Venham os campeonatos do Mundo de Tóquio!

João CamachoJulho 27, 20196min1

Venham os campeonatos do Mundo de Tóquio!

João CamachoJulho 27, 20196min1
Os Campeonatos do Mundo de Tóquio começam dia 25 de Agosto e Portugal tem aspirações, legitimas, de sonhar com uma Medalha. Quem poderá surpreender?

Raquel Brito

Tal como tivemos oportunidade de referir no último artigo, ao fazer o balanço do mês passado, decorriam, então, os Campeonatos da Europa de Cadetes (Sub 17). O memorável mês de Junho de 2019 terminou com mais um grande resultado de uma atleta Portuguesa.

Tratou-se de Raquel Brito que, atualmente número 2 do ranking Mundial de cadetes da categoria dos 48Kg, conquistou a medalha de prata dos Campeonatos da Europa de Cadetes, competição que decorreu em Varsóvia. Já em Julho, no Festival Olímpico Europeu da Juventude (FOJE), a decorrer em Baku, Raquel repetiu a fantástica prestação do Europeu e conquistou a medalha de prata, numa competição que serve como rampa de lançamento de jovens promessas Europeias para uma futura e potencial participação Olímpica.

Raquel Brito é atleta do Sport Algés e Dafundo, clube eclético, com muitos pergaminhos no Judo, destacando-se por ser um dos clubes que mais atletas levou aos Jogos Olímpicos (11). Recordo que Nuno Delgado representava este clube quando conquistou o Bronze nos Jogos Olímpicos de Sidney. Para além do Nuno, passaram por este clube Pedro Soares, Pedro Caravana, Pedro Dias, Pedro Cristóvão, Rui Domingues, António Matias, Rui Ludovino, e só menciono atletas que marcaram presença nos Jogos Olímpicos, sem desprimor para muitos atletas de enorme qualidade que passaram por este clube e conquistaram importantes resultados nacionais e internacionais.

A Raquel permite-nos acreditar que existe potencial nas camadas jovens que, se bem orientadas, num ambiente onde existam referências e com um investimento sustentado e assente em objetivos tangíveis, não deixarão de contribuir para um futuro prestigiante do Judo Nacional.

Raquel Brito é uma luz ao fundo do túnel, pois tenho dúvidas que analisando transversalmente o escalão, existam atletas com este potencial e que trabalhem com a qualidade com que trabalha a Raquel e os seus técnicos, Pedro Dias e Pedro Jacinto.

Acresce que, para além de ser uma excelente atleta, Raquel Brito é também uma aluna de mérito, o que prova – e não me canso de repetir – que é possível conciliar o desporto de competição com a formação académica convencional.

Foto: Lusa

Mundiais de Tóquio

Os Campeonatos do Mundo de 2019 irão decorrer em Tóquio, capital do país onde no Século Dezanove (1882) nasceu este desporto. O evento, que terá honras de evento teste para os Jogos Olímpicos de 2020, será crucial para consolidar a posição dos atletas no ranking de qualificação Olímpica. Serão uns campeonatos do Mundo muito concorridos, onde as maiores figuras deste desporto marcarão presença.

Portugal tem legitimas aspirações de brilhar e sonhar, inclusive, com uma medalha. A equipa Portuguesa tem vários atletas em posições de destaque no ranking das respetivas categorias de peso, Jorge Fonseca é atualmente 8º, Catarina Costa 11ª, Telma Monteiro e Anri Egutidze 15º.

Apesar do elevadíssimo nível desta competição, o ambiente único e entusiástico dos Campeonatos do Mundo, especialmente quando decorrem no Japão e em concreto na Nippon Budokan, fantástica arena de eventos com capacidade para 15.000 espectadores, poderá ser um fator de motivação adicional e dar uma preciosa contribuição na superação dos atletas. E, nunca é demais relembrar, Portugal tem em Campeonatos do Mundo um total de 9 medalhas, 4 de Prata e 5 de Bronze. Só Telma Monteiro, à sua conta, tem 5 destas medalhas (4 de prata e 1 de bronze).

Telma estará presente, o que logo à partida permite equacionar a possibilidade de uma medalha. Apesar dos seus 33 anos recordo que nos Jogos Europeus/Campeonatos da Europa deste ano, Telma provou, com o Bronze na prova individual e com a Prata na prova de equipas onde foi decisiva, que está motivada e com um nível competitivo que permite aspirar a uma excelente classificação nestes Mundiais.

Também destaco o bom momento de forma da jovem, “júnior”, Patricia Sampaio, que poderá surpreender nos 78KG, tal como Barbara Timo nos 70Kg e Rochele Nunes nos +78Kg.

Um sorteio favorável, em conjunto com um dia “bom”, porque tudo se resolve num único dia, e o atual período de graça do Judo Português, permite antever que o início do mês de Setembro poderá marcar, novamente, o Judo Português. Aguardamos com entusiasmo!

Craig Fallon, uma grande perda para o Judo Britânico e Mundial

O mês de Julho fica marcado pela triste notícia do prematuro desaparecimento do atleta Britânico Craig Fallon (36 anos). O talentoso atleta Britânico foi Campeão do Mundo em 2005 e campeão da Europa em 2006, na categoria dos 60Kg. As circunstâncias da sua morte estão por esclarecer, mas amigos e familiares próximos da família informaram que Craig sofria de depressão, que se agravou depois de abandonar os tatami (tapetes) como atleta.

Mais uma vez fica demonstrado que o acompanhamento psicológico e médico dos atletas de alto rendimento é fundamental, não só durante a carreira de atleta mas também na fase do abandono da competição e retorno à vida “normal”. Há conhecimento de diversos casos, de grandes referências do desporto Mundial, por exemplo, o nadador Norte-americano Michael Phelps, que sofreram com esta patologia. Fica aqui a homenagem a um fantástico atleta, que deixa um enorme vazio, especialmente no que respeita ao Judo da Grã-Bretanha, onde só três atletas conseguiram conquistar o título mundial.

Verão quente no Judo

Igualmente em Julho, há a registar os Campeonatos da Europa de Veteranos e de Katas (“Formas” – Série de técnicas especialmente selecionadas tendo em vista o estudo aprofundado dos princípios do Judo), a decorrer na Gran Canária-Espanha, onde, à data da redação deste artigo, já temos uma Medalha de Ouro, conquistada pela dupla Pedro Gonçalves e Paulo Moreira, na competição de Katas, mais exactamente no kata “kodokan goshin jutsu”.

Estão também em curso, em Baku-Azerbaijão, o Festival Olímpico Europeu da Juventude, onde Raquel Brito já conquistou a medalha de prata, os Campeonatos da Europa ISBA – Judo para atletas Cegos e com Baixa Visão, bem como diversas etapas do circuito Mundial da Federação Internacional de Judo, e diversas etapas do circuito Europeu de Juniores e Cadetes

Ou seja, e em conclusão, há motivos de sobra para continuar atento e, permitindo-me alguma falta de modéstia, acompanhar esta rubrica onde tento, todos os meses, fazer um resumo dos resultados mais relevantes, além de lançar o debate sobre alguns temas pertinentes desta modalidade desportiva que cada vez tem mais praticantes e ganha, ano após ano, uma forte dimensão e exposição global.

Boas Férias e voltamos a seguir aos Mundiais de Tóquio!

Pedro Gonçalves e Paulo Moreira Camp Europa Katas 2019 UEJ

One comment

  • Victor Brito

    Julho 28, 2019 at 8:18 am

    Excelente artigo de opinião!

    Reply

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter