A história do início dos penaltis: do azar inglês até a tristeza de Baggio

João Ricardo PedroMaio 16, 20194min0

A história do início dos penaltis: do azar inglês até a tristeza de Baggio

João Ricardo PedroMaio 16, 20194min0
Penaltis, aquele pormenor do futebol que causa grande sofrimento em todos os adeptos foi uma invenção inglesa... mas quando e como? Descobre com a Enciclopédia do Desporto em Português

Esta é de certeza a forma mais dolorosa de perder um jogo de futebol, mas é sem dúvida o momento de maior suspense numa eliminatória. Não é por acaso que o presidente da Mauritânia, em 2015, aborrecido com o jogo da Supertaça, ordenou ao minuto 63 que o jogo fosse direto para o desempate por penaltis.

A história dos penáltis

O desempate por penaltis foi introduzido no futebol em 1970 na “Watney Cup”, competição inglesa de pré-época já extinta e que apenas existiu entre 1970 e 1973. O primeiro jogo a ser resolvido nos penaltis foi a meia-final da Watney Cup entre o Hull City e o Manchester City. Desde então muitos jogos importantes foram vencidos ou perdidos no famoso e nervoso desempate por grandes penalidades.

O azar inglês

Para os ingleses, os criadores desta forma de desempate, a experiência tem sido bastante traumática. Na meia final do Itália 90, Stuart Pearce e Chris Waddle falharam os penaltis e enviaram para casa a equipa de Bobby Robson, indo à final a Alemanha Ocidental, que acabou por vencer o Campeonato do Mundo.

Em 1996, a Inglaterra foi a anfitriã do Campeonato da Europa e acabou por cair novamente diante da Alemanha, na meia-final e no desempate por penaltis. E, desta vez, o azarado da noite foi Gareth Southgate. Dias mais tarde a equipa alemã levantou o título de campeã da Europa em pleno estádio do Wembley.

Dois anos mais tarde os ingleses atravessaram o canal da mancha para jogar o Campeonato do Mundo e foram novamente eliminados na lotaria das grandes penalidades para a eterna rival Argentina. Desta vez os “culpados” foram Paul Ince e David Batty.

Portugal também entra na história de azares inglesa com as penalidades. A seleção nacional orientada por Scolari teve a sorte do seu lado e eliminou a Inglaterra de Sven-Göran Eriksson nos penaltis, por duas vezes consecutivas em 2004 e 2006.

Helmuth Duckadam, o herói de Sevilha

Algumas equipas entraram em campo já com as grandes penalidades no pensamento, como foi o caso do Steaua de Bucareste na final da Taça dos Campeões Europeus de 1986. Os romenos estavam conscientes das poucas chances que tinham de vencer o Barcelona em jogo aberto, e jogaram de uma forma defensiva, e até declarada para o empate a zero, na esperança de conseguir a vitória na lotaria dos penaltis. De forma incrível, esta estratégia resultou. O guarda-redes romeno defendeu as 4 grande penalidades e o Steaua foi corado campeão da Europa.

As histórias de Panenka e Baggio

É impossível falar de grandes penalidades e não recordar a genialidade de Antonín Panenka que decidiu o Campeonato da Europa de 1976. Esta foi a única vez que uma final do Campeonato da Europa chegou às grandes penalidades.

O primeiro Mundial a ser decidido após a tortura dos penaltis foi o Brasil vs Itália na final do USA 94, sendo que o azar bateu à porta de Roberto Baggio, o génio e estrela maior da equipa. Curiosamente Baggio é o jogador com mais presenças em desempates por penáltis em Mundiais (1990, 1994 e 1998) e sempre com derrota para a Itália. Contudo, individualmente, apenas falhou um penalti em 1994. Se, por um lado, os italianos tiveram o azar de serem eliminados três vezes consecutivas nos penáltis, por outro lado, foi na dor e no sofrimento dos penaltis que foram campeões do Mundo em 2006.

Podemos afirmar que os alemães são os “mestres dos penaltis”, vencendo seis das sete vezes que foram obrigados a desempatar o jogo por penaltis. Perderam a primeira vez na final do Euro 76 para a Checoslováquia com golo do já citado Panenka. Desde então saíram sempre vencedores no desempate das grandes penalidades. Vitória sobre a França no Mundial 82; vitória contra o México no Mundial 86; vitória contra a Inglaterra no Mundial 90; vitória contra a Inglaterra no Euro 96; vitória contra a Argentina no Mundial 2006 e, por fim, vitória contra a Itália no Euro 2016.

A primeira final de um torneio organizado pela FIFA a ser resolvida nos penaltis foi a final do Mundial sub-20 em 1991 no estádio da Luz entre Portugal e Brasil. A sorte acabou por sorriu aos portugueses e Rui Costa foi o autor do penalti decisivo.

Os três desempate nos penaltis que mais me marcaram:

  • Brasil vs Itália – Mundial 1994
  • Portugal vs Inglaterra – Euro 2004
  • Liverpool vs AC Milan – Liga dos Campeões 2004-05


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter