de 22 anos tenha muito tempo de jogo, ele que será um dos nomes a ter em conta para ser convocado para a Copa América.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter