O simples facto de deslizar nas ondas, é pura superação!

Palex FerreiraSetembro 22, 20215min0

O simples facto de deslizar nas ondas, é pura superação!

Palex FerreiraSetembro 22, 20215min0
As ondas são o grande obstáculo e ponto de diversão do surf, e Palex Ferreira explica a paixão por detrás desta modalidade

Desde sempre que o surf é uma modalidade de superação, no início é fazer apenas o take off com êxito, até se garantir que é “normal”, depois começam as manobras clássicas e funcionais, como Bottom Turn, Cutbacks, off-the-lip até serem “normais” em qualquer tipo onda, sendo mais um objetivo ultrapassado. Depois não há limites é deixar ir até ninguém sabe bem onde.

E é por isso que o surf em si é mágico, não tem rotinas, é sempre diferente, cada onda tem uma abordagem diferente, e é sempre desafiante, quer seja num dia pequeno, ou num dia grande, é sempre diferente.

Para se atingir um nível mais elevado, se é classificar-se o surf assim, é preciso ir superando os pequenos passos e desafios até um determinado limite, que aparentemente não existe. O surf nunca foi algo natural, requer análise e recordar (este recordar será memorizar o que nos fez cair em determinada altura e tentar ultrapassar esse deslize, por exemplo claro) o que se fez mal para tentar corrigir, não tem limites quer em que modalidade seja, apenas tem desafios prontos a serem ultrapassados, desde o iniciante ao profissional.

o surf como forma de puro hedonismo de deslize e de arte nas ondas. Havai 1910 fonte: hawaiianstylesurf.com – (Bishop Museum Archive)

Os tops mundiais quer sejam o Gabriel Medina, Kelly Slater, Justin Quintal, Rodrigo Sphaier, Mike Stewart, Dave Hubbard, incluindo os tops nacionais nomes como Frederico Morais, Vasco Ribeiro, Hugo Pinheiro, Manuel Centeno, João Dantas, entre tantos outros que podiam ser referenciados aqui numa extensa lista de bons atletas, não atingiram aquele nível só porque sim, foram aperfeiçoando a técnica, e tentado superar a cada passo na sua evolução. O resultado é que depois até parece fácil fazer surf, parece que nunca existiram dificuldades na sua própria evolução do surf e o resultado é óbvio, até parece fácil quando os vemos a surfar em qualquer tipo de ondas.

Mas de que forma se pode atingir esse nível, atualmente é mais fácil que era no passado, (obviamente por hoje temos treinadores, escolas de surf, e várias ciências que nos ajudam a corrigir os pequenos erros logo de inicio), antes, quando se começou a ver surf nas ondas pelos pioneiros, imitava-se o que se via, dos surfistas mais velhos e experientes nas ondas, nas revistas impressas, nos poucos filmes Beta e VHS que alguns tinham. Mas esse paradigma mudou, o surf evoluiu muito, hoje temos milhares de treinadores disponíveis para analisar, com filmagens 4k de todas as surfadas, acesso aos melhores materiais, melhores formas de treino para agilizar essa evolução, de forma mais efetiva e mais rápida para corrigir detalhes que nos permitem melhorar a cada surfada.

Não é à toa que os mais novos tendem a evoluir mais rapidamente que os mais velhos, porque se encontram num estado de aprendizagem de tudo e logicamente torna-se mais fácil evoluir. Mas certamente todos afirmam que o surf é uma modalidade de pura superação, tal como as outras modalidades, na superação repetitiva de dificuldades cada vez que entram no mar para curtir umas ondas.

A arte de superar é simplesmente isto:

su.pe.ra.ção
nome feminino
1. ato ou efeito de superar
2. excesso, demasia
3. vantagem

Em tudo na vida temos que superar vários degraus para atingirmos o nosso melhor, ou algo parecido em detrimento de outros, são desafios que alguns conseguem lidar melhor do que outros, no surf é igual dependendo de como cada um assume a sua forma de se superar, cada um é diferente, porque acreditamos que todos gostariam de atingir aqueles níveis de surf dos nossos ídolos, só que isso dá muito trabalho e treino, mas para outros o simples facto de estar na água pode ser igualmente agradável e gostam de se superar dessa forma.

Outro factor que nos assola na evolução é a idade com que começamos determinado projecto na nossa vida, profissional, de lazer, entre outros, é normal ver uns a evoluir mais rapidamente que outros, mas no geral acredito que todos gostamos de ver um bom surfista a criar arte numa onda, porque isso isso é que é o surf, pura arte!

O simples facto de só rir não significa que é o melhor surfista, no entanto concordo com o mote de que o que interessa é divertir, certissímo, mas sempre na incessante procura de ir superando barreiras, porque anatomicamente somos todos iguais, mas cada um evolui em diferentes planos.

Claro que há diferentes formas de superação, para alguns iniciantes e outros basta fazerem uns quantos take off com sucesso para serem felizes num dia de surf, para outros já requerem muitos mais manobras e algumas bem difícei , são mais exigentes à medida que vão evoluindo e procuram cada vez mais novas abordagens nas ondas. Cada um supera-se dentro dos seus objetivos e parâmetros, não é tudo a mesma coisa, cada um diverte-se mais de uma maneira do que outra.
Contudo no geral todos se superam em todas as formas de desporto, de forma diferente, por exemplo há surfistas das ondas grandes que nunca foram grandes surfistas em ondas médias ou pequenas (escala australiana que vai desde o 1 metro até aos 3 metros), isso é normal cada um supera-se da forma que lhe é mais conveniente, e no final todos superaram algo no surf, logo termino como comecei, o surf é uma arte de pura superação.

Divirtam-se e sejam felizes!

Duke Kahanamoku o pai da era moderna do surf, na praia de Waikiki no Havaí em 1910. fonte: hawaiianstylesurf.com

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter