As melhores mentiras no futebol: Lita e um alongamento que correu mal

Francisco IsaacMarço 13, 20203min0

As melhores mentiras no futebol: Lita e um alongamento que correu mal

Francisco IsaacMarço 13, 20203min0
Em 2007, o internacional sub-21 pela Inglaterra lesionou-se sozinho deixando várias dúvidas em como surgiu tal problema físico. Uma mentira aceitável ou uma verdade indesejável?

Sabes de algumas maiores “tangas” perpetuadas no Desporto-Rei? Desde jogadores fictícios (Tó Madeira!), a selecções-fantasma a conversas paralelas enganadoras, fomos em busca de 5 das melhores mentiras do futebol! 

ALONGAR OU NÃO ALONGAR… EIS A LESÃO!

Guarda o leitor memórias de Leroy Lita, avançado que se notabilizou pelos sub-21 da Inglaterra e o Reading nos anos idos de 2005-2007? Possante striker que despontou inicialmente no Bristol, tendo dado o salto para o Reading FC em 2005, o inglês nascido em Kinshasa no Zaire era uma das principais referências do emblema do sudeste da Inglaterra tendo conseguido 30 golos em duas temporadas, um marco então significativo para a jovem carreira do avançado.

Contudo, a terceira temporada pelo Reading marcou o início do “fim” de uma promissora carreira e o ponto de origem dos problemas a nível psicológico e mentalidade profissional começaram em Agosto de 2007, altura em que surgiu uma lesão médio-grave a nível muscular com Steve Coppell, treinador do Reading à época, a comunicar a gravidade da mesma,

“Leroy está com grandes dores. Ele vai estar lesionado entre três e quatro semanas e hoje nem conseguia sair da cama e andar. Ao que nos fizeram chegar, Lita acordou e começou a alongar deitado na cama e de repente algo estalou na perna. Não é uma lesão mereça ser ridicularizada ou gozada, já que pode ser um problema a nível do nervo. Não sei se rasgou ou se deslocou, mas ele mal conseguia andar na segunda-feira e não consegue de todo treinar.”.

História esclarecida e arrumada? Não, de forma alguma. Como deverão saber, os tablóides ingleses não costumam largar uma história destas com facilidade e o facto de Coppell ter revelado que Lita tinha contraído uma lesão enquanto estava estirado na cama não ajudou nada à “defesa” do striker. Ora, depois de várias horas perdidas em investigação e em conversas com “fontes próximas” (sabendo desde logo que a maioria das testemunhas do Daily Mail ou do Daily Star são fabricadas pelos próprios “jornalistas” dos mesmos) descobriram que Lita tinha se lesionado a meio de… sexo ou masturbação.

Pedimos desde logo desculpas pelo uso do vernáculo ou de brincarmos com este tema mais sórdido, mas é sempre uma história divertida quando uma estrela da Premier League arranca uma lesão num ambiente mais descontraído e relaxado, a exemplo do que aconteceu com Santiago Cañizares (falhou o Mundial 2002 porque um frasco de perfume caiu-lhe em cima do pé, com um vidro a rasgar um tendão) ou Jari Litmanen (ia ficando cego com uma brincadeira com uma lata de coca-cola).

Mas neste caso, foi a forma como Leroy Lita tentou esconder o assunto da equipa técnica já que depois de Steve Coppell ter comunicado à imprensa o “local” de criação dessa lesão, o avançado foi evitando falar em como tinha esticado mal aquela zona em específico. Voltas e mais voltas foram dadas e depois de algum tempo, os colegas de equipa do Reading começaram a brincar com essas auto-brincadeiras na cama e aos poucos a história foi ficando clara… afinal não foi a dormir ou alongar depois de uma noite de sono, mas sim quando estava a receber e a transmitir carinhos com uma amiga.

Steve Coppell ainda perdoou esta primeira “mentira” de Lita, mas com o decorrer da época foram surgindo outros episódios algo insólitos (menos em comparação com este de Agosto de 2007) sempre mal explicados pelo jogador ao seu staff técnico. Por isso, lição desta história… alongar e aquecer bem antes de realizar qualquer outra prática física mesmo que seja no relaxe na vossa cama!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter