Dois Gigantes Sem Trono no Futebol

Francisco da SilvaDezembro 28, 20193min0

Dois Gigantes Sem Trono no Futebol

Francisco da SilvaDezembro 28, 20193min0
Em mais um artigo da rubrica Futebol Popular, o Fair Play irá debruçar-se sobre a falta de representatividade dos concelhos de Sintra e de Vila Nova de Gaia no principal escalão do futebol português.

Os concelhos de Sintra e Vila Nova de Gaia são dois gigantes demográficos num país cada vez mais desequilibrado, envelhecido e com constantes saldos naturais negativos. Excluindo a capital Lisboa, Sintra e Vila Nova de Gaia são os dois municípios mais populosos de Portugal com mais de 377 mil e 302 mil habitantes, respetivamente, segundos os Censos 2011.

A grandeza populacional destes concelhos não é transposta para o Desporto Rei, uma vez que nenhum deles alguma vez teve um clube seu presente na primeira liga portuguesa. O desempenho dos clubes sintrenses e gaienses estão muito aquém do que seria expectável tenho em conta as molduras humanas e empresariais que rodeiam os respetivos municípios.

O concelho de Sintra inclui na sua montra clubística vários emblemas carismáticos, contudo, nenhum deles ousou ainda gladiar-se com os principais clubes nacionais. A Sociedade Filarmónica União 1º Dezembro foi fundada nesse mesmo dia do ano de 1880 e conheceu o seu período de maior sucesso entre 1999 e 2012, altura em que o clube sintrense venceu 12 campeonatos nacionais consecutivos de futebol feminino. Outro clube que faz furor no concelho é o Sport União Sintrense fundado em 1911 e cujo traje azul e amarelo é uma das imagens de marcas do espírito e folia desta agremiação. Igualmente equipado de amarelo e azul e ainda com algumas pinceladas de preto encontra-se o emblema do Real Sport Clube, o clube que esteve mais perto de representar o concelho de Sintra na primeira liga pois há duas temporadas chegou até à segunda liga portuguesa. Por último, um destaque importante para o recente Club Sintra Football criado em 2007 mas com um êxito retumbante no futebol não-profissional, aliás, na memória está a recente vitória deste emblema frente ao Vitória Sport Clube na 3ª eliminatória da Taça de Portugal. Todos estes clubes encontram-se hoje a disputar o Campeonato de Portugal, medindo herculeamente forças para serem o primeiro emblema sintrense a representar o concelho no principal campeonato português.

Quando o 1º Dezembro dominava o Futebol Feminino | Fonte: SU 1º Dezembro

A norte, o concelho de Vila Nova de Gaia é marcado por um enorme culto bairrista que tem levado ao crescimento de inúmeros clubes espalhados por toda a área geográfica. São diversos os clubes com massas adeptas fiéis, apaixonadas e com a garganta/língua afiada, sendo bons exemplos o Clube Desportivo do Candal fundado em 1904, o Vilanovense Futebol Clube datado de 1914 e recentemente “substituído” pelo Vila Futebol Clube, o Sport Clube de Canidelo criado em 1924 ou o irreverente Sport Clube Os Dragões Sandinenses erguido em 1927. Todos estes emblemas estão recolhidos nos campeonatos distritais, porém, os adeptos fervilham por um melhor desempenho desportivo que desperte ainda mais todo o culto bairrista. Os principais representantes gaienses no Campeonato de Portugal confinam-se ao Sporting Clube de Coimbrões, fundado em 1920, e com um forte investimento nas camadas jovens, ao polémico e surpreendente Clube Futebol Canelas 2010 que irá marcar presença nos quartos-de-final da Taça de Portugal e, por fim, ao recente Valadares Gaia Futebol Clube que desde 2011 tem crescido de forma sustentável no panorama futebolístico gaiense.

SC Coimbrões defrontou o FC Porto na Taça de Portugal | Fonte: Record

Os concelhos de Sintra e Vila Nova de Gaia são vítimas da sua própria riqueza identitária e de um excessivo culto bairrista que tem impedido a consolidação de um emblema incontestável, unânime e agregador destes gigantes urbanos. O futebol feminino e as modalidades como o hóquei em patins, o andebol ou o futsal demonstram que estes concelhos têm um enorme potencial para se assumirem também no principal escalão do futebol português, contudo, tudo dependerá da resiliência e paixão dos inúmeros aficionados que suportam tantos clubes históricos nestes dois concelhos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter