25 Mai, 2018

José Rodrigues. “Foi sempre um dos meus maiores sonhos jogar por Portugal.”

Francisco IsaacDezembro 26, 201710min0

José Rodrigues. “Foi sempre um dos meus maiores sonhos jogar por Portugal.”

Francisco IsaacDezembro 26, 201710min0
O médio de abertura da AEIS Agronomia fala sobre a sua carreira em Portugal e de ter conseguido jogar pela selecção. Entrevista em Exclusivo
José, grande estreia contra a República Checa! Estavas à espera deste momento: jogar por Portugal?

Sim, claro que sim! Foi sempre um dos meus maiores sonhos jogar por Portugal e atingir o nível de internacional.

Como é que começaste a jogar rugby? Há alguma história de “origem”?

Comecei a jogar com oito anos, num nível de rugby que era apelidado de “bulletjie rugby”. Como estava sempre a mudar-me, tanto a nível de casa como escola, nunca tive oportunidade a oportunidade de dedicar-me a uma só escola e atingir um bom nível. Depois quando saí da escola básica, entrei para uma academia de rugby o que me ajudou a desenvolver os meus skills e conhecimento do jogo. Cheguei a jogar no patamar da Currie Cup, que é um nível bom na África do Sul e hoje estou aqui em Portugal, na Agronomia.

Já tinhas tido vontade jogar pela selecção portuguesa antes de vires para cá?

Sim, um pouco porque o meu pai é português e o país e as pessoas são fantásticas.

Jogaste sempre a abertura ou chegaste a testar noutras posições?

É engraçado falares disso, porque eu comecei como formação quando era miúdo… era pequeno e magro. Só comecei a ser abertura na academia e foi a melhor escolha possível.

Qual é o teu objectivo a longo prazo?

Conseguir chegar muito longe, ser conhecido na África do Sul e tornar-me no melhor nº10 de sempre!

Trabalhaste muito para atingir este nível no pontapé? Que conselhos podes dar?

Sim, a minha namorada faz pressão para que eu vá chutar pelo menos duas vezes por semana. Um conselho que posso dar aos mais jovens, é que sejam sempre humildes e quando quiserem começar a chutar têm de se sentir confortáveis e serem eles próprios!

A Agronomia foi e é fundamental na tua vida como jogador profissional de rugby… estás feliz no clube? E como defines o espírito em Agronomia?

Eu estou muito feliz aqui em Agronomia, eles tratam muito bem tanto a mim como a minha namorada. O espírito de equipa é fenomenal, como uma verdadeira família.

Foi um risco vires para cá? Achas que o clube tem um grande potencial?

Um bocado, porque quando saímos da África do Sul a minha namorada estava a dar aulas de fitness a tempo inteiro e a estudar ao mesmo tempo por exemplo. No meu caso estava no 2º ano de um curso como electricista que tive de desistir para vir para cá.

Como é que te motivas diariamente? Queres jogar no estrangeiro?

Eu lembro-me que Deus deu-me estas capacidades espectaculares e que eu tenho de fazer o melhor uso delas. Sou abençoado nesse sentido. Não é uma obrigação atenção, é uma “oferta” e estou muito agradecido. É por isso que eu trabalho no duro para dar um bom futuro a mim e à minha namorada… ter um background humilde ajudou-me.

José Rodrigues por Agronomia (Foto: Nuno Oliveira Fotografia)

Como é que te descreves?

Humilde, Consistente, Apaixonando e um trabalhador nato!

É muito difícil ser profissional de rugby? Que sacrifícios tens de fazer?

Acordar cedo, ir para o ginásio, ter uma vida saudável, ir chutar pelo menos duas vezes por semana. Mas não vejo isto como um sacrifício, mas sim como uma oportunidade e uma bênção.

Gostas do nível competitivo em Portugal? Quais são as nossas melhores qualidades e defeitos?

A competição aqui é muito dura e rápida. Um ponto forte é que o rugby é realmente veloz, não usas assim tanto os avançados como se usa na África do Sul e há sempre um bom apoio ao portador da bola. Defeito acho que é a cultura do futebol, que impede os miúdos de começarem mais cedo no rugby.

O que achas da situação na África do Sul? Achas que ainda há possibilidade de chegar longe no Japão em 2019 ou até mesmo ganhar?

Para ser honesto acho que não vão conseguir ganhar, mas o rugby é um desporto imprevisível nunca se sabe.

Umas perguntas rápidas: Beauden Barrett, George Ford or Bernard Foley?

Barrett.

Que jogador vem-te à cabeça quando ouves a palavra “Lenda”?

Carlos Spencer.

Situação que escolherias: placar o Nemani Nadolo ou tentar passar pelo Same Cane?

A segunda sem dúvidas!

Uma pessoa que motiva-te?

A minha namorada, pelo apoio que me dá dentro e fora de campo… significa muito para mim.

Define Portugal em três palavras.

Vida à noite, bonito e bem desenvolvido.

Colega de equipa mais divertido? E aquele que escolherias para mandar placar outra pessoa?

Fanã! Para uma grande placagem: António Cortes (faz pegas!).

Queres deixar umas palavras para os fãs de rugby português?

Obrigado a todos pelo apoio, significa muito para mim e para os meus colegas de equipa. Ajudem-nos a continuar assim!

ENGLISH VERSION | VERSÃO INGLESA

José, so big game against the Czech Republic! Were you waiting for this moment: to put on the Portuguese jersey?

Yes most definitely! It’s been one of my dreams for so long to play international rugby and to represent Portugal.

How did you start playing rugby? What’s your “Origins” story?

Started playing rugby at the age of 8. At that time we were called “bulletjie rugby’’. We moved a lot through schools so I never had the opportunity to stay in one school and play good rugby in school level. Then after school I went to a rugby academy which helped me a lot with my skills and knowledge of the game. Sometime later I played some rugby in the Currie Cup competition level which is a good level in South Africa and now as you know I’m In Portugal at Agronomia.

Before coming here, did you ever felt compelled to play for Portugal?

A little bit because my father is Portuguese and the country / people are amazing.

Growing up in South Africa you were involved with rugby… were you always a fly-half or did you play on other positions?

Funny to say I started playing as a scrumhalf when I was younger because I use to be small and short. Moved to flyhalf at academy level which was a good choice.

What is your dream goal?

To make a name for myself in South Africa and to become the best 10 ever!

Did you work a lot to achieve this kicking excellence? What advise can you give to young kickers?

Yes my girlfriend makes sure I go kicking at least twice a week. An advise I can give to young children is to always stay humble and when they want to kick one day they need to be comfortable as possible and not try to be someone else.

In your time in South Africa, did you play with or against very well known players? Do you dream on going to the World Cup?

Yes played with a few big names like Jaun Deysel, Tera Mtembu and Keegan Daniel. It wil be a massive dream just to be part of the world cup.

Agronomia plays a big role in your professional rugby life… are you happy with the club? And how can you define the Agronomia team spirit?

I am very happy with Agronomia they look very good after me and my girlfriend and the team spirit is phenomenal and a big brotherhood.

Was it a gamble to come to Agronomia? Do you reckon the club as a big club with potential?

Yes at the time in South Africa it was definitely a gamble because my girlfriend was working as a personal trainer for a lot of people and studding at the same time and I was busy with an electrical apprentice (2nd year) which I needed to drop out to come play rugby.

How do you motivate yourself to become stronger and better each new day? Do you want to play abroad?

I remind myself that God gave me these amazing talents that I must use to the best of my ability and to be blessed. It’s not a MUST it’s a gift from God and therefor I am very grateful. Therefore I would like to work hard for me and my girlfriend future as I come from humble beginnings myself.

How can you describe yourself as a player?

Humble, Consistent, Passionate and hard working

Is it hard to be a professional rugby player? What type of sacrifices do you have to make every day?

Wake up early for gym training, healthy lifestyle, kicking twice a week but I actually don’t see it as a sacrifice I see it as a opportunity and a blessing.

José Rodrigues por Agronomia (Foto: Nuno Oliveira Fotografia)

Do you like the competition in Portugal? What are our biggest strong points and our deepest flaws?

Yes, the competition is very tough and fast. The strong points is that the rugby is fast and you don’t use the forwards as much as in South Africa and that there is always great support from the side. Deepest flaws I can say is that children in Portugal love soccer more which makes the development much harder for them to be the best in rugby .

What do you think about the South Africa rugby situation, can they come back and win the next World Cup?

To be honest no but anything is possible rugby is a very unpredictable sport.

Some very quick questions: Beauden Barrett, George Ford or Bernard Foley?

Barret.

What player comes to your mind when you hear the word Legend ?

Carlos Spencer.

What situation would pick: tackle Nemani Nadolo or try to run pass Sam Cane?

Run pass Sam Cane

A person who drives you forward?

My girlfriend because her support of and on the field means a lot to me.

Define Portugal in three words.

Nightlife, Beautiful, Well Developed.

Funniest team-member in Agronomia? And if you could pick one to deliver a big tackle who would it be?

Fanã! Big tackle: Antonio Cortes (Bull Fighter)

Care to give some words to the Portuguese rugby fans?

Thanks, you for all the support guys its means a lot to me and the players.  You keep us going !!!!!!!!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter