Quem (e quantos) são os portugueses campeões na Europa? pt.1

Francisco IsaacMaio 20, 20194min0

Quem (e quantos) são os portugueses campeões na Europa? pt.1

Francisco IsaacMaio 20, 20194min0
A marca portuguesa no futebol tem crescido e em 2018/2019 houve 15 campeões lusos! Fica a saber em que ligas e como se deram nos seus campeonatos! Esta é a parte 1 de 3!

Já estão encontrados, praticamente, todos os campeões da Europa fora (e Israel também) e a Diáspora portuguesa esteve presente em 14 ligas diferentes, com alguns mais conhecidos como Cristiano Ronaldo a coroarem-se como os “reis” ou até a ligas mais periféricas como a israelita onde Jair Amador levantou o título de campeão! Contabilizámos nesta lista atletas que são internacionais por Cabo Verde ou Moçambique, mas que nasceram em Portugal.

Esta é a parte 1 de três artigos a destacar os vários campeões portugueses pela Europa fora, entre os principais e outros menos conhecidos campeonatos de futebol!

CRISTIANO RONALDO E JOÃO CANCELO (JUVENTUS FC)

Uma boa época de estreia para Cristiano Ronaldo na Serie A, com 21 golos marcados e 11 assistências que ajudaram a Juventus chegar ao oitavo título consecutivo. Para João Cancelo também foi uma 1ª época satisfatória, apesar de não ter sido um titular indiscutível do principio ao fim da temporada, caindo muito na lógica de rotatividade montada pelo agora ex-treinador Massimo Allegri.

Cristiano Ronaldo teve exibições de alta qualidade ao serviço da Vecchia Signora com golos de colocar os adeptos italianos de mãos na cabeça, como aconteceu no golo da reviravolta ante o Empoli à 10ª jornada. Foi preponderante a dar outra profundidade ao ataque dos campeões italianos, para além das características de liderança, “agressividade”, intensidade e ambição, que mesmo assim ainda não foram suficientes para Juve chegar ao título Europeu.

Veremos como Cancelo e CR7 vão-se dar em 2019/2020 com a chegada de um novo treinador para guiá-los no continuar da hegemonia em “casa” e no tentar de voltar aos títulos europeus!

SÉRGIO OLIVEIRA, FERNANDO VARELA E VIEIRINHA (PAOK)

Sérgio Oliveira chegou, viu e venceu ao serviço do PAOK, com uma série de exibições de elevado capricho que foram essenciais para o emblema de Salonica conquistar o seu primeiro título de campeão grego no século XXI (a última vez tinha sido em 1985). O médio-centro chegou só em Janeiro, emprestado via FC Porto, juntando-se a outro ex-portista, Vieirinha, e ao central Fernando Varela.

Vieirinha regressou ao emblema grego, depois de ter actuado durante 5 anos ao serviço do Wolfsburgo, sendo que entre os anos de 2008 e 2012 tinha alinhado pelo PAOK. Ao todo já soma 195 jogos ao serviço dos Asprόmavri, e nesta temporada envergou a braçadeira de capitão com uma raça e paixão sem igual, jogando até lesionado mas sem virar a cara ao desafio. O lateral-esquerdo foi autor de 5 golos e 4 assistências e está incluído no melhor onze da época!

Varela foi o segundo a viajar para o PAOK, isto em 2016 e desde então assumiu-se como um dos pêndulos máximos do PAOK, com uma série de prestações preponderantes para oferecer o título de campeão com a melhor defesa do campeonato (14 golos sofridos) e sem qualquer derrota no registo final da Super League grega!

Esta lusofonia foi fulcral para o 3º título de campeão do PAOK da sua história e que ficará para a história como um dos maiores feitos por uma equipa fora do triângulo dos “reis” AEK, Panathinaikos e Olympiakos.

LUIS NETO (ZENIT)

Foi uma época agridoce para Luís Neto, que conseguiu somar o seu 2º título de campeão russo mas em que passou a maior parte do tempo sentado no banco de suplentes do Zenit de São Petersburgo.

Chegou a estar no onze titular durante 10 jogos consecutivos, mas a derrota frente ao CSKA em Novembro foi fatal nas pretensões do internacional português em manter o lugar no eixo-defensivo.

As notícias da saída para o Sporting Clube de Portugal não terão ajudado (ao qual já se vinculou definitivamente) e o facto do seu contrato findar no final da época podem ter “forçado” a direcção do emblema russo a encostar um central com o talento de Neto. Sai da Rússia com o seu 2º título de campeão e vai ser uma “carta” importante no esquema de Marcel Keizer.

RUI PEDRO (FERENCVÁROS)

É uma entrada muito curta, uma vez que Rui Pedro é oficialmente campeão húngaro apesar de só ter jogado 5 minutos pelo Ferencváros e de ter saído para o Haladas, que infelizmente desceu de divisão no final da temporada que findou agora.

O ponta-de-lança formado no FC Porto, que conseguiu jogar na Liga dos Campeões pelo Cluj (iremos falar do emblema romeno na parte 2), conquista o seu 2º título de campeão na carreira, depois de tê-lo feito ao serviço do Cluj e agora, de forma peculiar, pelo Ferencváros!

Fica para a memória um dos 5 golos que marcou pelo Haladás!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter