Arquivo de Sporting - Página 2 de 13 - Fair Play

ondevaiumvaotodos.jpg?fit=670%2C377&ssl=1
José Nuno QueirósDezembro 11, 20203min0

Depois de uma campanha pautada pela ideia de união, Frederico Varandas parece ter finalmente conseguido criar essa premissa no universo leonino, ainda que de forma indireta.

O Sporting anda desunido há largos anos e nem os bons resultados são suficientes para unir os adeptos sportinguistas, que vivem sedentos de novas eleições até ao dia em que é eleito o seu candidato, virando-se aí a mesa para os que perderam, num ciclo vicioso e cansativo.

Por isto tudo, e pela forma como decorreu o último ato eleitoral sabia-se que ia ser quase impossível para o presidente conseguir efetivamente unir o clube. Parecia impossível, mas agora já nem tanto…

O Efeito Amorim

Amorim foi a grande aposta de Varandas e, até ver, a melhor que podia ter tomado enquanto presidente, e sem qualquer sombra de dúvidas, bem melhor que todas as outras que tomou do mesmo foro.

Já poucos se lembraram que Amorim custou 10M de euros ao Sporting, e os poucos que se lembram rapidamente perdoam a loucura se, por milagre, Amorim fizer do Sporting campeão nacional.

Apesar de não ser sportinguista, Amorim é um profissional de excelência e tudo tem feito para dignificar o clube e sente o peso da camisola como poucos, trazendo aquilo a que muitos chamam de “mentalidade vencedora”, que ele adquiriu ao longo da carreira, nomeadamente, ao serviço do Benfica.

Com um futebol entusiasmante, um sistema inovador e futurístico e, principalmente, resultados desportivos na prova principal que se traduz num 1º lugar na classificação, seria difícil pedir mais a Rúben Amorim nesta fase (talvez só aquele jogo com o LASK numa altura prejudicial por culpa da covid…).

Ainda assim e num ato lunático apenas possível no Sporting, alguns sócios (custa-me classificar como adeptos), enviaram para a MAG pedidos para demitir a direção, talvez descontentes com a presença no lugar mais alto do pódio.

É a prova de que continua a haver quem não esteja unido em prol do clube e continue a por os interesses individuais acima do clube. A direção liderada por Frederico Varandas montou um bom plantel, contratou um bom treinador e continua a sofrer dos erros do passado, querendo até passar-se a ideia que foi Amorim quem contratou os jogadores.

O Ponto de Viragem

Até que finalmente, mesmo estes críticos conseguiram arranjar um ponto de encontro com a direção, equipa técnica e jogadores do Sporting.

O jogo em Famalicão uniu o Sporting como nada tinha unido até aqui no universo Sporting, e tudo graças à… arbitragem.

A prestação da equipa chefiada por Luís Godinho foi tão negativa que todos os sócios e adeptos ficaram unidos em torno do plantel, numa espécie de união contra quem tenta ilegalmente puxar para baixo a equipa do Sporting.

Mais uma vez tiveram que ser os árbitros a fazer o que ninguém conseguiu fazer, porque não há nada que una mais os sportinguistas do que os prejuízos causados pela arbitragem.

Luís Godinho, por mera coincidência, fica ligado aos 4 pontos perdidos pelo Sporting uma vez que, como se diz sempre que o Sporting é prejudicado, Luís Godinho teve duas noites más.

No final, e catapultado por toda a injustiça que assolou a equipa, Rúben Amorim disse que na equipa do Sporting “Onde vai um, vão todos, e será assim até ao fim do campeonato”.

Ao menos que o assalto de Famalicão traga algo de bom a este grupo. Que traga a união necessária e que mostre aos atletas que no Sporting vão ter que jogar muito mais e marcar muito mais que os adversários para poder vencer os seus jogos.

AN8I0095-1-scaled.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
José Nuno QueirósNovembro 24, 20206min0

Numa altura em que já foi possível ver todas as soluções da turma de Alvalade chegou uma altura de analisar os reforços do Sporting e verificar se são mesmo melhorias para a equipa ou apenas um aumento de soluções.

Adán

O Guarda-redes espanhol chegou, viu e agarrou o lugar em Alvalade! Depois de uma pré-época em que se levantou muitas dúvidas sobre quem seria o número 1 da baliza leonina, eis que rapidamente estas se desfizeram, com uma ajudinha da covid-19, e em favor do ex-Atlético de Madrid.

Com uma segurança enorme na baliza, e principalmente muita qualidade e tranquilidade com a bola nos pés, até 1 assistência já tem, o Sporting volta  ater um Guarda-redes que inspira confiança. (Renan ao contrário da crença de muitos era um perigo na baliza!)

Fiquei sempre com a ideia que dava algo mais que Max na baliza e que seria sempre a aposta principal de Rúben Amorim. É certo que se trava a evolução de Max, mas ganha o Sporting no presente que é o mais importante.

Feddal

O marroquino chegou a Alvalade com muitas dúvidas colocadas em cima de si e o central pegou de estaca (a concorrência não é feroz diga-se) e para já com nota de destaque. Seguro na defesa, parece ter na sua velocidade o seu maior problema, mas para já sem comprometer. Demonstra grande espírito de luta ao ter jogado condicionado e tem enorme facilidade em explorar espaços na defensiva contrária com passes longos, mais dificuldades no passe curto.

Já leva duas assistências, uma num passe longo e outra num cabeceamento na sequência de uma bola parada onde tem sido também uma arma importante para a equipa.

Foto: Isabel Silva Fotografia

Porro

Era óbvio que ia ser titular, mais ainda quando a concorrência se destruiu a ela própria e sente-se como peixe na água em Alvalade num sistema de 3x4x3. Com mais preponderância ofensiva que defensiva (algo que potencia as suas qualidades e esconde as dificuldades), o lateral espanhol é um atleta com uma capacidade física invejável e que decide muito bem no momento do último passe ou de finalização.

Tem conquistado o coração dos adeptos e já se começa a ouvir pedidos para a sua contratação apesar de ter mais um ano de empréstimo.

Antunes

O Reforço que menos parece um reforço. Antunes chegou a Alvalade para ser um suplente de Nuno Mendes e para que de preferência quase nunca seja uma opção durante muitos jogos.

Do ponto de vista físico está muito mal furto da sua lesão e até no jogo da taça só jogou 45 minutos.

Têm experiência e uma vontade enorme. É um excelente jogador e já foi considerado o melhor lateral esquerdo em Espanha, num dos melhores campeonatos do mundo, mas parece que o seu tempo já passou e que foi a lesão a escolher o seu final de carreira.

Palhinha; João Mário e Daniel Bragança

Dois regressos por empréstimo e um jogador emprestado para o meio campo.

Decidi englobar todos no mesmo lote porque o meio campo do Sporting viveu uma autêntica revolução e apenas Matheus Nunes se manteve numa clara mostra de Amorim sobre o que era a qualidade (ou falta dela) dos jogadores nesta posição na época passada.

Palhinha tem lugar de destaque por ser o único médio com capacidade de desarme e recuperação fácil da bola, algo que alia a uma boa relação com bola e uma qualidade eficaz, sem responsabilidade de desequilíbrio. Um jogador absolutamente chave no plantel leonino.

João Mário é um craque e um jogador absolutamente mágico que tem uma relação absolutamente formidável com bola. Falta-lhe algum golo e uma maior intensidade na pressão, mas é o principal jogador do clube a criar espaços na defensiva adversária. Sabe sempre o que fazer com bola.

Daniel Bragança é um jogador muito muito interessante. Qualidade de passe, visão de jogo e qualidade técnico-tática ele sempre teve. Era a intensidade, a agressividade e a pressão que pareciam que a carreira dele não ia dar o clique que precisava. Com a passagem pela segunda liga Bragança ganhou tudo aquilo que lhe faltava e agora é um jogador absolutamente diferente para melhor.

Pode desequilibrar qualquer jogo mesmo a partir do banco.

Nuno Santos

Um poço de força e de raça. Nuno Santos veio para Alvalade com o intuito de ser uma peça chave e têm cumprido esse propósito.

Sempre em alta rotação e nunca satisfeito, o português chega motivadíssimo e com faro de golo e último passe. Peca por usar o pé direito exclusivamente para correr, algo que lhe estraga ainda mais oportunidades mas traz uma mentalidade que era necessária ao Sporting, a tal “mentalidade de vencedor”. Enorme reforço.

Nuno Santos em grande (Foto: Isabel Silva Fotografia)

Pedro Gonçalves

Jogador já falado aqui, este gigante atleta tem tudo para ser um craque do futebol português nos próximos anos. Adaptado a uma ala, Pote consegue estar mais perto do golo e isso tem sido notório nesta temporada.

Enorme facilidade em usar os dois pés e em atacar a profundidade, a que se juntam todas as características com bola que já tinha enquanto médio de ligação. Um craque dos pés à cabeça e que é facilmente o melhor reforço do Sporting.

Não vai ficar em Alvalade muito tempo.

Tabata

O internacional sub-23 brasileiro não vai ter vida fácil no clube uma vez que tem os dois melhores reforços a jogar nos lugares que ocupa, mas tem as suas vantagens.

O drible desconcertante e a facilidade em arranjar espaço para decidir juntam-se à facilidade que tem para assistir os colegas que contrasta com as dificuldades gritantes que tem na finalização e onde terá que melhorar se quiser ter papel de destaque.

É claramente o melhor atleta nas bolas paradas que exigem colocação da bola na área e pode ter aqui um trunfo importante.

Tena combater a maldição do número 7, apesar de ter começado já com… uma lesão.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS