Os 5 jogadores portugueses em melhor forma na Europa

Francisco IsaacDezembro 9, 20186min0

Os 5 jogadores portugueses em melhor forma na Europa

Francisco IsaacDezembro 9, 20186min0
Portugal continua em alta no lançamento de jogadores no Velho Continente nos últimos 30 anos. Agora em 2018 quem são os atletas lusos em melhor forma na Europa?

Portugal é sem dúvida um dos melhores exportadores de jogadores de alto calibre nos últimos 20/30 anos com Paulo Futre, Luís Figo, Fernando Couto, Deco, Ricardo Carvalho, Rui Costa, Pauleta, a serem alguns dos representantes máximos antes da chegada da vaga iniciada por Cristiano Ronaldo. Hoje em dia são vários os jogadores lusos a militar nas principais equipas europeias e destacamos os que começaram a época a abrir e em melhor forma na Europa!

Quem é que podíamos ter incluído na lista?

CRISTIANO RONALDO (JUVENTUS)

Mudou de clube, mudou de campeonato mas os números continuam no mesmo timbre elevado dos últimos anos, com o 5-vezes Bola de Ouro a assumir um papel decisivo e preponderante no emblema da Juventus. Em 19 jogos realizados, o extremo já conseguiu atirar a bola por 11 vezes para o fundo das redes, assistindo os seus parceiros em outras 7 ocasiões.

Depois de vários anos de serviço à causa merengue, a mudança para a Vecchia Signora foi vista com algumas reservas iniciais mas cedo Cristiano Ronaldo provou o contrário com golos, assistências, exibições de classe total e um domínio total na manobra de jogo dos heptacampeões italianos. Ronaldo está o mesmo jogador que foi em Madrid, apresentando aquela velocidade de movimentos decisiva para além de uma predisposição de se envolver constantemente com a equipa.

Com apenas um empate em 15 jogos da Serie A, vitórias frente a vários dos rivais directos na luta pelo título, um futebol pulsante e apaixonante, para além da classificação garantida para a próxima ronda da Liga os Campeões, o efeito CR7 tem se feito sentir em terras transalpinas.

BERNARDO SILVA (MANCHESTER CITY)

O pequeno mágico dos citizens tem apaixonado as hostes inglesas de adeptos com um futebol sempre emocionante, pautado por uma boa inteligência, criação de excelentes linhas de passe e propenso para dar outra dimensão à gestão de jogo que Pep Guardiola tanto gosta de imputar nas suas equipas.

Na época actual, Bernardo Silva soma 20 jogos (mais de 90% como titular), 4 golos e 6 assistências, assumindo um certo peso no campeões ingleses em título. Na Selecção Nacional liderou bem o ataque, com influência directa nas melhores combinações do ataque luso operando bem com André Silva, Pizzi, João Mário, Bruma, Rúben Neves e restantes colegas.

Tem sido mais consistente nesta temporada, com um futebol mais equilibrado e uma confiança bem mais alta na luta pelos duelos individuais, onde os números são claros do domínio que Bernardo Silva tem na transição do meio-campo para o ataque da formação de Manchester e em Portugal também.

RÚBEN NEVES (WOLVES)

Não fosse o 5º amarelo recebido na recepção ao Cardiff e o trinco português seria um dos totalistas principais da Premier League, com os pés bem assentes no controlo de jogo da formação liderada por Nuno Espírito Santo.

O excelente início de época dos lobos deu os fundamentos necessários para Rúben Neves chegar à Selecção Nacional, onde conquistou desde logo a titularidade nas mudanças profundas encetadas por Fernando Santos.

Um 6 moderno, prático na saída com bola, inteligente no lançamento das linhas de ataque, bom recuperador nos duelos individuais com os adversários e possuidor de um remate sempre a pegar fogo, o trinco tem açambarcado a atenção na Premier League.

Com 21 anos, soma dois golos e uma assistência neste seu primeiro contacto com a maior liga mundial de futebol e a excelência de futebol com que tem presenteado os adeptos ingleses tem sido sentida. Até onde vai Rúben Neves?

O genial trinco Neves com o 1º golo do Wolves nesta temporada

XEKA (LOSC LILLE)

O Lille está no 2º lugar da Ligue1 e o “contentor” de portugueses tem dado provas da sua qualidade em terras “gaulesas” com José Fonte, Edgar Ié, Rafael Leão, Rui Fonte e Xeka. O trinco que saiu do SC Braga em 2017 rumo a França tem sido um dos melhores nomes do emblema do norte de França.

Bom passe, inteligente nas recuperações, difícil de ser tirado da frente, Xeka tem sido preponderante no garantir de bola no meio-campo defensivo para depois atribuir o relançamento de jogo ao seu par de médios mais avançado. Não sendo “genial” na gestão de jogo, Xeka sabe fazer boa utilidade da posse de bola, sem se entregar a invenções que comprometam os processos de equipa.

Fisicamente intenso, Xeka atribui bons dinamismos ao meio-campo defensivo do Lille, atribuindo outra dimensão a esta formação que luta por um lugar nas competições europeias na época que se segue. Aos 24 anos, o trinco está a destacar-se numa das Big5 e merece toda a atenção focada no seu brilhantismo enquanto “tampão” do meio-campo do Lille.

JOÃO CANCELO (JUVENTUS)

Depois de uma época pouco positiva ao serviço do Inter de Milão, a chegada a Turim foi o passo certo para o lateral-direito português que entre o ganhar da titularidade na Juventus e na Selecção Nacional, tem também se assumido como preponderante nas movimentações defensivas e ofensivas em ambos os “campos”.

Cancelo é um dos atletas mais brilhantes da sua geração, com um controlo de bola inteligente e que facilmente transforma numa saída rápida para o ataque, abrindo-se várias possibilidades para a Vecchia Signora, uma vez que pode apostar numa corrida até à linha de fora e aplicar um cruzamento tenso ou arriscar numa triangulação bem combinada os colegas para suscitar um remate perigoso ou uma assistência bem trabalhada.

A somar aos aspectos atacantes, o lateral formado na Academia do Seixal tem um sentido de posicionamento de ponta, onde se evidencia um controlo das operações defensivas sem que os seus adversários consigam efectuar grandes roturas defensivas à conta da ala direita.

É um dos laterais-direitos modernos que o futebol português ansiava, mais vocacionado na defesa que Nélson Semedo, superior a Ricardo Pereira na saída para o ataque e polivalente o suficiente para garantir tanto na faixa direita ou esquerda.

Outros jogadores que têm apresentado boa forma neste início de época, apesar de um ligeira queda nos últimos três jogos são: Ricardo Quaresma (20 jogos, 3 golos e 11 assistências ao serviço o Besiktas aos 35 anos de idade), André Silva (depois de uma fase sempre a marcar golos, o ponta-de-lança em 20 jogos apresenta 9 tentos confirmados), Rui Patrício, Ricardo Pereira, José Fonte ou, mais recentemente, João Mário.

Assistência perfeita de Cancelo para Manduzkic


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter