24 Jun, 2018

Da Cruz, Author at Fair Play

34605527_205579126745786_3892708274033655808_n.jpg?fit=1200%2C944&ssl=1
Da CruzJunho 24, 20184min0

A temporada terminou com a obtenção do título da LNFS pelo Inter Movistar (o seu 13.º) conquistando o penta, inédito, campeonato pela primeira vez na sua história, ao vencer o Barça Lassa na quinta, última e decisiva partida realizada no Pavilhão Jorge Garbajosa em Madrid.

Foram cinco partidas fantásticas, só terminando no último penalti, onde houve de tudo. Erros forçados, bolas paradas, duelos individuais, gênios a decidir, jogadas com bonitos desenhos, grandes “paradas”, golos para todos os géneros e feitios.

Os vencedores

O Jaen Paraiso Interior – formação que se afirma época após época – e que em muito tem contribuído para o sucesso da equipa o apoio incondicional dos seus adeptos: a “Marea Amarilla”, ela que quando a equipa mais precisa até a faz ter asas, sendo muito participativa em todas as partidas que a sua equipa disputa. A equipa que é muito bem liderada pelo seu treinador Dani Rodríguez, que segue para a sua oitava época, levantaram pela segunda vez a histórica Copa Espanha Madrid 2018 naquela que foi a grande aposta da LNFS e de onde resultou um absoluto sucesso, sendo a atual imagem do Futsal Espanhol.

Fotografia: Instagram

Já o FC Barcelona Lassa, diante do Jaén, venceu a final da Copa del Rey. No início da época, e a abrir as hostilidades da temporada, a Supercopa de Espanha foi para as vitrines do conjunto Interista, contabilizando já doze no seu historial. Este que será também o primeiro troféu em disputa no inicio da próxima época.

Abordando o Inter Movistar, o campeão, é possível dizer que funcionam como um todo, um colectivo que se mostrou muito forte, muito compacto e com vários líderes. Um grupo de pessoas que colocou a cereja no topo ao terminar uma grande campanha após vencer a fase regular pela quinta época consecutiva e os Play Offs da LNFS, em que acabou por alcançar o triplete – Liga, Taça UEFA e Supercopa.

Após terminar oficialmente a campanha 2017/2018, é também hora de eleger os melhores de uma temporada cheia de emoção e espectáculo.

Os Melhores da Temporada 17/18

Treinador – Jesus Velasco (Inter)
Jogador – Ortiz (Inter)
Revelação – Adri Ortego (Zaragoza)
Goleador – Ferrao (Barcelona)
Destaque – Javier García Moreno “Chino” (Jaén)
Defesa – Boyis (Jaén)
Ala – Gadeia (Inter)
Pivot – Ferrao (Barcelona)
Adeptos – “Marea Amarilla” (Jaén)
Carreira – Paco Sedano (Barcelona)

O adeus a um dos melhores de sempre

Não podemos deixar de mencionar o guarda-redes Paco Sedano que se despediu das quadras enquanto jogador, aos 38 anos de idade. O jogador acabou por surpreender todos ao sair, alegando que precisa de dar mais atenção à família. Sabíamos que algum dia esse momento ia chegar. É por isso que devemos, enquanto amantes da modalidade, enfrentar a sua saída com o mesmo sucesso quanto a enorme carreira que teve. Em onze anos com a camisola Blaugrana vestida ganhou tudo. Teve o carinho de todos, foi muito querido em Barcelona, foi jogador com uma formação excecional e o mais laureado do clube com a conquista de 22 títulos no total. Desses títulos podemos destacar as três LNFS, duas Uefa Futsal Cup, três Copas de Espanha, uma SuperCopa, cinco Copas del Rey e como internacional por Espanha a conquista de um Mundial (2004) e dois Europeus (2005, 2016).

Fotografia: Instagram

“Tive uma carreira de sonho e tenho muita sorte de ter a carreira que tive. Se tivéssemos que perder de alguma forma eu teria escolhido esta. Nós esgotamos todas as hipóteses e chegamos à decisão das grandes penalidades no quinto e decisivo jogo. Saímos muito aborrecidos, mas com a cabeça levantada. Todos deram tudo e quando tudo fazemos temos que ir para casa com a consciência tranquila”, disse o jogador após a realização da quinta e decisiva partida.

Esta saída fez com que o FC Barcelona retirasse pela primeira vez uma camisola da sua equipa de Futsal, a do mítico número 28. Paco é um madrileno a quem se deve o merecido reconhecimento, sabendo ainda que outros grandes jogadores passaram pela Catalunha e por lá fizeram história. Exemplos como o de Javi Rodrigues e Torras.

Observando o caso de Sedano lembra-mo-nos de outros nomes como os do capitão Eseverri (também ele se despediu no final desta época), Luís Amado, Paulo Roberto, Santi Herrero e entre muitos outros jogadores que marcaram esta modalidade e que integram este lote. Quem sabe, se dentro de alguns meses ou anos, estamos a retomar este tema para alargar o leque.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS