O Top-10 de melhores jogadores portugueses do ano civil de 2019

Francisco IsaacJaneiro 6, 20206min0

O Top-10 de melhores jogadores portugueses do ano civil de 2019

Francisco IsaacJaneiro 6, 20206min0
Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva constam neste top-10, mas quem são os outros jogadores portugueses que vislumbraram em 2019? Vota no ranking anual do Fair Play

2019 foi um ano positivo para o futebol português, já que a Selecção Nacional conseguiu levantar o título de campeão da Liga das Nações e garantiu o apuramento para o Campeonato da Europa 2020 mas falhou o objectivo de ser cabeça de série. A vida dos clubes portugueses nas competições europeias não foi espectacular, com o FC Porto a chegar até aos quartos-de-final da Liga dos Campeões enquanto que o SL Benfica ficou-se também pela fase de grupos.

Vários atletas portugueses foram campeões das suas ligas ou ajudaram a conquistar excelentes lugares nas tabelas classificativas para as suas equipas, ficando um detalhe final de interesse no ar: não houve bandeira portuguesa nos festejos quer da Liga dos Campeões ou Liga Europa, algo raro nos últimos 10 anos.

Posto isto, escolhemos os nossos 10 melhores atletas portugueses do ano 2019 (e só considerámos dados referentes ao ano civil que terminou há pouco), tendo tomado em consideração as seguintes condicionantes: exibições individuais, troféus conquistados, importância da liga e se conseguiu alinhar por Portugal. Fica ao cargo do leitor escolher a posição final no ranking dos melhores jogadores do ano… quem vai ficar no 1º lugar?

CRISTIANO RONALDO (JUVENTUS/PORTUGAL)

Mais um ano, mais um par de troféus conquistados e mais de 30 golos marcados (36 precisamente), ficando assim novamente na História do Futebol, seja pelas exibições individuais, pela forma como liderou a Selecção Nacional e a capacidade em evoluir para se adaptar à perda de algumas qualidades mas sem cair na qualidade exibicional. Cristiano Ronaldo fez 22 golos pela Juventus e 14 por Portugal, tendo somado a sua primeira Serie A e Liga das Nações (melhor marcador da fase final da competição), estando à beira dos 100 tentos concretizados pelas Quinas.

BERNARDO SILVA (MANCHESTER CITY/PORTUGAL)

Genial pelo City e excelente por Portugal, foi este o ano do pequeno fantasista português que foi essencial na conquista do título dos citizens na Premier League, para além de ter sido um dos construtores de jogo das cores nacionais durante a Liga das Nações e apuramento para o Europeu. Pode não ter tido números fenomenais, mas é pela forma como dá dimensão ofensiva e qualidade técnica às equipas por onde passa que merece todo e qualquer destaque neste momento.

PIZZI (SL BENFICA (SL BENFICA/PORTUGAL)

27 golos e 27 assistências, são estes os dados relativos ao ano de 2019 de um dos melhores jogadores de sempre do SL Benfica, demonstrando que ter ficado em Lisboa foi o melhor para o presente e futuro dos encarnados. Na Selecção Nacional foi a espaços mostrando alguns dos seus melhores apontamentos, mas ainda bem longe do que tem feito pelas águias. O arranque de época positivo da equipa lisboeta em 2019 pode muito bem ficar atribuído ao papel de Pizzi (e o surgimento de Vinicius) na expressão ofensiva dos encarnados.

DIOGO JOTA (WOLVES/PORTUGAL)

Como uma formiga atómica, Diogo Jota foi em 2019 um dos principais elementos do Wolves que não só garantiu a permanência na Premier League como conquistou o apuramento para a Liga Europa, tendo ainda conquistado ao acesso à fase a eliminar da mesma prova no final de 2019. O extremo/avançado foi quase imprescindível para a estratégia de jogo de Nuno Espírito Santo, seja pela velocidade, constantes dribles e capacidade de dar uma continuidade ao jogo da formação inglesa de forma acelerada e inteligente.

RICARDO PEREIRA (LEICESTER CITY/PORTUGAL)

O lateral-direito tem somado excelentes exibições atrás de excelentes exibições pelo Leicester City, mostrando-se imprescindível desde que assinou pelos foxes, tendo rubricado um ano de 2019 de soberba qualidade. Seja pelos pormenores físicos, técnicos ou tácticos, o polivalente atleta português conseguiu conquistar um lugar a titular pelas Quinas nos jogos decisivos do apuramento para o Campeonato da Europa, tendo sido um dos melhores quer contra o Luxemburgo ou Ucrânia.

BRUNO FERNANDES (SPORTING CP/PORTUGAL)

É definitivamente o melhor jogador português a alinhar na Liga NOS e não só pelo facto de ter batido recordes internacionais (ultrapassou Frank Lampard como o médio com mais golos numa temporada só) mas por ter conseguido liderar de forma excepcional o Sporting CP, que no início de 2019 era considerado um barco à deriva. Foi o segundo atleta português com mais títulos conquistados em 2019 com 3 (Bernardo Silva levantou toda a prata possível em Inglaterra, mais a Liga das Nações) e mostrou-se como um dos médios mais brilhantes do futebol português, tendo atingido o registo de 31 golos e 22 assistências.

RÚBEN NEVES (WOLVES/PORTUGAL)

Outra entrada que vem directamente do Wolves… Rúben Neves. O trinco e/ou médio-centro formado no FC Porto foi essencial na estratégia de jogo do Wolves, apresentando aquele toque de bola extraordinário e “perfumado”, conferindo equilíbrio e inteligência aos processos ofensivos da equipa comandada por Nuno Espírito Santo, sem esquecer a forma como se apresenta no controlo das operações defensivas.

JOÃO FÉLIX (SL BENFICA/ ATLÉTICO MADRID/PORTUGAL)

Apesar dos primeiros 6 meses pelo Atlético Madrid não terem corrido de feição (apenas 4 golos em 19 jogos), a forma como ajudou a galvanizar o ataque do SL Benfica de Bruno Lage foi extraordinário apresentado só 18 anos nas pernas quando subiu ao plantel principal. 18 golos e 10 assistências em 2019 pelas águias, campeão nacional e estreia por Portugal, foram alguns dos momentos mais altos do talentoso e jovem jogador português.

JOSÉ FONTE (LILLE/PORTUGAL)

O central português tem mantido a qualidade exibicional época após época e em 2019 revelou-se como um dos melhores centrais da Ligue 1, tendo ajudado o Lille a garantir o apuramento para a Liga dos Campeões. A forma como comanda os seus colegas dentro da área, a rapidez com que ataca as operações ofensivas contrárias e a excelente leitura dos ritmos de jogo têm sido só alguns dos elementos de uma panóplia de qualidades do defesa luso que voltou a ser essencial na selecção (5 jogos a titular, 1 como suplente em 8 jogos possíveis).

RUI PATRÍCIO (WOLVES/PORTUGAL)

Foi considerado como um dos melhores guardiães da Premier League em 2018/2019, enchendo a baliza do Wolves com excelentes paragens, atitude decisiva e capacidade em garantir uma plataforma estável do jogo defensivo da formação inglesa. Como Diogo Jota ou Rúben Neves, fez parte de um grupo de atletas essenciais para a qualificação para a Liga Europa, não esquecendo o seu papel ao serviço de Portugal tanto na Liga das Nações como na qualificação para o Europeu.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter