Kiwis e Flying Fijians começam os World Series 18/19 a ganhar

João DuarteDezembro 12, 20185min0

Kiwis e Flying Fijians começam os World Series 18/19 a ganhar

João DuarteDezembro 12, 20185min0
O HSBC World Rugby Sevens Series está de volta e o Fair Play faz uma análise ao que foram as primeiras duas etapas da competição, disputadas no Dubai, Emirados Árabes Unidos e em Cape Town, África do Sul.

A competição masculina teve início oficial na etapa do Dubai, que se realizou de 30 de novembro a 1 de dezembro. Uma junção de ansiedade por parte de todos os agentes envolvidos (fãs, jogadores, equipas técnicas, organizadores), espectacularidade e muito e bom rugby de 7!

Para a época 2018/2019 as equipas residentes são a África do Sul, as Ilhas Fiji, a Nova Zelândia, a Austrália, a Inglaterra, os Estados Unidos, a Argentina, o Quénia, o Canadá, a Samoa, a Espanha, a Escócia, a França, o País de Gales e o Japão (qualificado o ano passado em Hong Kong).

Dubai

Para a primeira etapa a equipa convidada foi o Zimbabué.

Dia 1 – fase de grupos

Na fase de grupos não houve grandes surpresas, apesar do grande equilíbrio no grupo A entre a África do Sul, a Argentina e a Samoa, que terminaram todas com 7 pontos, tendo a Samoa ficado de fora da disputa da Cup.

No grupo B o Quénia não conseguiu impôr-se e com alguma surpresa somou 3 derrotas, a Escócia aproveitou e qualificou-se para a Cup, juntamente com as Fiji.

No grupo C a Espanha mostrou um rugby mais atraente e competitivo, comparando com os anos anteriores, mas foi a Nova Zelândia e os Estados Unidos quem se qualificou para a Cup.

Já no grupo D os qualificados foram a Austrália e a Inglaterra.

Dia 2 – finais

No segundo dia disputaram-se as eliminatórias e as finais.

Na Challenge, a Espanha surpreendeu nos quartos-de-final ao derrotar o Quénia, mas não foi além das meias-finais, onde defrontou a Samoa.

A Samoa viria a vencer a taça Challenge numa final disputada com a França, em que venceu por 33-24, com Alamanda Motuga a destacar-se com 2 ensaios.

Nos quartos da Cup, destaque para a Inglaterra que venceu a África do Sul e para os Estados Unidos que venceram as Fiji.

Nas meias-finais a Inglaterra perdeu por 7-5 com a Nova Zelândia e os Estados Unidos venceram a Austrália por 22-17, num jogo em que ambas as equipas estiveram a ganhar e viram o adversário a dar a volta, com os americanos a serem mais felizes no final.

Na final os All Blacks impuseram-se aos Eagles  e venceram por 21-5, conquistando a primeira etapa da época.

All Blacks win Dubai sevens! (Foto: The National)

Cape Town

A segunda etapa realizou-se a 8 e 9 de dezembro e teve como equipa convidada novamente o Zimbabué, seleção Campeã Africana de Sevens.

Dia 1  – fase de grupos

Na fase de grupos voltou a verificar-se um equilíbrio notável no grupo A, tal como tinha acontecido no Dubai, desta vez protagonizado pela África do Sul, Nova Zelândia e Samoa. E mais uma vez com a Samoa a ficar de fora da Cup.

No grupo B os Estados Unidos e a Espanha garantiram os lugares na Cup, deixando a Argentina para trás.

No grupo C as Fiji estiveram imparáveis e a Inglaterra garantiu o outro lugar da Cup.

No grupo D os qualificados foram a Austrália e a Escócia.

Dia 2 – finais

No segundo dia a Argentina teve dificuldades em ultrapassar o Quénia nos quartos-de-final da Challenge, mas depois acabaram por vencer com relativa facilidade o Canadá, nas meias-finais e a Samoa na final.

O samoano Alamanda Motuga tentou puxar a equipa para o jogo com 2 ensaios, mas não foram suficiente para os 6 marcados pelos argentinos, que acabaram por conquistar a Challenge.

Na Cup os jogos foram quase todos bastante disputados, à excepção do Fiji – Espanha, em que os fijianos cilindraram os espanhóis por 46-7.

Nos restantes a África do Sul venceu a Escócia, a Nova Zelândia derrotou a Austrália e os Estados Unidos venceram também a Inglaterra.

Nas meias-finais os Estados Unidos demonstraram que são assumidamente um dos candidatos ao título mundial deste ano e derrotaram facilmente a Nova Zelândia por 31-12, impondo a velocidade dos seus jogadores.

Já as Fiji continuavam a vencer, apesar da forte resistência dos sul africanos. Uma vitória conquistada na bola de jogo, com um ensaio de Alasio Naduva.

Na final os fijianos não deram espaço aos americanos e ao intervalo venciam já por 17-0, resultado que acabou nos 29-15 com Kalione Nasoko e Vilimoni Botitu a bisarem e a darem a conquista da etapa às Fiji.

Fiji win Cape Town Sevens! (Foto: Planet Rugby)

Ver classificação atual: https://www.world.rugby/sevens-series/standings/mens


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter