Humildade vs Divindade: Radnički Kragujevac vs Santos de 1969

João FreitasMaio 2, 20213min0

Humildade vs Divindade: Radnički Kragujevac vs Santos de 1969

João FreitasMaio 2, 20213min0
Em 1969 o Santos arregaçou as "mangas" e embarcou em direcção à Europa, culminando esta viagem num jogo improvável e que ficou nas lendas do futebol europeu

Entre as décadas de 1950 e 1970, as tournés europeias do Santos eram bastante comuns. Aquela que, muito provavelmente, era a melhor equipa do mundo, “os Santásticos” onde populavam estrelas como Gylmar, Carlos Alberto Torres, Clodoaldo, Djalma Dias, Rildo e tendo à cabeça da constelação Pelé enchia as tribunas dos diversos estádios europeus.

Em 1969 (e com o 8º título de campeão do Campeonato Paulista na bagagem nos últimos 9 anos), a turma santista visitou a Jugoslávia para disputar 4 jogos, um em Saravejo com o Željezničar, outro em Zagreb com o Dinamo e dois em Belgrado frente ao Estrela Vermelha e o Partizan.

Em setembro de 1969, o Santos já se encontrava em Belgrado e teve a oportunidade de assistir a um jogo do seu futuro oponente, o Partizan de Belgrado, que era o vice-campeão da Grande Jugoslávia de então – o Estrela Vermelha tinha levantado o título tanto em 67 como em 68. Esse jogo amigável foi realizado a 6 de Setembro de 1969, com o Partizan a defrontar o modesto Radnički Kragujevac, da pequena cidade de Kragujevac situada a 150km de Belgrado.

O Radnički – a palavra em servo-croata significa “Operários” – era um recém-promovido ao escalão principal da pirâmide do futebol jugoslavo, depois de alguns anos de luta para atingir o patamar principal do futebol deste país. Porém, naquela tarde de Setembro com uma brilhante performance aplicou um incontestável 4-1 ao todo poderoso Partizan que marcou, na altura, os jornais locais e não só… a verdade é que essa estonteante exibição dos modestos Operários de Kragujevac levou a uma mudança de planos por parte dos dirigentes santistas, levando-os a escolher o Radnički como adversário, agendado o jogo em Kragujevac, deixando cair o duelo com o Partizan em Belgrado.

Reza a lenda, que esta situação adveio de um pedido expresso da maior estrela da companha, o próprio Pelé, com o governo jugoslavo a não ter outra solução que não aceitar a mudança de planos na tourné, criando assim uma situação igualmente peculiar e admirável. Não indagando nos mitos e lendas desta decisão, a verdade é que a 15 de Setembro, a melhor equipa do mundo subiu ao relvado do Estádio Čika Dača em Kragujevac para espanto de todos, com 40.000 bilhetes a serem vendidos numa cidade onde habitavam 80.000 habitantes. Perante uma pesada chuva, Radnički e Santos empataram a 4 com golos de Edu (3), Nikolić, Paunović, Paunovski (2) e do inevitável Pelé.

Assim se criou uma das mais míticas tardes – e histórias – do futebol popular jugoslavo. Quanto aos demais jogos dessa tourné, O Santos consentiu empates frente ao Estrela Vermelha (a três golos), Dinamo Zagreb (a um golo) e Željezničar (um golo cada), marcando assim a passagem de uma das melhores equipas do futebol mundial pela Europa.

Pelé com Paunovski (Foto: Revista)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter