Portugueses a jogar pelo Mundo: Pedro Mendes, o criativo na Letónia

Francisco IsaacNovembro 13, 20183min0

Portugueses a jogar pelo Mundo: Pedro Mendes, o criativo na Letónia

Francisco IsaacNovembro 13, 20183min0
Na Letónia joga um trio de "portugueses" que estão a lutar pelo sucesso do Ventspils. Sténio, Fortes e o mágico Pedro Mendes. Conheces o médio-ofensivo ex-Sporting CP?

Esta rubrica é direccionada a todos os leitores que queiram ficar a perceber quem são alguns dos nossos atletas a actuar fora-de-portas. De Espanha a Inglaterra, da Holanda à MLS, fiquem a saber um pouco mais sobre estes jogadores, em que liga podem observá-los, o que de bom têm e como jogam.

PEDRO MENDES, NA LETÓNIA PARA IMPRESSIONAR

Pedro Rafael Amado Mendes, conhece o nome? Se não consegue recordar-se do nome ou associá-lo ao jogador está semi-perdoado, uma vez que o médio-centro formado em Alcochete (saiu nos sub-17 em direcção a Setúbal) não jogou nunca ao mais alto nível quer da Primeira ou Segunda Liga, optando por emigrar para Angola e pouco depois Roménia.

Algumas informações do Bilhete de Identidade de Pedro Mendes: 24 anos, nascido e criado no Barreiro, desde cedo se juntou às escolas do Sporting Clube de Portugal onde procurou se afirmar. Infelizmente, saiu de forma prematura para o Vitória FC, numa altura mais conturbada da sua carreira em termos de estabilidade em clubes. Entre 2012 e 2017 trocou de clubes por seis ocasiões, actuando pelo Casa Pia, Mirandela, Libolo, Moura, Oriental e Pinhalovense.

A ida para Angola ajudou ao seu desenvolvimento, uma vez que apesar da sua qualidade na movimentação com bola e na saída rápida, sentia um certo “aperto” a nível físico e no conseguir manter o controlo da redonda em situações de pressão alta. Faltava-lhe, à época, intensidade e outro tipo de ideias para criar um interesse diferente de clubes de outro patamar.

O regresso a Portugal não foi estupendo, apesar de ter assumido um papel interessante no Oriental onde se notava mais cultura com o esférico nos pés, outra versatilidade, visão de jogo e consciência do seu papel no “miolo” de jogo. Foram os primeiros pontapés do médio na Ledman LigaPro sem deslumbrar. Transferiu-se em Janeiro de 2017 para o Pinhalovense, onde não teve tanta sorte como no clube anterior, mas a estada foi curta em Pinhal Novo com a chegada da proposta de transferência para o FC Poli Iasi da Primeira Liga da Roménia.

Ao serviço do emblema de Timișoara, o criativo “acordou” para o futebol: 20 jogos, 3 golos e 4 assistências numa primeira temporada em que conseguiu ajudar o clube apurar-se para a fase final do campeonato. Pedro Mendes apresentava um futebol ágil, fácil de se compreender, de boa ligação entre os avançados e os extremos, surgindo muitas vezes solto para guiar a equipa para o ataque letal. Não tanto um dez puro, mais um box-to-box, de capacidade em agora carregar a bola sem tanta gaguês, explorando bem o espaço intermédio e esquerdo do ataque.

A boa época na Roménia aguçou o interesse de novos pretendentes e no Verão de 2018 assinou pelos letões do FK Ventspils, depois de uma rescisão pouco amigável com o Poli (rumores de salários em atraso e falhas nas promessas dadas pela direcção). Na Letónia já alinhou a titular por 10 ocasiões, fez um golo e três assistências, disputou a eliminatória na Liga Europa perdida para o Bordéus (boa exibição em casa dos franceses) cativando o público.

Neste momento, já se desvinculou da formação letã e pode estar a caminho de um clube português.

A evolução de Pedro Mendes é notável, ao conseguir crescer em vários aspectos (nomeadamente no controlo de bola, resolução e decisão no passe e liderança no “miolo” de jogo) e encontrar novas soluções para a sua carreira. Não vai ser jogador de selecção, mas merece atenção pela forma como tem se superado ano após ano.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter