Azores Power Longboarders – Quem são os dois atletas que trazem o Longboard do Açores?

Palex FerreiraDezembro 14, 20184min0

Azores Power Longboarders – Quem são os dois atletas que trazem o Longboard do Açores?

Palex FerreiraDezembro 14, 20184min0
O Longboard nos Açores é um pormenor raro do surf Nacional mas fomos conhecer dois jovens dessa vertente: Nicolau Filipe e Ronaldo Matos.

Nos últimos anos temos vindo surfistas a aparecerem nas principais competições nacionais, nomes como Nicolau Filipe, irmão do Jácome Correia e recentemente o Rolando Matos, todos do Arquipélago dos Açores.

Já são bem conhecidas as suas ondas, por grande parte do universo surfista português.

Com condições naturais propícias as todo o tipo de ondas, tal como já era conhecido no caso da Madeira, com a prestação na ondas do Jardim do Mar, ondas que aguentam bastante tamanho e perfeitas. o Local mais famoso da Ilha é o Orlando Pereira, que vive do surf na Madeira há alguns anos, com escolas de surf e muitas ondas para todos os gostos.

Chegou agora a vez dos surfistas dos Açores, que com um nível de performance bem alto, prometem ficar durante bastantes anos, na disputa pelos títulos.

Connosco Nicolau Filipe e Ronaldo Matos.

Quem são os longboarders dos Açores? 

– Nicolau Filipe (NF)  e Ronaldo Viveiros Matos (RM) –

Idade?

NF: 17

RM: 21

Local de vens?

NF: Ponta Delgada, Ilha São Miguel, Açores

RM: Mosteiros, Ilha São Miguel, Açores

Atletas preferidos (nacionais e internacionais).

NF:  Para mim qualquer atleta tem algo de bom que seja apreciável. Por isso, não tenho assim nenhum preferido.

RM:  Meus atletas preferidos internacionais são Phil Rajzman, Taylor Jensen e Joe Arron e a nível nacional não tenho nenhum preferido são todos bons surfistas

Manobra preferida?

NF:  Hang 10

RM: Hang 10

O que é para ti o longboard?

NF:   Para mim o Longboard é uma modalidade completamente diferente das outras. Muito mais versátil e divertido.

RM:   O longboard para mim é um desporto estiloso.

Como avalias a participação nas Etapas do Nacional de Longboard?

NF:  Acho que as provas do nacional de Longboard são completamente diferentes das outras, somos poucos mas bons e somos todos amigos, todos se ajudam uns aos outros e isso não se vê em qualquer outra prova.

RM: Como só fiz uma etapa até hoje a minha participação correu-me bem.Cheguei as meias finais passei meus dois primeiros heats (baterias) em primeiro , sempre com os dois segundos melhores scores das duas rondas. Não cheguei a final por 4 centésimos perdi a 40 segundos do fim para o 4 vezes campeão nacional e campeão europeu (João Dantas) por um erro meu.

Quem é o teu treinador/mentor?

NF:   Não tenho treinador, o meu pai é o meu grande conselheiro, é ele que me dá sempre umas dicas para poder melhorar a minha performance.

RM:  Meu treinador David Prescott e ele que me acompanha nas provas e que me dá instruções

Como é o teu dia-a-dia?

NF:  O meu dia a dia é a escola e ao fim de semana aproveito ao máximo para surfar.

RM:   Meu dia a dia é treinar fisicamente e surfar quando tem ondas

Longboard Clássico ou progressivo, porquê?

NF:  Gosto de ambos os estilos mas aprecio muito o estilo progressivo, acho que ambos os estilos tem a sua técnica mas para mim o progressivo exige mais treino.

RM: Gosto dos dois tipos clássico e progressivo.  Mas gosto mais de ver o clássico em vídeos, adoro ver eles a mandarem manobras com muito estilo no nose

Como está o Surf nos Açores?

NF:   Nos Açores o surf está a evoluir aos poucos, cada vez há mais gente a entrar neste desporto, mas não para o Longboard.

RM:   O surf nos Açores está a evoluir cada vez mais.  Mas o longboard são poucos que fazem muitos poucos mesmo.

Apoios/patrocínios:

NF: Tenho um apoio a El Niño.

RM:  Apoios tenho o apoio de pranchas a Lava Surf Culture, uma loja o Espaço Azul, a freguesia onde moro ajuda também e o Bar marisqueira de cá dos mosteiros.

Como é a tua prancha perfeita?

NF:  Não tenho nenhuma prancha preferida, cada prancha tem a sua magia.

RM:  A minha prancha perfeita tem que ser boa nas manobras progressivas e que ao mesmo tempo dê para fazer umas boas manobras clássicas no nose.

Por fim agradeço ao dois pela disponibilidade, e sabendo que num futuro muito próximo, estas serão as caras do top nacional em Longboard OPEN. 

Aloha e Ho Ho Ho!

Nicolau num Roundhouse Açoriano Foto: Duarte Filipe

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter