19 Fev, 2018

5 jovens craques que irão ser o futuro da seleção de Itália

Pedro CouñagoJaneiro 8, 20188min0

5 jovens craques que irão ser o futuro da seleção de Itália

Pedro CouñagoJaneiro 8, 20188min0
Artigo que destaca cinco jovens craques italianos que estão a despontar no seu campeonato. Com os seus desempenhos, podem aspirar a ser recrutados para uma seleção que precisa de observar novos talentos e rejuvenescer-se.

A Série A é um viveiro de jogadores de grande potencial e de competitividade, principalmente nesta época, que o campeonato italiano está, claramente, numa ascensão. Mas nem tudo têm sido alegrias nesta época. A seleção italiana vai ficar de fora do próximo Mundial, um falhanço quase irreplicável nos tempos que correm. A verdade é que a Itália está a precisar de uma renovação na sua seleção, e esta tem de ser feita de uma forma gradual, não só a curto como a médio prazo.

Desta forma, o Fair Play refere aqui cinco nomes que cada vez mais vêm ganhando algum destaque na Série A. Sendo ainda jovens promessas, uns com mais destaque e a jogar em melhores clubes que outros, os cinco nomes aqui referidos têm tudo para ser estrelas no campeonato e na seleção no futuro. É de referir que, nesta lista, referimos apenas jogadores com idade inferior a 23 anos, para se considerarem jogadores verdadeiramente jovens.

Federico Chiesa

O jovem craque da Fiorentina, de 20 anos, tem-se marcado por ser, cada vez, o jovem com maior potencial da sua geração. O extremo está já num nível bastante acima da média, e tudo isto acontece devido ao seu enorme talento.

A sua ascensão tem sido meteórica ao longo do tempo, e Chiesa é cada vez mais uma certeza. Num ano em que a Fiorentina está em reconstrução, tem sido o jovem a levar a equipa às costas, tornando-se na estrela da equipa depois da saída de Bernardeschi.

Chiesa cada vez mais é a grande figura da Fiore, e será difícil segurá-lo no futuro se mantiver este nível (Foto: Calcio Fanpage)

Chiesa pode jogar em diversos lugares do ataque, desde a extrema direita a segundo avançado, e tal nota-se na forma criativa e desavergonhada como joga. Não é um prodígio no que toca à finalização, visto que também não cresceu com características para tal, mas é ele que pensa todo o jogo da sua equipa e que cria as ocasiões para outros aproveitarem. Numa altura em que escasseia criatividade à seleção italiana, que se marca muito pela verticalidade, a verdade é que Chiesa, se continuar com os desempenhos que tem tido, pode, a curto prazo, pegar de estaca na Squadra Azzurra.

Chiesa marca-se por ser um jogador muito pretendido, quanto mais não seja por ter sido quinto classificado na contagem dos 100 melhores jovens de 2017 da FourFourTwo. Da lista, poderá ser o jogador que poderá dar mais alegrias aos adeptos italianos.

Gianluigi Donnarumma

Depois de Federico Chiesa, surge Gianluigi Donnarumma, e, na verdade, dos cinco nomes, este é aquele que reflete a maior certeza de todas. Com 18 anos, o jovem guarda redes vai assumir a baliza da seleção, depois da saída de Gianluigi Buffon.

Donnarumma tem já quatro internacionalizações pelo principal escalão, e tal não é por acaso. O guardião tem sido o abono de família do AC Milan, sendo, claramente, o maior destaque nos últimos tempos no que toca a individualidades. Tal não tem acontecido sem as suas polémicas, que acontecem principalmente graças ao seu agente Mino Raiola, e resta saber qual será a história a contar no final da época, porque, pelo caminho que a época está a tomar, o AC Milan não parece que consiga concretizar o seu objetivo, e tal pode proporcionar a saída do guardião. 

Donnarumma tem tudo. Elasticidade, reflexos, estampa física absolutamente monumental. Neste momento, o jovem estará ainda algo atrás dos melhores guardiões do mundo, mas, dentro de dois ou três anos, ele pode estar no pódio dos melhores. As redes da seleção vão estar muito bem entregues para a próxima década.

Nicolò Barella

Nicolò Barella não joga numa equipa designada grande, mas a sua qualidade comprova-se pela sua convocatória para a seleção nos últimos encontros de qualificação para o Mundial. Não foi utilizado, mas fica demonstrado que os responsáveis da seleção andam atentos ao seu percurso. 

O seu valor de mercado, segundo o Transfermarkt, é de 15 milhões de euros, e o jovem do Cagliari, que nasceu e cresceu na região do seu clube, médio central de origem, é um jogador franzino, mas que tem muito futebol nos pés.

Barella já está no radar da seleção, mas ainda lhe espera fazer a estreia, algo que deverá acontecer a breve trecho (Foto: 90Min)

Barella é um médio que se marca pela sua capacidade de desarme mas também pela sua capacidade de drible, guardando o melhor dos dois mundos. Não é por acaso que este jovem é também, por vezes, utilizado como médio ofensivo, pois tem também qualidades de playmaker, gosta de jogar bolas longas, nas costas da defesa.

O Cagliari não está a fazer uma temporada brilhante, mas Barella tem-se dado bastante bem, tem sido um excelente valor individual e uma agradável surpresa. É mais um jogador a considerar para outros campeonatos e que será uma certeza na seleção no futuro.

Patrick Cutrone

Quando verificamos as expetativas de início de época e o que é a situação presente do AC MIlan, não seria de esperar grandes veleidades para jogadores jovens, tendo em conta as contratações realizadas. Chegou André Silva, chegou Kalinic, mas quem se tem afirmado como uma mais valia é Patrick Cutrone.

Dos poucos pontos positivos da época, Cutrone tem sido um deles. A sua qualidade de finalização tem-se destacado, com 9 golos marcados em 25 jogos realizados, muitos deles como suplente utilizado, um registo bastante interessante tendo em conta as circunstâncias da época. O seu golo contra o Inter, nos quartos de final da Taça de Itália, que deu o apuramento ao AC Milan para as meias finais, foi talvez o ponto alto até agora, e a sua paixão pelo clube estava estampada no rosto aquando do festejo.

O jovem possui ainda outras valências como a sua raça e incapacidade de desistir de um lance, além também da sua prevalência no que toca a duelos físicos.

Com a quantidade de opções válidas para a frente de ataque da seleção italiana (Ciro Immobile, Andrea Belotti, até Mario Balotelli), este será um setor que estará assegurado, e Cutrone será mais uma alternativa válida. Primeiro, deverá continuar a fazer o seu crescimento, ganhar maturidade e ganhar o seu lugar de forma afirmativa no onze da sua equipa de coração.

Rolando Mandragora

Acabamos a lista com um jogador que, da lista apresentada, joga numa equipa com menores aspirações (Crotone), mas que tem sido um esteio no meio campo dos Pitagorici. Em 20 jogos disputados, Mandragora jogou dezanove, e dezanove jogos completos, o que mostra a sua importância redobrada.

O jovem craque, de 20 anos, é um médio defensivo que está emprestado pela Juventus, sendo que, com os seus desempenhos, pode aspirar a ficar no plantel dos bianconeri. Na seleção sub-21, o médio é já capitão do escalão, o que mostra a liderança que lhe é reconhecida.

Mandragora é longilíneo, com características que o fazem destacar, e ele mesmo já é uma estrela na seleção jovem (Foto: ProScout)

Ser praticamente totalista em toda a Série A com a sua idade, sendo um jogador de campo, não é algo que acontece a todos, é algo que valoriza bastante a sua prestação ao longo desta época.

Com 1.83m e 75 kg, o jovem destaca-se pela sua excelente capacidade de passe e pela forma imperial como consegue ganhar muitos dos duelos um para um, para além da sua larga passada. Tem um bom pé esquerdo, falta-lhe aperfeiçoar um pouco aquela que é a sua capacidade com o outro pé. Será um caso a acompanhar, poderemos ter aqui o próximo De Rossi, outro ícone que abandonou a seleção na sequência do falhanço da qualificação para o Mundial.

Aqui deixamos cinco nomes a ter bastante em atenção para o futuro na competição interna e na luta pela presença na seleção e a sua consequente afirmação. Existem outros nomes que poderiam aqui ser mencionados mas estes são cinco jovens que prometem subir o nível futuro de uma Itália que está em reconstrução e precisa de se reencontrar. 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter