22 Fev, 2018

Diana encerra Europeus com chave de ouro

João BastosDezembro 17, 20179min0

Diana encerra Europeus com chave de ouro

João BastosDezembro 17, 20179min0
Os Europeus de Natação de Piscina Curta chegaram ao fim e os portugueses voltaram a ter um desempenho muito positivo. Fique com o resumo do dia

Último dia dos Europeus de Piscina Curta em Copenhaga, com todos os nadadores portugueses em acção na despedida de uns campeonatos de bons resultados para a natação portuguesa.


Com a obtenção da 6ª final, esta igualou as edições com mais finais para Portugal. Até este ano, no sector feminino, apenas Maria Carlos Santos tinha chegado a uma final. Foi no Jamor em 1999. Em Copenhaga foram 3 as finais femininas onde Portugal marcou presença. A última foi hoje.

Fique com o último resumo dos Europeus de Copenhaga, uma competição de onde Portugal trouxe quatro novos recordes nacionais:

Diana Durães

As maiores possibilidades de chegar a uma final no dia de hoje recaíam sobre a prova de 400 metros livres e sobre a prestação de Diana Durães nas eliminatórias dessa prova.

A nadadora do Benfica nadou na 4ª série de 4, inscrita com o seu record nacional de 4:05.38, feitos na etapa da Taça do Mundo de Moscovo, em Agosto último. Este tempo era o 7º melhor entre todas as presentes, pelo que a final estaria, em teoria, ao alcance da fundista portuguesa.

Nas eliminatórias, Diana seguiu sempre no grupo da frente, controlando as nadadoras russas da pista 5 – Valeria Salamatina – e da pista 4 – Veronika Andrusenko – passando a meio da prova no 2º lugar, mas com as 5 nadadoras da frente separadas por apenas 30 centésimos. Nessa altura na outra metade da piscina onde seguiam Kathryn Greenslade (pista 2) e Simona Quadarella (pista 3) o ritmo foi aumentado, levando Andrusenko com elas, enquanto Diana continuou a controlar Salamatina.

No final chegou no 4º lugar da série com o tempo de 4:06.97 e a qualificação para a final, uma final que se prevê super disputada, tendo em conta que o apuramento se estabeleceu entre 4:04 e 4:06.

E assim foi, à excepção da alemã Sarah Köhler e da húngara Boglarka Kapas (as únicas abaixo de 4 minutos), formou-se um pelotão de três nadadoras que disputaram o bronze até ao final. Diana Durães estava nesse pelotão com Julia Hassler e Melanie Costa.

A portuguesa passou aos 200 metros em 2:01.21, mais de meio segundo abaixo da sua passagem em Moscovo e Diana manteve o ritmo vivo de 31.0/30.9 nos segundos 200. Acabou com novo record nacional de 4:04.61, classificando-se no 5º lugar, a melhor classificação nacional no sector feminino nestes mundiais, encerrando a participação portuguesa com grande brilho.

Foto: FPN

Tamila Holub

Tamila Holub também nadou a prova de 400 metros livres. Nadou na série 2, na pista 6, inscrita com 4:12.38. Ela tem de melhor tempo pessoal 4:10.52 e seria esse o objectivo a alcançar.

Tamila começou por nadar mais rápida do que os seus parciais para record pessoal, passando em 1:00.82 aos 100 metros e em 2:04.14 aos 200 metros, mas na segunda metade não conseguiu manter a décalage, apesar de ter subido posições na série.

Terminou com o tempo de 4:11.34, o seu segundo melhor da carreira, ficando no 2º lugar da sua série e no 15º lugar geral.

A jovem fundista portuguesa nadou em Copenhaga os 400 e 800 metros livres, não conseguindo trazer da capital dinamarquesa nenhum novo máximo pessoal. Importa referir que a nadadora do Sporting Clube de Braga treina há apenas quatro meses numa equipa (NC State University) que não treina em piscina de 25 metros, não tem esta competição como prioritária (ainda para mais a 3 meses da 1ª divisão do NCAA) e que exige um processo de adaptação naturalmente mais longo. Ainda assim, Tamila ficou a menos de 1 segundo de distância do seu melhor aos 400 metros livres.

Vamos aguardar pelos Europeus de Glasgow e aí sim, assistiremos ao regresso da melhor Tamila!

Foto: FPN

Victoria Kaminskaya

Depois da final dos 400 estilos e de recuperar o record nacional dos 200 estilos, só faltava uma missão a Victoria Kaminskaya: resgatar o record dos 200 metros bruços que Raquel Pereira lhe tirara há uma semana, com o tempo de 2:23.46.

Era uma tarefa espinhosa já que o melhor de Victoria é 2:25.49, feitos já este ano, mas os percursos de bruços nas provas de estilos mostraram que a nadadora do Estrelas de São João de Brito está muito bem nessa técnica.

O tempo final foi o seu segundo melhor. 2:26.19, um tempo que no início desta época ficaria a apenas 32 centésimos do record nacional, mas esta foi a prova que mais evoluiu em Portugal nos três meses que leva a época 2017/2018.

Victoria classificou-se no 21º lugar.

A nadadora de 22 anos vai guardar boas recordações de Copenhaga, sobretudo da sua final dos 400 metros estilos logo no primeiro dia , onde foi 6ª classificada com o novo record nacional de 4:36.19.

Foto: FPN

Alexis Santos

Terceira prova, terceira passagem à fase seguinte. A fechar os campeonatos o nadador do Sporting nadou os 50 metros costas e nas eliminatórias ficou a apenas 1 centésimo de distância do seu record nacional, nadando em 23.91 e vencendo a primeira série. Na geral ficou no 13º lugar das eliminatórias acedendo às meias finais.

Não veio de manhã, veio de tarde. A nadar na segunda meia-final, na pista 1, tentando o difícil objectivo de chegar à final, mas com o objectivo primário mais acessível de bater o seu melhor tempo.

Alexis teve o início da tarde para reflectir sobre a sua prova da parte da manhã e levaria bem estudada a lição para tirar o centésimo que lhe faltava para bater o seu record nacional e prova disso foi o tempo final: 23.86.

O nadador do Sporting terminou da melhor forma a sua participação nuns Europeus onde chegou a uma final e a duas meias-finais.

Foto: FPN

Gabriel Lopes

Manhã bastante atarefada para o nadador da Louzan Natação. Iniciou a sessão nadando os 50 metros costas na pista 4 da série 3, com o tempo de inscrição de 24.38 – o seu record pessoal.

Gabriel chegou no 2º lugar da série, melhorando o seu máximo pessoal para 24.14, classificando-se no 22º lugar final.

Apenas 25 minutos depois voltou à piscina para nadar os 200 metros mariposa e tentar fechar a sua participação em Copenhaga com um registo de 5 recordes pessoais em 5 provas nadadas. Os 200 mariposa não seriam grande obstáculo, uma vez que o seu melhor nesta prova em piscina curta era de 2:18.99.

Gabriel nadou a primeira série, na pista 6 e marcou 1:58.90 (passagem aos 100 metros em 55.38), passando a ser o 9º melhor português de todos os tempos nesta prova.

Na geral ficou classificado na 29ª posição, encerrando uma participação muito positiva nestes Europeus, de onde se destaca o novo record nacional dos 100 costas com 51.68.

Foto: FPN

Diogo Carvalho

O aveirense também encerrou a sua participação em Copenhaga nos 200 metros mariposa. O recordista nacional da prova com 1:53.39 nadava a última série, na pista 0, com o tempo de inscrição de 1:56.99.

Diogo fez melhor que o seu tempo de inscrição, mas um pouco longe do seu RN. Marcou 1:56.03 (com passagem em 54.95) e foi 7º na série e 19º na geral.

O nadador mais experiente e consagrado da delegação portuguesa despede-se de Copenhaga, de uns campeonatos onde alcançou a melhor classificação portuguesa, o 4º lugar nos 200 metros estilos, ficando a apenas 2 centésimos de obter a sua terceira medalha de bronze consecutiva na prova, em Europeus de Curta.

Foto: FPN

Miguel Nascimento

O nadador do Benfica acabou por não ter o desempenho que prometia depois do que fizera nos nacionais de piscina curta. Problemas físicos que o afectaram já no decorrer destes Europeus impediram-no de nadar ontem os 100 metros livres e condicionaram-no para hoje, nos 200 mariposa.

Vinha inscrito com o 23º tempo de inscrição, com 1:56.28 que é também o seu record pessoal, feito no ano passado nos mundiais de Windsor.

Alinhou na 4ª série, na pista 8 e até ao meio da prova estava dentro do tempo para estabelecer novo record pessoal. Passou em 55.44 e em Windsor tinha passado em 55.47. Nos segundos 100 metros não conseguiu manter o ritmo e acabou com 1:57.33, ou seja, nadou mais de 1 segundo pior em 100 metros do que quando estabelecera o seu record pessoal.

Terminou no 25º lugar final, pondo término à sua malograda participação em Copenhaga onde trouxe um novo record pessoal nos 200 metros livres, com o tempo de 1:46.03.

Foto: FPN

João Vital

Mais um totalista de recordes pessoais. Quatro provas, quatro novos máximos de carreira.

Vital completou o quarteto português que nadou os 200 mariposa. Nadou na pista 0 da série 2 e vinha inscrito com 2:04.09, mas o seu record pessoal é de 2:00.39.

O nadador do Sporting, a treinar no Centro de Alto Rendimento do Jamor, passou logo mais de 7 décimos mais rápido aos 100 metros, em 57.02, perspectivando que pudesse mesmo vir a baixar dos 2 minutos no final da prova.

Não aconteceu mas ficou mais perto. 2:00.17 foi o tempo do nadador de 19 anos, classificando-se no 7º lugar da sua série e no 35º da geral.

Balanço francamente positivo da participação de João Vital nestes Europeus, onde passou a contar no currículo com uma final. Foi nos 400 estilos, onde foi 8º com novo RP de 4:09.19.

Foto: FPN


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter