3 Jogadores da Segunda Liga que têm de dar o salto para a Liga NOS

Francisco IsaacMaio 6, 20195min0

3 Jogadores da Segunda Liga que têm de dar o salto para a Liga NOS

Francisco IsaacMaio 6, 20195min0
A segunda liga está prestes a terminar e já há alguns jogadores que desejamos ver na Liga NOS. Do central Yuri a dois extremos do Famalicão, quem é que também podia estar nesta lista?

A Ledman Liga Pro está quase a acabar e depois de um ano em que FC Paços de Ferreira foi atingido pela “magia” do Rei das subidas e o FC Famalicão confirmou o regresso a um palco que já não vê há largos anos, é altura de percebermos que jogadores podem vir a afirmar-se na Primeira Liga, como aconteceu com Chiquinho, Osama Rashid, Luther Singh, Luiz Phellype ou Bruno Lamas.

Quem podem então ser estas surpresas? Estas são as nossas 3 escolhas para jogadores que têm de dar o salto para a Liga NOS (não seleccionámos jogadores que já tenham passado pela 1ª liga, reservando esses para outro artigo).

WALTERSON SILVA (FC FAMALICÃO)

O Famalicão está de regresso às lides do futebol português e depois de um ano de 2019 fantástico em termos de resultados, já começa a pensar como vai ser o plantel para a próxima época mas fica com a certeza de ter já um plantel próximo do necessário para sobreviver na Liga NOS.

Com alguns nomes menos conhecidos mas recheados de talento individual e propensos a formar um colectivo de qualidade, destacamos Walterson Silva um perfeito desconhecido para quem não acompanha a Ledman LigaPro.

Reforço no Verão de 2018, o extremo chegou, viu e venceu, conquistando o lugar na ala esquerda do 11 de Sérgio Vieira e mantendo-o mesmo com a chegada do novo treinador, Carlos Pinto (consegue uma 2ª subida consecutiva, depois de ter ajudado o Santa Clara ascender à Liga NOS).

Walterson Silva apresentou sempre os melhores argumentos para garantir um lugar no ataque dos famalicenses, munido de um poder de arranque de qualidade, uma troca de pés talentosa e um sentido posicional reforçado que confere outro tipo de fluidez às manobras ofensivas.

Nesta temporada foi responsável por 10 golos e 5 assistências em 32 jogos e não há dúvidas que pode surpreender na Liga NOS muito pela panóplia de soluções que oferece, criando sérios problemas a defesas que dêem demasiado espaço ao extremo.

YURI (ACADÉMICA DE COIMBRA)

No início da época, a Académica de Coimbra sofreu uma série de reveses que acabaram por assinar o destino final dos conimbricenses com cinco derrotas e três empates, numa perda total de 18 pontos que agora fariam toda a diferença na luta pela promoção… no início de época, Yuri só jogou em um desses 8 reveses e mal entrou a titular na equipa a Briosa melhorou imediatamente e começou a conquistar pontos e vitórias.

Pouco se sabe da carreira de Yuri antes de vir para Portugal, tendo chegado no Verão de 2016 vindo do América-PE. À chegada não conseguiu conquistar a titularidade no onze mas aos poucos foi se assumindo como uma solução de qualidade para o eixo-defensivo do histórico emblema de Coimbra.

Infelizmente, o fracasso da subida acabou por enublar as boas prestações do defesa de 1 metro e 86 centímetros, mas no fundo serviram de rampa de lançamento para a sua afirmação na Ledman LigaPro.

Competente e “agressivo” no jogo aéreo, esgrima bem com os atacantes adversários, optando por apresentar uma postura de leitura mais calculista do que impor uma defesa alta e de pressão (por vezes fica demasiado na expectativa e é apanhado em contra-movimentos), fazendo uso da sua velocidade e rapidez para silenciar quem se aproxima à área. É um central similar a Igor Santos do Moreirense FC ou de César de Martins do FC Santa Clara.

O novo fracasso da subida da Académica de Coimbra poderá forçar a saída de alguns dos melhores jogadores e Jefferson Yuri de Sousa Matias possivelmente pode ver uma possibilidade em dar o salto para uma divisão que aprecia o tipo de central que o brasileiro é.

Fotot: Lusa

FELIZ VAZ (FC FAMALICÃO)

A introdução de Feliz Vaz nesta lista é “manhosa”, uma vez que o extremo do FC Famalicão actuou cerca de…. 60 segundos na Liga NOS pelo Rio Ave há quase dez anos atrás. Contudo, este minuto ao serviços dos vilacondenses não pode inviabilizar a nossa escolha já que Feliz tem sido uma das lendas-vivas do Famalicão dos últimos anos, com golos, assistências e exibições memoráveis que foram acalentando a equipa nortenha.

Em 2018/2019 foi novamente preponderante para o Famalicão e para além de ter sido quase sempre titular, o extremo foi responsável por 16 assistências, um número recorde na Ledman LigaPro deste ano e de outras épocas. Com 30 anos, assume-se como um dos extremos mais criativos da segunda liga, detentor de uma passada minimamente dinâmica e eléctrica, com pormenores mágicos que fazem qualquer adepto ou comentador ficar extasiado.

A baixa estatura pode parecer um “não”, mas grandes jogadores não se medem aos palmos mas sim por tudo o que trazem para dentro das quatro-linhas e Feliz é aquele tipo de atleta que transforma a manobra do Famalicão em algo diferente num simples estalar de dedos, ou no caso de Feliz Vaz, numa troca de pés virtuosa.

Depois de mais de 150 jogos ao serviço do emblema famalicense, Feliz Vaz terá a oportunidade de pisar relvados históricos e dos maiores emblemas do futebol português e será esperado que continue a dar outra animação e categoria ao regresso do FC Famalicão à Primeira Liga.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter