Arquivo de GP do Bahrein - Fair Play

real-deal-scaled.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
Luís PereiraMarço 28, 20213min0

Lewis Hamilton venceu o primeiro GP da temporada depois de resistir à pressão de Max Verstappen.

Verstappen mostrou que a velocidade demonstrada nos testes de pré-temporada não tinha sido ao acaso e controlou todos os treinos do GP do Bahrein. Na qualificação foi então natural então Verstappen ter chegado à pole, na frente de Lewis Hamilton.

No arranque da corrida Hamilton foi agressivo, mas não conseguiu ficar na frente de Verstappen, que tentou criar espaço entre si e o inglês.

Uma vez que Hamilton apenas conseguia ir acompanhando o ritmo superior de Verstappen, a Mercedes decidiu apostar numa estratégia que o faria parar mais cedo, mas que o deixaria com pneus mais desgastados no final da corrida. Dessa forma Hamilton ficou na liderança nas duas paragens que os pilotos da frente fizeram, com Verstappen a ter sempre de ir atrás do prejuízo.

Verstappen era claramente o mais rápido dos dois, a conseguir recuperar sempre de oito segundos de desvantagem. Só que apanhar Hamilton é uma coisa, ultrapassar Hamilton é outra.

O piloto da Mercedes teve de aguentar a imensa pressão de Verstappen nas últimas cinco voltas. Hamilton usou toda a sua experiência e colou o carro sempre no lugar certo.

Apesar disso o espírito combativo de Verstappen não o deixou desistir e a três voltas do fim quase teve a sua recompensa, ultrapassando Hamilton na curva 10, mas saindo de pista, o que o levou a devolver a posição ao inglês.

(foto: formula1.com)

No final Hamilton continuou a aguentar firme para cruzar a linha de meta em primeiro, conseguindo a primeira vitória do ano, logo na primeira corrida.

Verstappen sentiu que tinha mais do que andamento suficiente para ter vencido, mas a estratégia da Mercedes e a resistência de Hamilton foram o obstáculo. Apesar disso, Verstappen pode sentir que nunca esteve tão próximo de dar uma real luta aos Mercedes.

Bottas terminou em terceiro, sem ter o andamento para disputar pela vitória, na frente de um excelente Lando Norris. Norris mostrou que os McLaren estão rápidos, mas a luta pelo “melhor dos restantes” vai ser dura.

Perez foi uma das estrelas da noite ao terminar em quinto, já que teve de arrancar das boxes, por o seu carro ter falhado na volta de formação.

Em sexto ficou o melhor dos Ferrari, Charles Leclerc, numa corrida que mostrou que os problemas de potência de motor, que afligiram no ano anterior, estão ultrapassados.

Daniel Ricciardo estreou-se pela McLaren com uma sétima posição, uns furos a baixo do colega de equipa, mas que teve de lidar com sobreaquecimento do último jogo de pneus.

Estreia positiva também para Sainz na Ferrari, a conseguir pontuar, na frente do estreante Yuki Tsunoda, que se tornou o primeiro piloto japonês a pontuar na sua primeira corrida.

No geral foi uma corrida com muita ação e que promete um ano onde teremos, possivelmente, uma verdadeira luta pelo título.

GRANDE PRÉMIO DO BAHREIN

(foto: formula1.com)

Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS