Surf em modo pandemia com regras e respeito que se exige de todos para todos!

Palex FerreiraDezembro 1, 20204min0

Surf em modo pandemia com regras e respeito que se exige de todos para todos!

Palex FerreiraDezembro 1, 20204min0
A pandemia continua a assolar as nossas vidas e o surf não deixa de ser uma das "vítimas" das duras medidas e regras impostas pela Direcção-Geral de Saúde. O que temos de fazer para ajudar tudo e todos a ter uma situação controlada?

Portugal entrou na segunda vaga, infelizmente para todos, mas por outro lado nós ainda podemos surfar, ainda que meio que livremente, nem que seja dentro do concelho, isto porque grande parte da população surf portuguesa vive nas zonas costeiras.

Vamos aproveitar a deixa e surfar cumprindo as regras de distanciamento social novas impostas, surf e bazar, e repetir enquanto nos for possível.

O que se viu na Nazaré não foi bom de facto, concordo. Multidão a vibrar com as típicas e míticas ondas gigantes da Nazaré, e em grupos alargados, irritando a Direcção-Geral de Saúde e as autoridades, ao ponto de proibirem a prática de surf na zona por termo indeterminado, e deixando-os sem poder continuar com o show que chega a todo o mundo, numa nota negativa para o “nosso” surf, para o qual treinaram muito tempo, e já nem para falar de avultados investimentos nesta zona.

Temos dezenas/milhares de pessoas paradas devido a isso, as equipas de surf tow-in, e o comércio nazareno completamente paralisado devido a esse impedimento, numa demonstração que os nossos actos têm consequências, especialmente neste momento tão crítico da nossa sociedade. Vamos acreditar que eles podem voltar, mas o público vai ter que acompanhar via Youtube, para o bem de todos!

O recolher obrigatório durante duas semanas é inédito em Portugal, parecemos uns putos reguilas que ficaram de castigo ao fim de semana, “estar em casa às 23h e ao fim de semana não sais!!” (li isto algures na internet), e é claramente péssimo para o desporto organizado (seja ele profissional ou amador), ainda pior para o surf, para o comércio e as actividades económicas ligadas, para tudo mas é necessário por prevenção, ou será que não se devia fazer tal? (Não vou partilhar a minha opinião que a sociedade está dividida e a minha opinião seria de um dos lados).

Line-up (Photo by Laurent Masurel/WSL via Getty Images)

Vamos voltar a fazer o Surf&Go que a FPS/ANS lançaram em maio, (ver artigo) para regressarmos ao mar, vamos informar ou tentar explicar os estrangeiros que nos inundam as ondas e praias, e recordar que estamos TODOS numa pandemia. Custa e é triste eles andarem por aí, como se nada estivesse a acontecer no mundo, (se é verdade ou mentira sobre a pandemia e sobre as medidas, não vou dizer nada sobre isso, porque nos custa a todos as restrições da nossa liberdade) e quando é para lhes chamar a atenção de alguma situação, defendem-se em uníssono que “Non Intendio portuguese, no comprendo….”, podendo ser essa atitude criticável e preocupante. que tendo sido praticado por grande parte de muitos dos que nos visitam e que já moram neste país maravilhoso, segundo consta as autoridades nacionais têm acompanhado muito ao de longe.

São milhares de turistas na orla costeira de norte a sul, e eles a desrespeitarem a lei que está vigente de momento… ninguém está a afirmar que não podem vir e rasgar ondas, mas têm e devem respeitar os portugueses e o mesmo manual de regras que nos governa – e isto também vai para os locais, pois alguns passam por cima e não se apercebem do seu potencial dano.

A vinda deste tipo de turismo é fruto dos últimos anos de promoção do nosso grande país enquanto um grande destino de surfistas de todo o mundo, e com a evolução de escolas de surf, de hostels, surfcams, lojas  entre outros, é o resultado normal que estejamos a ser visitados  constantemente por muitos durante o ano todo, não nos cabe a nos policiar ninguém, e devemos procurar em fomentar/criar infraestruturas às milhares de caravanas e estrangeiros que por cá escolheram para se divertirem e gastarem o seu dinheiro também.

Respeitem para serem respeitados, e tudo correrá bem! Aloha

Artigo feito com o apoio de: @Lufisurfco; @SurfersStoreCaparica; @funboxecolifestylebrand; @ahoycoffeebar

Fonte: https://www.ansurfistas.com

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter