3 razões para pôr um fim à falsa-polémica CR7 e Juventus

Francisco IsaacNovembro 19, 20196min0

3 razões para pôr um fim à falsa-polémica CR7 e Juventus

Francisco IsaacNovembro 19, 20196min0
Cristiano Ronaldo esteve ou não mal quando foi substituído no jogo frente ao AC Milan? Ou será polémica barata de parte da imprensa? Uma breve análise aos factos e invenções

55 minutos de jogo do sempre emocionante clássico entre Juventus e AC Milan e Cristiano Ronaldo é chamado para sair… até aqui nada demais, mesmo que se trate da saída de um dos maiores jogadores da História do Desporto Mundial, é apenas uma substituição de Maurizio Sarri. Contudo, para a imprensa europeia foi como o início do fim para o astro português ou sinal da existência de um problema entre o avançado e o técnico italiano… estranho é que o próprio Sarri explicou no pós-jogo que Cristiano Ronaldo jogou no limite das suas capacidades devido a uma pequena lesão contraída durante um treino de duas semanas atrás.

Fácil de entender e perceber, correcto? Esta é a primeira razão ou facto para pôr fim à conversa de que existe um problema temerário para o futuro de Cristiano Ronaldo e que este é a primeira indicação de que o capitão da Selecção Nacional está perto de terminar o seu percurso ao mais alto nível.

Não há dúvidas que blogs, sites, páginas de redes sociais, jornais e qualquer outro tipo de imprensa (o que escrever histórias e artigos originais ou aqueles que só fazem eco) gostam de procurar uma boa história para não só ter o clique extra, como conseguir agarrar o leitor a uma novela que pode valer um alcance e engagement de excelentes números. Quando se tratam de jogadores como Lionel Messi, Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, Paul Pogba, Eden Hazard, Sergio Ramos, Gerard Piqué, as supostas fontes próximas triplicam, os artigos são pensados e escritos a cada nova hora e o suposto pormenor quase insignificante passa a ser o detalhe principal de uma novela mediática.

Voltamos a dizer, Maurizio Sarri explicou o porquê da substituição neste jogo e contra o Lokomotiv de Moscovo, mostrando-se até algo irritado de uma boa parte das questões serem à cerca da saída de CR7 do campo e de terem conseguido a vitória sem o seu principal jogador dentro das quatro-linhas, como quase dizendo que era por culpa deste que a equipa não iria ganhar o encontro.

Não satisfeitos com a explicação de Sarri, a imprensa italiana (e não só) decidiu de imediato invocar que a forma como o português saiu directo para os balneários foi encarado como uma demonstração de falta de profissionalismo, de um comportamento banhado em arrogância e de uma total falta de respeito para com a equipa técnica e colegas de equipa. Porém, será que alguém colocou a hipótese de que Cristiano Ronaldo foi para o balneário para ser avaliado e perceber se a lesão na perna (joelho supostamente) deveria ser tratado de outra forma?

Não seria esta uma explicação também razoável para a situação já mencionada? Ou o acreditar nela e sua publicação punha fim a uma novela e polémica que nem deveria ter existido no primeiro lugar? É difícil aceitar que por vezes não há espaço para controvérsias e problemas, e que isso significaria saírem menos 10 artigos noticiosos ou posts, valendo menos alcance, menos leitores, menos barulho reunido em redor de um determinado site ou jornal desportivo. Por isso, segunda razão… Cristiano Ronaldo foi directamente para o balneário para ser reavaliado.

Terceira e último motivo para talvez não aceitar a tentativa de gerar uma polémica incessante com Cristiano Ronaldo… a postura do português na Juventus. Nem será necessário recuar ao seu tempo no Real Madrid, onde raramente contaram-se casos de discussão com algum membro da equipa ou um comportamento mais “agressivo” fora de campo que levassem a um castigo ou algo similar.

Na Juventus, o avançado português tem se imiscuído de estar sempre debaixo dos holofotes, mais focado em ajudar aos campeões italianos em recuperarem glória a nível das competições europeias, procurando assim prolongar o seu legado no Mundo do Futebol. Contam-se os vários casos em que o português ajudou jogadores mais jovens a sentirem-se acarinhados pelo plantel, oferecendo ajuda, conselhos e apoio como De Ligt ou Paulo Dybala explicaram nos últimos 8 meses.

Voltando ao jogo é curioso que ninguém fale do facto de Cristiano Ronaldo ter esboçado sinal que não estava bem do joelho durante o encontro por duas ocasiões e mal foi chamado a sair acelerou… cumprimentou Dybala e Maurizio Sarri, momento que só foi captado pelas câmaras fotográficas e não de vídeo que fizeram um plano de corte curto  no momento em que passa a linha de fora para logo de seguida mostrarem o português a entrar no corredor de acesso ao balneário. O aproveitamento mediático de um momento incaracterístico não é fora do comum, verdade… mas é condenável perante aquilo que foram os factos mostrados à frente de tudo e todos.

Em suma… Cristiano Ronaldo não estava fisicamente bem, Maurizio Sarri explicou a situação na conferência de imprensa, o avançado foi reavaliado pelo departamento médico da Juventus e não só. Foi isto que aconteceu… mas será que por detrás das cortinas houve debate quente com o treinador italiano e que CR7 mostrou um comportamento de diva e não quis saber da equipa? Não serão estes dois detalhes algo estranhos ao que tem vindo a ser a carreira e postura do prolifero goleador?

Cabe aos leitores, adeptos, jornalistas, comentadores desportivos analisarem a situação como desejarem, mas dobrar os factos para que encaixem numa argumentação distorcida não é positivo para a discussão desportiva. É ainda mais curioso que esta “novela” surgiu dias antes de Portugal entrar em campo para dois jogos de qualificação para o Europeu de 2020.

Como último ponto recordar que em todas as modalidades existem casos dos protagonistas desportivos irritarem-se visivelmente com jornalistas e comentadores desportivos (enquanto que os primeiros ainda falam directamente, os outros estão “escondidos” atrás de um estúdio, podendo fazerem-se ouvir sem que haja um travão real de contra-argumentação forte) pela postura destes e até pelas questões que são invocadas… seja no Mundial de Rugby em 2019 em que o seleccionador dos All Blacks, Steve Hansen, recusou-se a responder a uma questão dizendo que o jornalista se quisesse falar a seguir sobre “cultura e mentalidade” estaria disponível para mostrar pessoalmente do que se trata; ou o caso do treinador lituano, Sarunas Jasikevicius, que perante a tentativa de um jornalista criar uma polémica com a ausência de Augusto Lima (seu jogador no Zalgiris) de um jogo, respondeu na mesma moeda e questionou se o repórter tinha algum traço de humano dentro de si.

Há ou não mais uma tentativa de arranjar polémica onde ela não existe?

Momento que Cristiano Ronaldo ressentiu-se de uma possível lesão


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter