5 “desconhecidos” para seguir com atenção na Premier League 21/22

Gonçalo MeloAgosto 26, 20215min0

5 “desconhecidos” para seguir com atenção na Premier League 21/22

Gonçalo MeloAgosto 26, 20215min0
Artigo com 5 jogadores menos conhecidos da maioria dos adeptos, mas que devem ser seguidos com especial atenção na Premier League 2021/2022.

Numa altura em que a Premier League já está em andamento, também as transferências milionárias de craques e jovens talentos vão continuando a avolumar-se, à media que nos aproximamos do final do mês e do último dia de mercado, sempre muito movimentado nas ilhas britânicas.

Mas nem só de craques conceituados se faz a melhor liga do mundo, por isso deixamos-lhe 5 nomes que a maioria poderá não conhecer tão bem, mas que merecem ser seguidos atentamente.

Ivan Toney- Avançado, Brentford

Um craque dos pés à cabeça. Ivan Toney está de regresso à Premier League, depois de se ter estreado em 2015 pelo Newcastle. Desde então, o inglês com ascendência jamaicana representou vários clubes de menor expressão, com destaque para a passagem pelo Peterborough, onde apontou uns impressionantes 49 golos em 94 partidas.

Chegado ao Brentford no Verão passado, Toney seria fundamental para a grande época das abelhas de Londres, apontando 31 golos e realizando 10 assistências em 41 jogos no Championship (participou em um golo por jogo).

Um avançado alto, possante, mas muito móvel, que apresenta facilidade em finalizar com os pés e a cabeça, sendo ainda muito forte no ataque à profundidade quando necessário, ele que sabe posicionar-se como poucos dentro da área. Um possível elemento a ser chamado por Southgate no futuro próximo.

 

Imrân Louza- Médio centro, Watford

Um dos reforços dos Hornets neste regresso à Premier League, depois de apenas um ano de ausência. Louza era uma das principais figuras do Nantes, e um dos médios mais interessantes da Ligue 1, pelo que poderá não ser tão desconhecido assim para os mais atentos. Louza foi internacional sub-20 e sub-21 pela França, mas a sua ascendência marroquina permitiu-lhe estrear-se recentemente pela seleção norte-africana.

Louza destaca-se pela qualidade técnica e visão de jogo, dominando os ritmos de jogo a seu bel prazer (basta ver o franco-marroquino tocar na bola um par de vezes para constatar a qualidade do seu pé esquerdo).

É a “8” que mais se destaca, onde consegue ser mais interventivo na construção. No entanto, a sua entrega e capacidade no desarme permitem-lhe jogar mais recuado. Em último recurso, pode ser uma mais valia a partir de uma ala num 4-4-2. Um dos nomes a seguir atentamente no Watford.

 

Conor Gallagher- Médio centro, Crystal Palace

Segunda época na principal divisão inglesa, segunda época emprestado pelo Chelsea. Na época passada, o jovem da formação dos Blues não conseguiu impedir a descida do West Brom, e espera este ano ter uma época mais tranquila ao serviço do Palace. Na época transata, Gallagher foi utilizado em 30 das 38 partidas da Premier League, marcando por duas vezes e assistindo por mais duas.

A boa época realizada permitiu-lhe estar na fase de grupos do Euro sub 21, onde fez dois jogos. Um médio centro com muita facilidade a aparecer no último terço, com grande qualidade de passe (sobretudo longo) e visão de jogo, que será certamente um dos homens mais utilizados por Patrick Vieira, ele que é muito apreciado pela massa associativa do Chelsea.

Adam Armstrong- Avançado, Southampton

O substituto de Danny Ings, que saiu para o Aston Villa, e que já estava claramente a mais no Championship. Contratado por um valor próximo dos 18 milhões de euros, Armstrong volta à elite do futebol inglês depois de uma época brutal ao serviço do Blackburn, onde apontou 29 golos em 43 jogos em todas as competições.

Foram 6 anos a competir no escalão secundário, depois de aparecer muito jovem na equipa principal do Newcastle em 2014 e 2015. Mal aproveitado pelos Magpies, seguiram-se experiências no Barnsley, no Bolton, e no Blackburn, até ter de novo a oportunidade de brilhar na Premier League, ele que se destaca pela velocidade, agilidade, mobilidade na frente e facilidade a finalizar, incluindo de cabeça, apesar de só ter 1,73 m.

Matthew Cash- Lateral direito, Aston Villa

Mais um jovem lateral direito para juntar à quase infindável lista de laterais para esse flanco que Southgate tem à disposição para a seleção inglesa. Matty Cash teve o azar de nascer na mesma era de Alexander Arnold, Reece James, Wan-Bissaka ou Max Aarons, mas isso não o impede de ser um dos laterais direitos mais eletrizantes da Premier League.

Na época passada, que marcou a estreia de Cash na principal divisão inglesa, vindo do Nottingham Forest, o lateral inglês, que pode também jogar pela Polónia, realizou 28 jogos, fazendo 3 assistências. Extremo durante a formação, foi já perto dos 20 anos que desceu para lateral, destacando-se pela sua enorme disponibilidade física e potência (é daqueles laterais que parece não se cansar, e que ganha muitos duelos individuais) gostando de se incorporar no ataque através de arrancadas portentosas.

Com 24 anos e concorrência apertada na seleção dos três leões, Cash pode optar pela seleção polaca e assim representar o país da sua mãe.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter