As Crónicas do Sr. Ribeiro: Rugby Total em Portugal!

Fair PlayFevereiro 19, 20184min0

As Crónicas do Sr. Ribeiro: Rugby Total em Portugal!

Fair PlayFevereiro 19, 20184min0
O Sr. Ribeiro apitou um jogo de sub-16 que teve algo raro e único! O quê? Rugby Total em Portugal! Quem foram os protagonistas? Lê e aplaude connosco

O que se passa com os nossos sub 16?

Este fim-de-semana arbitrei o Direito – Cascais deste escalão e saí de lá sem saber bem o que aconteceu.

Posso ser acusado de dizer bem das coisas, só por dizer, mas neste caso seria impossível não o fazer…

O jogo começou com um erro meu… Nada de novo. O Cascais chutou, no pontapé de início, directamente para dentro da área de validação, onde o jogador do GDD agarrou na bola e fez toque de meta. Assinalei, mal, pontapé de 22, quando a decisão certa era dar a escolher entre repetir o pontapé de início, ou mellee ao centro.

O pior é que esta questão foi levantada na formação de arbitragem pelo João Simões, jogador dos sub 16 do Cascais e árbitro. A diferença entre ser 22, ou a mellee fica na expressão inglesa “delay”. Se o jogador na área de validação fizer o toque de meta, sem delay, vamos para o meio campo, se jogar a bola ou atrasar, então é 22. Errei. Desculpa, mais uma vez, João!

Adiante, um arranque surpreendente do Cascais, obrigou a duas penalidades consecutivas da equipa da casa, um fora-de-jogo e uma placagem alta, daquelas que se não assinalasse não existiria o “bruá”do público, o placador até agarrou bem, mas deixou os braços irem subindo. Ambas as faltas pelo mesmo jogador. Chamei o capitão dos Advogados e esse jogador não fez mais qualquer falta até ao fim do jogo.

Cascais muito forte e um Direito mais cauteloso deram um início que quase trazia pontos aos visitantes, não fosse uma defesa irrepreensível. A defesa do GDD é muito rápida a cair sobre a bola, e leem muito bem o jogo, assim que um jogador verde se isolava, meio segundo que fosse, a bola era sacada.

Foram 10/15 minutos de investida verde. Até que o Direito saiu com a bola.

Ao primeiro fora-de-jogo, marcado ao Cascais, o capitão do GDD, logo à saída dos seus 22 surpreendeu-me, pela primeira vez. Pediu mellee… Queriam jogar.

De todo o lado!

E jogaram.

Tanto uma equipa como outra, jogaram e muito. Mas para não ser apenas uma opinião, vamos a números.

No total, obrigaram-me a fazer 4,46kms na hora que durou o jogo. Parece pouco, quando vemos os jogadores da bola a saírem, lavados em suor, com 8kms corridos e um ar de esforço lendário. Mas lembremos que, esses tipos jogaram mais meia hora (45minutos cada parte), e não são sub 16. Também não são o árbitro e o desporto deles não tem contacto a sério.

De facto, o que mais me impressionou neste jogo, de rugby total são as estatísticas.

Os 4,46kms, na realidade não são numa hora, se o tempo útil de um jogo internacional andará por volta dos 50%, nos nossos sub 16 será menor. Ou seja, os 4,46km são em menos de meia hora, o que já é alguma coisa.

Mais, diz-me o meu relógio que os dois picos de velocidade são 5 segundos a 3:07/km e 10 segundos a 3:25/km.

Para quem não sabe o que isto quer dizer, é rápido. O meu record nos 10kms, nada de especial – mas meu- é de 4:30/km. Andei, então, quase um minuto mais rápido que no meu record, o que mostra a velocidade do jogo.

Também na utilização do campo, estes jogadores foram exímios. Como sei?

Utilizei o relógio das corridas para ver o tempo, tenho o mapa por onde andei, facilmente vemos que andei pelo campo todo e eu não tenho de dobrar o ponta!

Que craques!

Ainda na estatística, uma nota para o n.º 13 do GDD, um centro internacional faz algures entre 10 e 15 placagens num jogo, tenho a certeza que este jogador fez mais. Estava em todo o lado.

Tivemos jogo até ao fim.

Mais uma estatística engraçada, zero cartões, zero vezes a recuar dez metros, e que eu tenha visto, apenas numa jogada, em que talvez por me ter atrasado a chegar ao sítio da penalidade, os jogadores zangaram-se entre eles.

Isto num jogo com placagens com fartura, e para todos os gostos. Ao intervalo, depois de uma primeira parte muito bem conseguida pelo Direito, ouvia o treinador a exigir mais e mais. Bolas, pensei eu, que mais poderá estar a exigir ainda! São sub16 e jogam como muitos séniores não fazem…

A verdade é que a ambição é um bicho que exige ser alimentado e nunca para de crescer. Depois, quando bem direcionada, é muito difícil de conter.

Mais um dia fantástico

Foto: GDS Cascais

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter