19 Fev, 2018

Os melhores do Zonal Norte

João BastosDezembro 17, 20176min0

Os melhores do Zonal Norte

João BastosDezembro 17, 20176min0
O Torneio Zonal de Juvenis foi a última prova de 2017. O Zonal Norte teve lugar em Bragança e o Fair Play faz o resumo da competição

O Torneio Zonal de Juvenis da Zona Norte decorreu em Bragança entre os dias 15 e 17 de Dezembro. O Fair Play traz-lhe os principais destaques do Torneio


Os nadadores juvenis das Associações de Natação do Minho, do Nordeste, do Norte de Portugal, do Centro Norte e de Coimbra decidiram em Bragança os títulos de campeões zonais de juvenis da zona norte.

Os principais destaques da competição foram estes:

OS NADADORES COM MAIS TÍTULOS

Destacamos os nadadores que mais provas individuais venceram no Torneio:

Mariana Cunha

A jovem nadadora juvenil-B do Clube Fluvial Portuense foi a nadadora com mais títulos individuais da sua categoria. A portuense venceu tudo o que nadou, que ao todo foram cinco provas: 200 metros livres, 100 e 200 metros mariposa, 200 e 400 metros estilos.

Para alcançar os seus cinco títulos, estabeleceu três novos recordes pessoais, todos em provas de 200 metros. Aos 200 livres nadou em 2:08.68, aos 200 mariposa nadou em 2:24.59 e nos 200 estilos (onde é recordista nacional no escalão anterior a este – infantil-A) nadou em 2:24.60.

Depois de ter sido a juvenil-B mais completa do país, Mariana volta a estar em destaque. Apesar de contar apenas 13 anos, já deverá ser uma preciosa ajuda para o Fluvial no objectivo de se manter na 1ª divisão nacional feminina.

Foto: Luís Filipe Nunes

Ainda na categoria juvenil-B e no sector feminino, destaque também para Filipa Preto (FCP) que venceu igualmente 5 ouros, duas individuais (100 e 200 bruços) e as três estafetas pelo Futebol Clube do Porto, Maria Marques (Clube de Natação de Vagos) e Beatriz Gaspar (Hóquei Clube da Mealhada), ambas vencedoras de duas provas individuais – Maria nos 100 livres e 100 costas e Beatriz nos 400 e 800 livres.

Tiago Rodrigues

Mais um nadador portuense em destaque, também ele vencedor do Torneio do Nadador Completo nesta época. O nadador juvenil-B do CLIP – Colégio Luso-Internacional do Porto – venceu três provas, os 100 e 200 livres e ainda os 200 estilos.

Das três, melhorou o seu máximo pessoal na prova de 200 metros livres (o único das três provas cujo seu melhor tempo ainda não era desta época). Marcou 1:59.52 e pela primeira vez baixou dos 2 minutos.

Foto: Arquivo Pessoal

Quatro nadadores venceram duas provas: Vítor Oliveira (Columbófila Cantanhedense) venceu os 400 e os 1500 metros livres, Duarte Castro (FC Porto) venceu os 100 e 200 costas, Mateus Faia (Famalicão) venceu os 200 bruços e os 400 estilos e Lucas Pereira (SC Braga) venceu os 100 e 200 mariposa.

Camila Rebelo

Na categoria juvenil-A foi a nadadora do Louzan Natação que mais ouros levou para casa. Venceu quatro provas, foram elas os 100 metros livres, os 100 e os 200 metros costas e os 200 metros estilos.

Em todas elas estabeleceu recordes pessoais. Nos 100 livres baixou aos 58 segundos pela primeira vez. Fez 58.59, nos 100 costas nadou em 1:02.75, nos 200 costas em 2:18.40 e nos 200 estilos fez 2:22.62.

Foto: Luís Filipe Nunes

Ainda nadou os 200 metros livres, mas aí ficou no 2º lugar numa disputa cerradíssima com outra nadadora em destaque nestes zonais: Francisca Martins (FOCA), que para além dos 200 metros, também venceu os 400 e 800 metros livres.

Maria Rebelo, do União de Coimbra, também levou a melhor em três provas: 100 e 200 mariposa e 400 estilos.

Ricardo Rocha

O nadador do Clube Aquático Pacense foi o juvenil-A que mais provas venceu. Também ele foi tetra-campeão, levando os títulos dos 100 e 200 costas, 100 mariposa e 200 estilos.

Mais rotinado a nadar costas, foi nas outras duas provas que bateu novos recordes pessoais. Pela primeira vez baixou do minuto nos 100 metros mariposa e marcou 59.38. Nos 200 estilos tirou mais de 2 segundos ao seu anterior record e nadou em 2:09.82.

Foto: Clube Aquático Pacense

Depois de Ricardo Rocha, foi o nadador do Hóquei Clube da Mealhada que treina no CAR de Rio Maior, Eduardo Fernandes, que mais provas individuais venceu. Foram três ao todo: 400 livres, 200 mariposa e 400 estilos.

Duarte Sousa (União de Coimbra) levou as duas provas de bruços (100 e 200 metros).

OS NADADORES MAIS PONTUADOS

Pela Tabela FINA, as nadadoras mais pontuadas foram as que mais títulos venceram, ou seja, Mariana Cunha na categoria juvenil-B e o seu tempo dos 200 metros livres que lhe renderam 638 pontos e Camila Rebelo, a juvenil-A que fez 674 pontos nos 100 costas.

Já no sector masculino foram os fundistas que obtiveram mais pontos nas suas provas. Vítor Oliveira foi o juvenil-B que teve um melhor desempenho com os 584 pontos correspondentes aos 16:54.24 dos 1500 metros livres. Na categoria juvenil-A foi o nadador Paulo Frota que mais pontuou: foram 639 os pontos que os 16:24.13 aos 1500 metros livres lhe valeram.

OS MELHORES CLUBES

Juvenis B

O Futebol Clube do Porto foi a equipa com mais medalhas conquistadas. Ao todo foram 10, sendo 7 delas de ouro. As meninas do FCP contribuíram com 5 ouros e os meninos com 2.

No segundo lugar do medalheiro ficou outro clube da Invicta, o Clube Fluvial Portuense, com os 5 ouros de Mariana Cunha.

A fechar o pódio ficou o Clube Galitos de Aveiro com 7 medalhas, 3 delas de ouro, todas conquistadas nas estafetas masculinas.

Foto: Secção Natação F.C. Porto

Juvenis A

O Clube União de Coimbra dominou a categoria dos juvenis A. Subiu ao pódio 10 vezes, 5 vezes no 1º lugar e outras 5 no 2º lugar.

A Fundação Beatriz Santos ficou no 2º lugar do medalheiro juvenil-A. Apesar de ter conquistado mais uma medalha que a União de Coimbra, obteve menos uma de ouro, ou seja, conquistou 4.

A Louzan Natação foi embalado por Camila Rebelo para terminar no pódio do medalheiro, com os seus 4 ouros, num total de 5 medalhas.

Foto: Clube União 1919 – Natação


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter