Sport Rugby, do Sport Club do Porto, renasce na Invicta

Helena AmorimDezembro 21, 20187min1

Sport Rugby, do Sport Club do Porto, renasce na Invicta

Helena AmorimDezembro 21, 20187min1
Durante anos o único clube de rugby a existir na cidade do Porto era o CDUP, mas desde o Século XXI o Sport Club o Porto voltou à actividade. Fica a conhecê-lo melhor

O Sport Club do Porto é um clube centenário, com muita dinâmica na cidade do Porto. Ao longo dos anos apoiou e dedicou-se a  cerca de 30 modalidades desportivas. O Rugby surgiu no Sport, em 1928. Nas últimas décadas, no entanto, esta modalidade esteve desativada, tendo ressurgido novamente no Sport Club  há cerca de 8 anos.

O Sport Rugby tem como objetivos promover e fomentar a prática de Rugby em Portugal, na zona Norte, por convictamente acreditar que através da prática desportiva, ou melhor, do Rugby, ficarão os atletas, de todas as idades, com mais ferramentas para todos os  desafios pessoais e profissionais com que se depararem.

O Sport Rugby renasce, no clube, com o Professor Nuno Gramaxo,  ex-atleta, professor universitário e experiente treinador, que foi convidado para abraçar e dirigir o projeto. Na mesma altura o Professor Nuno Gramaxo tinha em mãos a iniciativa “Educar pelos Valores”, dirigida ao  1º e 2º ciclos de escolaridade e integrou esta iniciativa, no Sport, o que originou a criação as primeiras equipas,  de sub-8, 10 e 12.

Seguiu-se a equipa Sénior de Emergentes e a equipa Sénior Feminina. Esta última equipa adquiriu nos últimos anos uma forte visibilidade, tanto a nível nacional como internacional.

Assim, nas palavras de Nuno Gramaxo:

“Queremos que os nossos atletas se entreguem; se entreguem verdadeiramente a este jogo com uma enorme alegria e um forte espírito de conquista. Não precisam de ser os melhores, mas precisam de se esforçar para serem melhores, não só em campo como no dia-a-dia”

Seguindo o lema de lutar por se ser melhor, hoje, o Sport Rugby conta com cerca de 150 atletas, entre as equipas de sub-6 a sub-18 e séniores femininas.

A secção de Rugby do Sport Club do Porto é uma escola vocacionada para os jovens de ambos os sexos, tendo como objetivo educar através dos valores, atitudes e competências.

É um clube focado na formação das camadas infantis e juvenis, é aí que está a base. Mas hoje já se  constrói um futuro nos escalões sub-18 e séniores. Assim e como tal, os objetivos e missão são de apoiar integralmente os seus atletas. Mostrar-lhes um conjunto de princípios e atitudes adequados. Promover hábitos de vida salutares, vivenciando o Rugby, e dando aos atletas ferramentas essenciais para todos os domínios da vida. Tudo isto, colaborando sempre em conjunto com os Pais e famílias, na formação destes jovens.

Nuno Gramaxo (Foto: Luís Cabelo Fotografia)

O Rugby é um desporto bastante inclusivo e há espaço para todos no Sport.

Atletas de todas as idades, todos os tipos físicos, com ou sem experiência, com familiares ligados ao  Rugby ou nem por isso! Há lugar para todos os atletas.

Por exemplo, o João Agostini (atleta sub12), tem familiares ligados ao mundo do Rugby, mas na maior parte dos atletas, isso não acontece. O João que começou a jogar rugby porque o tio, Nuno Sousa Guedes é jogador de rugby e joga na selecção e reencontra no tio a sua referência máxima.

O jogo mais marcante foi segundo o João “a final  do Braga Youth contra o Cascais, tivemos muita atitude e ganhamos muita experiência, apesar de termos perdido o jogo.”

O João e os outros atletas têm o privilégio de treinar no Parque da Cidade.

O campo do Sport Rugby fica no Parque da Cidade do Porto, o maior jardim e parque urbano da cidade, no limite entre o Porto e Matosinhos. A maior parte dos atletas são assim, residentes nestas duas cidades.

Os treinos em campo realizam-se às terças e sextas -feiras, às 18:30h para os sub 6, 8, 10, 12 e 14 e às 20:00h para os sub 16, sub 18 e seniores femininas. As segundas e quartas -feiras são dedicadas aos treinos de preparação e recuperação física para os escalões sub 16, 18. Com participação facultativa de sub14 e seniores femininas.

As atletas e treinadoras com mais visibilidade do Sport Rugby são a Catarina Ribeiro, atualmente a jogar em França e  a Daniela Correia, capitã da equipa da seleção nacional feminina de sevens.

Para a Daniela, mais conhecida no Rugby como “Deolinda”,-

“Ser treinadora de crianças e jovens é das funções mais enriquecedoras que se pode ter.”

E continua,

É muito mais do que chegar ao treino e montar um conjunto de exercícios espetaculares e divertidos para os atletas.

É preciso muita dedicação, paixão, rigor e disciplina. Nunca parar de procurar sempre o nosso melhor porque inevitavelmente somos um exemplo para os nossos atletas, estamos constantemente a ser observados por eles. E estamos a formá-los para a vida, para serem boas pessoas, bons alunos, bons amigos, bons desportistas. Enfim, desenvolver o caracter! E para tudo isto, temos de ensiná-los a terem disciplina e encontrarem as suas verdadeiras motivações.”

O Sport Rugby tornou-se, entretanto, demograficamente, um dos maiores clubes de Rugby da zona norte do país. O que se deve, sem dúvida, ao  “Espírito Sport”, a este sentimento fraterno de família alargada entre todos, bem percetível, seja em treinos, jogos, convívios ou nas ações e festas organizadas.

O Rugby, embora em ascensão,  enfrenta, contudo, ainda alguns estigmas ou ideias pre-concebidas.

Luís Bizarro, pai, diretor de Equipa dos sub10 e Ex Atleta conta uma pequna história, paradigmática dos valores preconizados no rugby:

“Quando o meu filho atingiu os seus 5 anos de idade, não tive qualquer dúvida ou receio, em o levar um dia a experimentar um treino de Rugby.

Escolhi a escola de Rugby do Sport Clube do Porto, que era dirigida pelo meu antigo colega de equipa e treinador Nuno Gramaxo, para o Tomás experimentar.  Ao fim de dois anos assisti ao meu filho cheio de vontade em torneios/convívios em integrar os mais novos a ajudá-los e a vê-los realizar os seus primeiros ensaios…

Um dia antes de um torneio perguntou-me:  “Pai, quem da minha equipa ainda não marcou nenhum ensaio? Queria hoje ajudá-los a conseguir!”

Recordo-me do Gonçalinho, um rapazinho com 5 anos acabados de fazer, a marcar  o seu primeiro ensaio. O Tomás correu para ele, pegou-lhe ao colo e correu o campo a festejar. Nesse momento não tive qualquer dúvida que os valores de que tanto se fala que o Rugby transmite estavam, de facto, presentes.

Não tenho qualquer dúvida que o Rugby gera um grande ambiente de camaradagem entre as crianças, disciplina e amizade, cujos atributos traz excelentes consequências positivas para a sua vida futura.

É uma modalidade desportiva e social, que, como consequência reforça a amizade através dos excelentes convívios que esta modalidade disponibiliza. Aumenta a autoestima, a confiança, o respeito, a disciplina, o espírito de equipa e globalmente potencia o talento do atleta.

O respeito talvez seja a maior das qualidades que o Rugby nos ensina.

Quem ler este texto e se tiver filhos, não deixe passar a oportunidade de permitir ao seu próprio filho experimentar uns treinos de Rugby. É, de fato, um jogo de contato mas nada de ideias pré concebidas, nada de violência.

Todos os filhos cujos pais convenci a experimentar a modalidade, ainda hoje permanecem nos treinos e participam nos jogos, e muitos deles também já convenceram os seus próprios amigos a levarem os seus filhos a experimentar o rugby.

Encontramos-nos nos treinos… Sim, porque os pais também convivem tornando-se assim uma parte da família Sport Rugby”.

Podem contactar o Sport Rugby através do email scportorugby@gmail.com e das principais plataformas digitais, como Facebook (@SportRugby) e Instagram (scportorugby) , e podem visitar o Sport Rugby em qualquer dia de treino no Parque da Cidade, serão muito bem-vindos e convidados a juntarem-se ao jogo! Até lá!

Foto: Sport Rugby Porto

One comment

  • Joao

    Janeiro 4, 2019 at 8:07 pm

    Boa tarde,

    É verdade que o Sport Rugby é um bom projeto e esta integração dos pais na evolução dos filhos no desporto pode e deve ser apoiada. No entanto os pais têm de ser ensinados a estarem presentes e não como já vi pais especificamente do sport rugby a entrarem dentro de campo a implicar com o arbitro e, ainda pior com um atleta, uma vergonha…

    Cumprimentos,

    João

    Reply

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter