5 Estrelas da Ledman Liga Pro que mudaram de ligas neste defeso

Francisco IsaacJulho 30, 20186min0

5 Estrelas da Ledman Liga Pro que mudaram de ligas neste defeso

Francisco IsaacJulho 30, 20186min0
Para a nova época alguns dos melhores jogadores da 2ª liga saíram para seguir para a Liga NOS. Mas quem são as 5 estrelas da Ledman Liga Pro de 17/18 que já não estão neste campeonato?

Os clubes da Ledman Liga Pro ainda esperam por saber como vai ser a situação do Académico de Viseu e União da Madeira, mas as mudanças nos vários emblemas prosseguem e têm alterado as “fundações” de alguns clubes.

Fica a saber de 5 Estrelas da Ledman Liga Pro que mudaram de ligas neste defeso

NUNO COELHO (FC AROUCA -» CF “OS BELENENSES”)

O Arouca falhou o objectivo de subir de divisão e deram-se logo uma série de saídas no plantel, como Vítor Costa (estava emprestado por um clube brasileiro e foi vendido ao CD Aves) e o capitão das últimas épocas, Nuno Coelho. O médio/central chegou ao clube do centro do país em 2013 e agarrou o lugar desde o primeiro minuto. É um daqueles jogadores especiais pela sua lealdade total, a raça imensa com que disputa cada lance e a forma como batalha inteligentemente no “miolo” do terreno.

Em 2017/2018 foi “forçado” a recuar uns bons passos da posição de trinco e assumiu o lugar no eixo da defesa do Arouca, onde singrou com qualidade não só a nível defensivo (um dos melhores a sair com o esférico no pé e a avaliar o timing certo para se lançar ao seu adversário) como ofensivo (seis golos, um dos centrais goleadores da época passada).

O Arouca foi o clube com menos golos sofridos da época passada, com apenas 37 consentidos em 38 jornadas e Nuno Coelho foi fundamental nesse processo onde a sua excelente comunicação e orientação deu outro formato a uma defesa reformulada.

Contudo, depois de cinco épocas ao serviço dos aroucenses, Nuno Coelho abandonou a custo-zero e rumou ao CF “Os Belenenses” para esta nova temporada. É uma perda complicada de lidar para Miguel Leal, mas alguma solução terá de surgir no lugar de um dos melhores centrais da época passada.

HERIBERTO TAVARES (SL BENFICA “B” -» MOREIRENSE)

Começou por ser médio e acabou a época passada a extremo/ponta-de-lança… foi um makeover total para o jovem do SL Benfica que agarrou o lugar na frente de ataque com excelentes exibições e vários golos na época transacta.

Mas há algo de especial com Heriberto Tavares? É um panzer de combate às defesas contrárias, atropelando adversários pelo caminho com os seus dribles e capacidade física dotada, que busca em procurar problemas com e sem bola. É esse um dos detalhes especiais de Tavares, o facto de saber estar sem a redonda nos pés: procura soluções, tenta criar simulações com arranques de excelência e movimentações bem trabalhadas.

Depois de 37 jogos, 14 golos e 4 assistências na época anterior, Heriberto Tavares captou o interesse de Rui Vitória e foi integrado no plantel das águias durante parte da pré-época. Acabou dispensado e emprestado a um emblema da Liga NOS, o Moreirense FC.

Vai fazer falta na frente de ataque da equipa “B” do SL Benfica, pois era um jogador diferente e que podia actuar em posições diferentes.

CHIQUINHO (ACADÉMICA DE COIMBRA -» SL BENFICA/MOREIRENSE)

Uma das estrelas mais cintilantes da época transacta, Francisco Machado, mais vulgarmente conhecido por “Chiquinho”, saiu da Briosa para partir em direcção ao SL Benfica. Vai fazer muita falta no plantel da formação conimbricense por toda a magia e genialidade que conferia não só à saída para o ataque mas também na rotação de jogo e gestão de bola.

Foi o melhor jogador na sua posição, sem contestação possível, pois todos os atributos técnicos e mentais proporcionavam à Académica um futebol de outra expressão e resposta que antes não o tinham. Faltou um avançado finalizador para garantir a subida de divisão que mais uma vez foi negada a um dos clubes históricos do futebol nacional.

Para Chiquinho foi a época de afirmação na segunda liga e todos os desiquilibrios que causou durante a temporada garantiram-lhe a saída para o SL Benfica. No clube da Luz ainda teve oportunidade para convencer Rui Vitória, que acabou por decidir pelo empréstimo de um jogador em crescendo mas que precisa de jogar com consistência a fim de se desenvolver.

Segue para o Moreirense onde vai apanhar Ivo Vieira, técnico que o treinou na temporada passada. A Ledman Liga Pro ficou sem um dos seus principais protagonistas e a Académica pode vir a ressentir-se na construção ofensiva.

AVTO (ACADÉMICO DE VISEU -» GD CHAVES)

De longe, deve ser o georgiano com mais sucesso no futebol português, munido de um arsenal de dotes que massificam o seu futebol para um patamar superior. Na época passada realizou 30 jogos na segunda liga, acompanhando essas exibições com golos (7) e assistências (8). O extremo-esquerdo de 26 anos deu outra imaginação ao ataque do Académico de Viseu que explorou as qualidades do georgiano ao máximo.

Vibrante, dinâmico e um atleta apaixonado pelo futebol vertical, Avto é daqueles extremos interessados em alongar o esférico e passar rapidamente à sua perseguição de forma a criar problemas ao seu marcador directo.

Foi uma constante dor de cabeça para os vários laterais da Ledman Liga Pro, que tinham dificuldades em perceber o futebol de elevado ritmo e de dinamismos muito curiosos que foram conferindo uma esperança total ao Académico de Viseu na corrida pela subida à Liga NOS.

Infelizmente, para os viseenses o extremo internacional pela Geórgia saiu como jogador livre e assinou pelo GD Chaves. É a vez dos flavienses fazerem uso de um jogador diferente e que vai conquistar a primeira liga.

BRUNO LAMAS (SC LEIXÕES -» CD SANTA CLARA)

O Leixões é das equipas que mais tem se movimentado no campeonato, mas até ao momento não conseguiram resolver a saída de Bruno Lamas. O brasileiro foi um dos jogadores que mais entusiasmou as hostes do clube de Matosinhos nos últimos quatro anos e a sua saída para os açorianos do Santa Clara vai se fazer sentir.

Na realidade, o que Bruno Lamas conferia ao meio-campo/ataque dos bebés? Estratégias para desembaraçar jogos mais complicados, ideias diferentes que criaram várias situações de perigo e um pontapé mais parecido com um míssil-teleguiado. É um atleta que gosta de mudar o sentido de jogo, gosta de apostar em situações de risco e de agitar as hostes adversárias.

Para além disto, traz outro sabor ao futebol… é um nº10 que facilmente avança para a grande área e assume o papel de segundo-avançado, encarando o futebol com aquela alegria típica dos futebolistas canarinhos.

A saída para o Santa Clara é, como a de Chiquinho: avançar na carreira e subir no patamar do futebol profissional em Portugal. Nos açorianos vai jogar baixo as ordens de João Henriques, seu treinador durante os primeiros meses do Leixões em 2017/2018.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS