20 Nov, 2017

[Super Sprint] Bons tempos de S. Martinho

João BastosNovembro 14, 20176min0

[Super Sprint] Bons tempos de S. Martinho

João BastosNovembro 14, 20176min0
A competição nacional que dominou o passado fim-de-semana foi o IV Meeting Internacional do Algarve. Como já é apanágio, o Meeting teve um elevado nível

O IV Meeting Internacional do Algarve levou ao sul alguns dos melhores nadadores do país que, no primeiro momento de avaliação da época, responderam com marcas de grande nível


O primeiro Meeting da época decorreu em Vila Real de Santo António, como já vem sendo hábito há 4 anos. Este ano, o Meeting Internacional do Algarve atraiu (também como já é hábito) a elite da natação nacional, mas contou com um aumento do número de clubes espanhóis presentes, motivado pelo facto deste ser o primeiro de 4 Meetings integrado no I Circuito Luso-Andaluz.

Como sempre no Super Sprint, elegemos os nossos cinco destaques da competição:

1. Victoria Kaminskaya (Estrelas de São João de Brito)

A nadadora orientada pelo Professor Júlio Borja exibiu-se a um nível muito alto, sobretudo nos 200 metros bruços onde não perdeu tempo e, na sua primeira prova da temporada, estabeleceu um novo record nacional absoluto, superando os 2:25.87 de Diana Gomes. Victoria nadou em 2:25.49, com passagem em 1:10.02 aos 100 metros.

Para ela que nadou em 2:27.70 em piscina longa no ano passado, já seria de esperar que nadasse em 2:25 (ou até melhor) em piscina curta…o que não significava que fosse logo à primeira oportunidade.

Para além dos 200 bruços, também nadou os 400 estilos com novo record do meeting de 4:40.44, os 100 mariposa (também com record do meeting) em 1:00.52, os 200 mariposa que nadou em 2:12.57, os 100 estilos em 1:02.66 e ainda os 200 estilos onde foi desclassificada.

A julgar por esta primeira amostra, a nadadora do Estrelas promete mais uma época de alto nível, como aconteceu na anterior.

Foto: FPN

2. Ana Sousa (Litoral Alentejano)

Que grande evolução evidenciou a nadadora júnior do Clube de Natação do Litoral Alentejano, que se encontra desde o início da época a treinar no Centro de Alto Rendimento de Rio Maior.

Chegou a este meeting com 2:06.71 de record pessoal nos 200 metros livres, um tempo algo enganador, uma vez que no final da época passada já tinha feito 2:07.41 em piscina longa (convertido daria um tempo na casa dos 2:04 alto em curta), mas dificilmente alguém previa que a nadadora a cumprir o seu primeiro ano de juniores pudesse fazer 2:01.86!

Um novo record nacional de juniores, ultrapassando os 2:02.42 de Andreia Gomes, do Vitória de Guimarães, em 2009.

Com este tempo, Ana Sousa passou a ser a 8ª melhor portuguesa de sempre aos 200 metros livres. Vamos ver que marca poderá fazer em piscina longa, agora que treina exclusivamente em piscina olímpica.

A alentejana ainda nadou os 100 livres nuns bons 57.22 (tinha de melhor 58.96), 400 livres em 4:20.06 (tinha 4:31.40) e os 400 estilos para 5:04.93 (tinha 5:05.06).

Foto: FPN

3. Diana Durães (Benfica)

Diana começou esta época como terminou a anterior: a fazer grandes marcas.

Este ano não fez nenhum tempo ao nível do que fez há um ano, neste meeting, nos 400 livres, mas mesmo assim esteve em evidência. Foi a nadadora mais pontuada pela tabela FINA e a única em competição que ultrapassou os 800 pontos. Foi nos 800 metros livres que nadou em 8:31.01, o seu segundo melhor tempo de sempre e o terceiro melhor tempo português.

Este foi um meeting duro para a nadadora do Benfica, uma vez que nadou muitas provas e sempre a um nível alto. Para além dos 800 livres, nadou os 200 livres em 2:00.52 (4º melhor registo pessoal), os 400 livres em 4:10.12 (4º melhor de sempre), os 200 costas em 2:19.20 (record pessoal), os 200 mariposa em 2:16.90 (record pessoal) e os 400 estilos em 4:45.05 (segunda melhor marca pessoal).

Diana parece apostada em ser a Dama de Ferro portuguesa…ou a Diana de Ferro.

Foto: Luís Filipe Nunes

4. Filipe Santo (Benfica)

Mais um destaque de um nadador do Benfica e mais um destaque de um nadador que treina no CAR de Rio Maior.

A principal razão para o nadador júnior ser o nosso 4º destaque é a excelente prova de 1500 metros livres que Filipe nadou e ganhou, no tempo de 15:24.92, superando adversários mais cotados como José Carvalho (SFUAP), Juan Tolosa, Guilherme Pina (ambos do Sporting) e Roberto Gomes (Algés).

Foi uma melhoria de quase 11 segundos que indica que baixará dos 16 minutos em longa, assim que tiver oportunidade.

As boas notícias não ficaram por aqui. O nadador do Benfica nadou os 200 livres em 1:55.21, retirando 4 segundos ao seu RP, nadou os 400 livres em 3:56.74, nadando pela primeira vez abaixo dos 4 minutos e retirando 7 segundos ao seu melhor e nadou os 400 estilos em 4:31.23, melhorando 3 segundos.

Foto: Virgílio Afonso

5. João Vital (Sporting)

João Vital foi o nadador masculino com a melhor performance, segundo a tabela FINA. Foi nos 400 metros estilos, onde fez o expressivo tempo de 4:15.61, superando o record do meeting, que já era seu e estava fixado em 4:18.56.

Este tempo é o seu terceiro melhor de sempre na prova mas teve a particularidade de terminar com o seu parcial de crawl mais rápido da carreira (59.33), o que é sempre um excelente indicativo, numa prova como os 400 estilos.

Para além de ser o mais pontuado, Vital ainda foi o mais ganhador em competição, do lado masculino. A juntar ao 1º lugar dos 400 estilos, venceu os 200 costas em 2:01.10, os 200 estilos em 2:02.12 e os 400 livres em 3:52.70.

Depois de ter perdido uma boa parte da época passada, saúda-se o regresso do sportinguista ao seu melhor nível.

Foto: COP

Destaque ainda para os recordes nacionais de juvenis-B das estafetas 4×100 metros livres da selecção portuguesa, de ambos os sexos.

No feminino, Mariana Cunha (1:02.61), Maria Pereira (1:01.28), Maria Moura (1:00.27) e Maria Marques (1:00.93) marcaram 4:05.09, apagando os 4:06.18 que duravam desde 2010, detidos por uma selecção da ANL (Inês Paiva, Isabel Abreu, Patrícia Mendes e Rita Leitão).

Em masculinos foi com Tiago Rodrigues (55.35), Ricardo Silva (54.89), Tomás Gomes (56.83) e Paulo Vakulyuk (54.86) que Portugal estabeleceu o tempo de 3:41.83, superando um tempo que já tinha 22 anos, quando Tiago Lousada, Ricardo Silva, Bruno Laranjeira e Francisco Antunes nadaram em 3:45.43.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter