5 Reforços de Inverno que não estão a render (internacional)

Fair PlayAbril 5, 20188min0

5 Reforços de Inverno que não estão a render (internacional)

Fair PlayAbril 5, 20188min0
O Mercado de Janeiro é sempre um momento importante da época, de forma a afinar o plantel mas há reforços que falham. 5 reforços de Inverno que não estão a render

Investimento… uma palavra que define o sucesso ou fracasso de uma empresa a curto, médio ou longo prazo no seu futuro.

No futebol o Mercado de Inverno é visto sobretudo como uma altura para investir em atletas que podem dar a vitamina extra à equipa X ou Y, de modo a impulsionar o plantel para um nível superior ou, pelo menos, ter mais soluções válidas para o ataque ao título, competições internacionais ou manutenção.

O Fair Play escolheu 5 reforços de Inverno que não estão a render, defraudando as expectativas de treinadores, direcções, adeptos, comentadores e muito mais. Desde casos de compras espectaculares (pelo menos na teoria) ou empréstimos de suposta qualidade, aqui ficam os 5 nomes a considerar.

ALÉXIS SANCHEZ (MANCHESTER UNITED)

Posição: Extremo-Avançado
Idade: 29
País: Chile
Clube de onde veio: Arsenal FC
Clube para onde foi: Manchester United
Tipo de contrato: Troca directa por Mkhitaryan por 3 anos
Nº jogos/golos: 11 jogos e 2 golos (918 minutos)

Um craque com dificuldade em encontrar-se. Não haverá muito melhor maneira de descrever os primeiros meses de Alexis Sánchez ao serviço do Manchester United.

Figura de proa nos Gunners de Wenger, onde muitas vezes levava autenticamente a equipa às costas, com arrancadas pela esquerda, diagonais da esquerda para o meio e confiança extrema no drible, o chileno tornou-se rapidamente num dos preferidos dos adeptos, até ao duro golpe de Janeiro, quando foi consumada a sua mudança para os Red Devils.

Apesar da suposta troca com Henrikh Mkhitaryan, era para a maioria um negócio mais proveitoso para os homens de Manchester, que ganhava um craque mundial e enfraquecia um dos rivais.

O facto é que Alexis atravessa talvez o pior momento da sua carreira, onde tudo lhe parece correr mal. Más decisões, maus passes, incapacidade no um para um, falta de atitude e empenho e uma anormal incapacidade de conseguir fazer a diferença começam a afetar o psicológico do jogador, que aparenta claramente nervosismo por não conseguir que as coisas saiam bem.

Ainda assim, parece começar a melhorar, para bem do futebol e do United. 2 golos e 3 assistências em 11 jogos são os números da estrela chilena, de quem vamos sentir falta nos meses de Junho e Julho na Rússia.

ARDA TURAN (ISTANBUL BASAKSEHIR)

Posição: Médio
Idade: 31
País: Turquia
Clube de onde veio: FC Barcelona
Clube para onde foi: Istanbul Basaksehir
Tipo de contrato: Empréstimo c/ opção de comra
Nº jogos/golos: 6 jogos e 1 golo (322 minutos)

Arda Turan regressou no mercado de inverno ao campeonato turco consumando um desfecho já há muito esperado pelo jogador e pelo próprio Barcelona. Um empréstimo com a duração de duas temporadas ao Istanbul Basaksehir, uma das equipas sensação da Super Liga e o mais recente rival do seu Galarasaray que curiosamente tem atravessado uma crise desportiva grave.

A estreia do agora camisola 14 ao serviço da equipa foi de sonho. Carimbou o 0-3 final frente ao Bursaspor com um belo remate à entrada da área. Turan voltou à ribalta e foi alvo de destaque da imprensa europeia.

Mas após esse momento, sofreu uma nova recaída. Perda da titularidade, lesão muscular e apenas 1 golo em 6 jogos disputados até ao momento.

EMERSON DOS SANTOS (CHELSEA)

Posição: Lateral-esquerdo
Idade: 23
País: Itália (naturalizado)
Clube de onde veio: AS Roma
Clube para onde foi: Chelsea FC
Tipo de contrato: Compra por 20M€ por 4 anos
Nº jogos/golos: 3 Jogos (105 minutos)

Emerson Palmieri, proveniente da Roma, chegou ao Chelsea, muito bem referenciado e pela quantia de 20 milhões de euros.

O lateral esquerdo italo-brasileiro, fez uma temporada 2016/2017 acima da média, bastando apenas 12 jogos para a cláusula de venda ser acionada, garantindo apenas 2 milhões de euros ao Santos, que tinha o jogador emprestado aos italianos.

Com um grande poderio ofensivo, o jogador que escolheu a seleção transalpina, decidiu mudar de ares. Mudou-se em janeiro para Inglaterra, mas a verdade é que não está a corresponder como o esperado, participando em apenas 3 partidas.

O lateral de 23 anos, apesar de ter estado lesionado praticamente toda a primeira metade da época, voltou à ação em dezembro e esperava-se que pudesse contribuir mais para os blues.

O jogador veio para lutar com o indiscutível, Marcos Alonso, e parece que o espanhol não está a vacilar. Habilidoso, com boa margem de passe e boa leitura de jogo, o italiano terá descanso este verão devido à sua seleção não participar no Mundial e esta escassa utilização, não fará tanta mossa a nível internacional.

Terá, contudo, a pré-época 2018/2019 para tentar convencer Conte e roubar o lugar ao seu homólogo espanhol. Assim, pelo quão bem vinha referenciado, esperava-se mais do jogador e por isso não estar a acontecer, entra nesta lista.

LUCAS MOURA (TOTTENHAM HOTSPUR FC)

Posição: Extremo
Idade: 25
País: Brasil
Clube de onde veio: Paris Saint-Germain
Clube para onde foi: Tottenham Hotspur
Tipo de contrato: Compra por 30M€ por 3 anos
Nº jogos/golos: 6 jogos e 1 golo (257 minutos)

Lucas Moura, que foi transferido para o Tottenham em janeiro por cerca de 28,40 milhões de euros, tentou seguir para Inglaterra para tentar relançar a sua carreira, mas não foi, até agora, bem-sucedido.

Contabiliza apenas 6 jogos com as cores dos spurs, tantos como aqueles que fez em Paris na 1ª metade da época. O brasileiro foi mais feliz no São Paulo, onde é considerado um ídolo, mas quando chegou a altura de dar o salto, nem sempre se afirmou como se esperava, como em França.

O extremo procurou, então, um novo clube para poder entrar nas contas de Tite para o Mundial da Rússia, mas a jogar tão pouco, a chamada à Canarinha parece pouco provável. Munido de uma grande qualidade técnica, Lucas veio para uma equipa que tem dos melhores meios-campos ofensivos da Europa e isso também não facilitou, apesar de em Paris também não ser muito mais fácil.

Não obstante, foram quase 30 milhões de euros que os Coys gastaram e o jogador de 25 anos tinha a obrigação de, no mínimo, fazer “tremer” jogadores como Eriksen ou Son, tendo ainda que superar Lamela.

Por isso, Lucas, que chegou a ser tomado como uma das grandes promessas do futebol mundial, e que não foi barato tinha que mostrar mais serviço ao mundo e ao não mostrar, entra nesta lista.

VITOLO (ATLÉTICO DE MADRID)

Posição: Extremo
Idade: 28
País: Espanha
Clube de onde veio: Sevilha FC
Clube para onde foi: Atlético de Madrid
Tipo de contrato: Compra por 36M€ por 4 anos
Nº jogos/golos: 13 jogos e 3 golos (600 minutos)

Se há transferência realizada em circunstâncias menos normais, é a de Vitolo. Lembremo-nos da restrição imposta ao Atlético de Madrid até ao passado mercado, altura em que ela terminou. A contratação foi feita no verão em 2017 mas só em janeiro se concretizou.

Vitolo ficou a rodar num fraco Las Palmas, clube do seu coração, e chegou ao Atlético, mas o seu percurso em Madrid não tem sido nada fácil.

O jogador jogou em 13 jogos até ao momento, 5 deles como titular, muito pouco para um jogador que custou 36 Milhões de euros. Noutros sete jogos, o jogador nem saiu do banco de suplentes. Na última jornada da liga espanhola, nem sequer foi opção devido a ter sido expulso na jornada anterior.

Na maioria dos jogos a titular, o espanhol é também o primeiro a sair de campo, logo no início da segunda parte. Tal comprova que o rendimento do mesmo não tem estado de acordo as pretensões de Simeone, um treinador conhecido pela exigência e rigor.

Vitolo tem as características técnicas, físicas e defensivas que seriam ideais na equipa do técnico Simeone, mas tal não tem sido muito notório até agora. Recordar que Yannick Ferreira-Carrasco saiu do clube, bem como Gaitán (menor importância), algo que devia dar mais margem de manobra ao espanhol.

Se continuar este percurso irregular, não será fácil para o insular ir ao Mundial, perante uma Espanha tão recheada de talento.

Artigo feito em parceria por João Negreira, Ricardo Lestre, Pedro Couñago e Gonçalo Melo


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter