Sporting Kansas City. Os mais fortes candidatos à conquista da MLS?

Diogo MatosMarço 14, 20195min0

Sporting Kansas City. Os mais fortes candidatos à conquista da MLS?

Diogo MatosMarço 14, 20195min0
O Sporting Kansas City encara a temporada de 2019 da MLS com poucas mexidas no plantel e com uma estrutura muito solidificada. Conseguirá o conjunto do estado do Missouri chegar ao tão almejado título?

Sendo certo que a temporada da Major League Soccer começou apenas há algumas semanas e que entrar nos “jogos de previsões” é sempre uma tarefa complicada e arriscada, é impossível não se dar como certa a presença de certos clubes nos playoffs. Um desses casos é o do Sporting Kansas City. O conjunto orientado por Peter Vermes tem-se apresentado como um dos mais sólidos e organizados de toda a competição nos últimos anos, parecendo assim cada vez mais provável que o título acabe por rumar até ao estado do Missouri num futuro muito próximo.

 

Passado- Mudança de nome e conquista de títulos

Para além de ser uma das equipas da MLS que melhor futebol pratica, o Sporting Kansas City é também um dos históricos da prova. Fundado em 1995, o clube é um dos que está presente na prova desde a primeira edição. Depois de um claro domínio dos DC United nas primeiras edições da MLS, o Sporting Kansas City foi uma das primeiras formações a contrariar a supremacia da formação de Washington.

Contando no seu plantel com nomes como Tony Meola, Peter Vermes, Mo Johnston e Preki, o conjunto do estado do Missouri bateu os Chicago Fire na final de 2000, isto depois de já ter vencido a Supporters’ Shield. À conquista do campeonato em 2000 seguiu-se a conquista da US Open Cup em 2004, altura em que o clube ainda utilizava o seu nome de “batismo”, Kansas City Wizards (o nome Sporting Kansas City só surgiu em 2010).

 

Tony Meola foi uma das grandes referências do Sporting KC nos primeiros anos da equipa (Fonte: MAC Hermann Trophy)

 

É inegável que o Sporting Kansas City sempre foi uma das formações mais respeitadas de toda a Major League Soccer, mas essa situação acentuou-se ainda mais depois da chegada de Peter Vermes ao comando técnico da equipa. Treinador e clube cresceram de “mão dadas” e é impossível desassociar-se o sucesso de um ao do outro. Assim sendo, e sob a liderança de Vermes, o Sporting KC juntou ao seu palmarés três US Open Cup (2012, 2015, 2017) e um título da Major League Soccer (2013).

 

2019- Ano da confirmação do sucesso?

As 17 presenças nos playoffs em 23 edições da MLS disputadas até ao momento conferem aos “Wizards” o estatuto de “grande” na competição, mas um dos grandes desafios do clube está relacionado com o facto de o título de campeão já não ser conquistado há seis anos.  A aposta da direção do clube em termos de plantel na presente temporada foi forte. Ike Opara foi o único titular indiscutível a deixar a cidade de Kansas City, tendo Diego Rubio, um dos maiores “abre-latas” de toda a competição, seguido o mesmo percurso e rumado aos Colorado Rapids.

Tim Melia é “dono e senhor” da baliza do Sporting Kansas City há quatro temporadas e parte para a época de 2019 como um dos guarda-redes mais seguros do campeonato. A linha defensiva é liderada pelo capitão Matt Besler, que tem ao seu lado no centro da defesa Andreu Fontàs. A gestão da direção do clube relativamente ao ex-Barcelona foi muito interessante, isto na medida em que o jogador chegou aos EUA a meio da temporada passada, teve tempo de se adaptar à nova realidade vivendo na sombra de Ike Opara e, este ano, assumiu a titularidade. Nas laterais, Graham Zusi e Seth Sinovic são peças fixas no 11 de Peter Vermes.

No meio-campo encontra-se aquele que, para muitos, é o médio mais completo de toda a competição: Ilie Sánchez. Formado no Barcelona, Ilie tem todos os predicados de um grande jogador: qualidade de passe, visão de jogo, capacidade de finalização e capacidade de liderança. O espanhol é o elemento mais recuado do triângulo da zona intermediária do terreno, que fica completo com o combativo Roger Espinoza e com o tecnicista Felipe Gutiérrez.

O 4-3-3 do Sporting Kansas City fica completo com Gerso, extremo luso-guineense que passou por Estoril, Belenenses e Moreirense, Johnny Russell, internacional escocês e Krisztian Nemeth, ponta de lança húngaro que regressou a meio da temporada passado a Kansas City. Para além dos titulares, jogadores como Botond Barath, Jimmy Medranda, Yohan Croizet, Gianluca Busio, Kelyn Rowe e Daniel Salloi apresentam-se como soluções muito válidas para Peter Vermes.

 

Peter Vermes comanda a equipa desde 2009 (Fonte: The Blue Testament)

 

Tentar adivinhar aquilo que vai acontecer numa competição tão imprevisível como a Major League Soccer é sempre um exercício difícil de se fazer, mas é inegável que o Sporting Kansas City, clube estável e com qualidade do ponto de vista desportivo e diretivo, se assume como um dos fortes candidatos à conquista do título em 2019.

 

Artigo escrito por Diogo Matos, administrador e fundador da página MLS Portugal.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter